Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Bolsonaro nomeia para gabinete pessoal assessor que atuou em página homofóbica e atacou Marielle.


Tércio ao lado de Jair Bolsonaro. 


Tercio Tomaz estava nas eleições responsável pelo perfil ‘Bolsonaro Opressor 2.0’ que também divulgava fake news sobre "kit gay".

O presidente Jair Bolsonaro nomeou nesta sexta-feira para o gabinete pessoal da Presidência o ex-assessor de seu filho, Carlos Bolsonaro (PSL), na Câmara de Vereadores do Rio, Tercio Arnaud Tomaz, conhecido por comandar a página homofóbica “Bolsonaro Opressor 2.0”. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União e informa que o assessor ocupará um cargo comissionado DAS 102.5, que tem remuneração de R$ 13,03 mil.

Tercio ocupava até esta sexta-feira um cargo comissionado no gabinete de Carlos Bolsonaro, onde estava lotado desde dezembro de 2017. Em agosto, jornal O GLOBO revelou que Tercio recebia salário da Câmara sem trabalhar de fato no legislativo da cidade.

Criada em junho de 2015, a página “Bolsonaro Opressor 2.0” tem mais de um milhão de seguidores no Facebook e, durante as eleições presidenciais, promovia Bolsonaro por meio de memes preconceituosos e agressivos contra adversários do político.

Em março do ano passado, o perfil promoveu críticas pesadas à vereadora Marielle Franco (PSOL) um dia depois do seu assassinato, no Rio. Em um post em que publicou uma matéria que anunciava a intenção da irmã de Marielle de se lançar na política, a legenda dizia: “Do jeito que tá indo, vão empalhar o cadáver e levar em comício”.

A página também foi responsável por divulgar fake news sobre o deputado federal Jean Wyllys e sobre o suposto “kit gay”, além de atacar os direitos LGBT.


A página também foi responsável por propagar fake news sobre o “kit gay”. 

Formado em biomedicina em uma faculdade de Campina Grande, Tercio trabalhava como recepcionista em um hotel antes de atuar nos gabinetes de Bolsonaro, em Brasília, e de Carlos, no Rio.

E o Estado laico?




A revista Fórum publicou dois vídeos de palestras de Damares Alves em clínicas de "restauração sexual" nos quais a nova ministra de Mulher, Família e Direitos Humanos diz que sexo com animais, entre "mulher com mulher" e entre homens é "aberração". "Falei de aberração, tu edita isso [no vídeo]", disse, demonstrando intenção de amenizar a fala para divulgação.

Num segundo vídeo, Damares disse que "quem acolhe os travestis e homossexuais doentes somos nós", a Igreja Evangélica. A pastora da Assembleia de Deus acrescentou que "não somos homofóbicos, nós simplesmente falamos o que entendemos de acordo com a Bíblia, [sobre] o que é pecado."

Segundo a Fórum, Damares pedia, durante os discursos, " para que não filmassem alguns momentos da palestra, pois falaria coisas 'sérias' e, por isso, teria 'problemas'".




A denuncia partiu de um dos "pacientes" do "tratamento" que preferiu não se identificar por conta de possíveis retaliações. Nesta reportagem ele será identificado como "X", acrescentou o portal.

O nome da clínica e a época em que o vídeo foi gravado não foram divulgados.



Ministra Damares nomeia Pastor para cuidar da pasta LGBT.




O paraibano Sérgio Queiroz assumirá a Secretaria de Proteção Global do governo de Jair Bolsonaro e será responsável pelas ações voltadas ao público LGBT, conforme anunciou nesta quarta-feira (2) a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, durante sua posse.

De acordo com a titular da pasta, não haverá mudanças na estrutura destinada ao encaminhamento de demandas da comunidade LGBT. “As demandas da comunidade LGBT nunca foram cuidadas por uma secretaria, sempre foram cuidadas por uma diretoria. E o presidente [Jair] Bolsonaro respeitou essa estrutura. Portanto, a comunidade LGBT continua com a estrutura que tinha no ministério”, disse na cerimônia.

Ele é pastor da Primeira Igreja Batista do Bessamar.

Indicado para Coordenar o INEP já disse que Professores pregam o aborto, incesto e pedofilia.




“Ele disse que os professores no país pregam o aborto, incesto e pedofilia, mas que tentam escamotear suas intenções, driblando a confiança dos pais.  

— Não se conta isso para os pais, essa é a farsa de vocês. Vocês falam: ah, é simplesmente uma questão de respeito em relação aos homossexuais. É só isso o que a gente quer ensinar — ironizou.

Em outro trecho, acusa:

— O que os professores estão querendo com isso é poder. Um poder que eles querem roubar e sequestrar da família.”

— Não se conta isso para os pais, essa é a farsa de vocês. Vocês falam: ah, é simplesmente uma questão de respeito em relação aos homossexuais. É só isso o que a gente quer ensinar — ironizou.

Em outro trecho, acusa:

— O que os professores estão querendo com isso é poder. Um poder que eles querem roubar e sequestrar da família.”

Bolsonaro elogia coordenador do Enem e critica doutrinação em escolas

Eduardo Bolsonaro reitera comentários do pai presidente e ressalta que estudantes ‘não precisam saber’ sobre feminismo e ‘História conforme esquerda’

Professores que votaram no Bolsonaro: Estão adorando de como estão sendo taxados?

Com coisa que todos os problemas no país fosse apenas doutrinação de direita ou esquerda que o povão não faz nem ideia do que seja.

All Out projeta ‘Somos LGBT+ e vamos resistir’ em prédios da Esplanada; veja imagens.


Projeção ‘Somos LGBT+ e vamos resistir’ em prédio do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, em Brasília.



Prédios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, receberam projeções com mensagens de apoio à população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais na noite desta quarta-feira (2).

Frases como “Somos LGBT+ e vamos resistir” iluminaram, durante 10 minutos, o Congresso Nacional, um muro na S1 próxima à Catedral Metropolitana e o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

A ação foi organizada por ativistas da organização All Out. O grupo desenvolve campanhas em defesa dos direitos LGBT e contra a criminalização de orientações sexuais e identidades de gêneros – que ainda ocorre em 70 países.

Após a projeção no Congresso Nacional, o ato foi finalizado com a chegada da Polícia Legislativa, conforme informou a gerente de campanhas da All Out no Brasil, Ana Andrade.

“Como era um protesto pacífico, decidimos encerrar. Demos nosso recado de resistência.”

‘Não estão sozinhos’



Projeção da ONG All Out, de defesa dos direitos da população LGBT, no Congresso Nacional, em Brasília.


Segundo o diretor de programas da organização, Leandro Ramos, as projeções buscam mostrar que pessoas LGBT “não estão sozinhos”. As frases foram projetadas um dia após a posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“O Brasil é um país extremamente violento para pessoas LGBT+. Com um presidente que diz preferir um filho morto a um filho gay, as perspectivas obviamente não são boas”, diz Ramos, em material divulgado pela ONG.




De acordo com dados da associação Grupo Gay da Bahia (GGB) – entidade que se dedica a fazer levantamentos sobre a violência contra pessoas LGBT –, o Brasil registrou 126 crimes violentos contra essas pessoas entre janeiro e abril do ano passado.


Mensagem ‘Somos trans e vamos resistir’ em tapume próximo à Catedral de Brasília.


Isso significa que, nesse período, a cada 19 horas, uma pessoa LGBT foi agredido ou assassinado no país. Segundo a entidade, 52% dos homicídios contra LGBTs no mundo ocorreram em solo brasileiro.

Poder� gostar tamb�m de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...