Slide 1 Slide 2 Slide 3

CONTOS DO LEITOR


Grécia Antiga – Conheça 3 contos homoeroticos que envolvem deuses e heróis


 

É impossível negar que a relação sexual entre duas pessoas do mesmo é uma característica muito real da espécie humana e também de outros animais dentro do planeta Terra. Tal feito é algo que acontece desde quando o mundo é mundo e somente alguns da nossa espécie entram em conflito, alegando que tal prática é pecaminosa.
Será que sempre foi assim?
Na Grécia Antiga, muitas coisas aconteciam de forma diferente se comparado hoje. Os rótulos homossexualidade e heterossexualidade eram palavras que não tinham o menor significado, uma vez que os gregos não concebiam a ideia de orientação sexual como um identificador pessoal.
De acordo com o estudioso William Naphy, em seu livro ”Born To Be Gay – A História da Homossexualidade”, o sexo entre pessoas do mesmo gênero não era sinônimo de imoralidade, doença social ou transgressão de qualquer lei humana ou divina, mas algo completamente normal.
Inclusive dentro da própria mitologia, deuses e heróis mostravam disposição para amar e ter relações sexuais com diversos indivíduos. O Cospe ou Engole separou 3 casos pra vocês conhecerem:

1. Aquiles e Pátroclo


Aquiles, guerreiro honrado e considerado o maior herói da Guerra de Troia, tinha como elemento essencial de sua força a amizade com Pátroclo. Este companheirismo masculino criou condições para que ambos se relacionassem sexualmente, uma vez que na Grécia a prática sexual estava ligada ao amor e prazer, enquanto casamento era apenas para procriação.

 

Com a morte de Pátroclo nas mãos de Heitor, Aquiles fica furioso e vinga seu amante. Em Tróia, filme lançado em 2004, o herói grego é interpretado por Brad Pitt e Pátroclo por Garret Hedlund. Mas calma, em uma sociedade heteronormativa eles jamais abordariam essa temática no filme, né?

2. Zeus e Ganímedes


Ganímedes, príncipe de Tróia, era famoso por trazer uma beleza rara, despertada na puberdade. De acordo com a mitologia, quando Zeus foi ao seu encontro, não resistiu e se apaixonou perdidamente pelo rapaz, transformando-se em uma águia e o raptando e mantendo como prisioneiro no Olimpo.
De acordo com estudos da Grécia Antiga, era extremamente comum um adulto se apaixonar por um jovem. Em Atenas, por exemplo, diziam que o homem mais velho daria segurança, sabedoria e educação para seu parceiro, enquanto o mais novo lhe proporcionava sua juventude e beleza.

3. Apolo e Jacinto


Apolo, considerado o deus mais popular e nomeado como protetor da arte, luz, medicina e também do esporte, costumava praticar atividades físicas nos ginásios com Jacinto, um mortal que o deus grego amava.
Enquanto Jacinto e Apolo treinavam arremesso de discos, Zéfiro, deus do vento e também apaixonado pelo mortal, quis acabar com a felicidade de Apolo, matando Jacinto com o disco que estava no céu, fazendo com que voltasse com força total ao seu rosto.
Em homenagem ao seu amante, Apolo criou, em Esparta, as Jacintas, festas e jogos em louvor a momentos felizes que Jacinto proporcionou ao deus.

São essas e muitas outras histórias que podemos contar a vocês sobre a Grécia Antiga.

Poder� gostar tamb�m de:
Postado por Mac Del Rey | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...