Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

‘Jardineiro assassino’ é condenado à prisão perpétua por matar oito gays.


Bruce McArthur se declarou culpado por oito homicídios de gays


Bruce McArthur, de 67 anos, ocultou restos mortais em suportes de vasos na propriedade de um dos seus clientes. Ele só poderá solicitar liberdade condicional quando tiver 91 anos.

Bruce McArthur, que ficou conhecido como “jardineiro assassino” de Toronto, foi condenado nesta sexta-feira (8) à prisão perpétua sem a possibilidade de obter liberdade condicional por pelo menos 25 anos pelo assassinato de oito gays entre 2010 e 2017.O juiz encarregado do caso, John McMahon, tinha que decidir se McArthur, de 67 anos, poderia solicitar liberdade condicional em 25 anos ou em 50, como pedia a Promotoria.

As leis canadenses estipulam que o assassinato em primeiro grau representa automaticamente uma condenação à prisão perpétua sem a possibilidade de solicitar liberdade condicional em 25 anos.

Dado que McArthur se declarou culpado de oito assassinatos em primeiro grau no último dia 29 de janeiro, a questão que tinha que o juiz decidir era se aplicava as oito penas de forma consecutiva ou simultânea.

McMahon explicou que McArthur terá 91 anos quando puder solicitar liberdade condicional, por isso é pouco provável que consiga sair da prisão.

O assassino, um jardineiro de profissão, matou oito gays de Toronto e ocultou os restos mortais das vítimas em suportes de vasos de grandes dimensões que armazenava na propriedade de um dos seus clientes.

McArthur foi detido em janeiro de 2018 após anos de rumores em Toronto sobre a presença de um assassino homofóbico em série ao qual era atribuído o desaparecimento de vários indivíduos.

A comunidade LGBTQI+ de Toronto criticou duramente a polícia da cidade, que durante anos negou a existência de um assassino em série que estava atacando gays.

O chefe de Polícia de Toronto, Mark Saunders, inclusive negou que McArthur fosse um assassino em série responsável pelos desaparecimentos no mesmo dia em que o jardineiro foi detido.

Ativistas LGBTQI+ denunciaram que a polícia só começou a investigar o caso a sério quando desapareceu Andrew Kinsman, de 49 anos, o único assassinado de raça branca.

As outras sete vítimas são de origem asiática e do Oriente Médio: Selim Esen, de 44 anos; Majeed Kayhan, de 58; Soroush Mahmudi, de 50; Dean Lisowick, de 47; Skandaraj Navaratnam, de 40; Abdulbasir Faizi, de 42, e Kirushnakumar Kanagaratnam, de 37.

A polícia ignorou McArthur inicialmente, apesar de o jardineiro ter sido condenado em 2001 por atacar a um garoto de programa com uma barra de metal.

Além disso, em 2016 McArthur foi interrogado depois que um homem o denunciou por ter tentado estrangulá-lo, mas a polícia decidiu não apresentar acusações contra o jardineiro.

Nesta sexta, os porta-vozes da polícia disseram que continuarão analisando casos sem resolução de pessoas desaparecidas nas últimas décadas para verificar se existe algum vínculo com McArthur.

Autoteste de HIV chegou ao SUS; confira aqui como conseguir.




Em janeiro de 2019, O Ministério da Saúde passou a distribuir autotestes de HIV gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Inicialmente, a oferta de autotestes irá acontecer como um piloto nas cidades do Rio de Janeiro, Florianópolis, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Manaus, São Paulo, Campinas, Santos, Piracicaba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo. A distribuição será ampliada para outras cidades de forma gradual ao longo de 2019.

O autoteste atualmente distribuído pelo Ministério da Saúde é o Action!, que possui uma tarja vermelha indicando que sua venda é proibida. Caso seja observada alguma intenção de venda, orienta-se denunciar na Ouvidoria (ligação para o 156 ou registrar neste formulário: http://ouvprod01.saude.gov.br/ouvidor/CadastroDemandaPortal.do ).



O autoteste Action! utiliza um pequeno quantitativo de sangue total obtido por punção digital. O resultado do teste é obtido entre 10 e 20 minutos. Detalhes em relação ao procedimento de testagem estão disponíveis na bula contida na caixa do produto (disponível também no site do fabricante) e no vídeo instrutivo disponível abaixo. É importante seguir rigorosamente todas as orientações descritas na bula do produto.

O fabricante possui um número de telefone gratuito (0800-887-1589) disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, para atendimento dos usuários com dúvidas em relação ao autoteste. Além disto, o usuário também pode entrar em contato com o disque saúde (136). Para saber aonde encontrar o autoteste, clique aqui: http://www.aids.gov.br/pt-br/autoteste/onde-obter-um-autoteste-de-hiv

Casal vítima de homofobia vence ação judicial contra pizzaria de Fortaleza.


Casal vence processo na justiça contra pizzaria de Fortaleza pela prática de homofobia.


O caso aconteceu em setembro de 2018. O casal teve a confirmação da vitória judicial nesta semana.

Um casal venceu, na última quinta-feira, 31, uma ação judicial que movia contra uma pizzaria de Fortaleza. Os dois foram vítimas de homofobia por parte de uma funcionária em 2018.

O caso aconteceu no dia 22 de setembro de 2018, quando o casal foi até a pizzaria Casa da Itália, no bairro Messejana. Na época, Thiago Sena, um dos envolvidos, contou que uma funcionária se dirigiu até a mesa em que ele e seu namorado estavam e pediu para que eles se “comportassem”.

“Meu namorado e eu saímos muito abalados, a sensação de humilhação foi muito grande”, desabafa Thiago Sena, 31, coordenador de marketing. De acordo com o relato, ele e Belchior Araújo, 25, seu namorado, jantavam em uma das mesas do restaurante quando a funcionária, sem pedir permissão ou licença, sentou junto a eles. “Ela sentou na mesa e pediu que nos comportássemos melhor, pois ali era um ambiente de família com crianças”, explica Thiago.

De acordo com Thiago, no momento em que foram abordados pela funcionária da pizzaria, os dois estavam apenas conversando. Ele chegou questionar em que eles estariam incomodando, no entanto, a funcionária ignorou.

Na época, uma das responsáveis pelo estabelecimento, Tiane Alves, informou ao que alguns clientes teriam reclamado do casal no ambiente. Segundo ela, a funcionária disse que um dos rapazes teria se alterado, e que tudo não passava de um mal entendido.

Thiago explicou que essa vitória não pertence apenas ao casal, e que, de certa forma, contribui para todos os que já passaram por essa situação. “Nós não estávamos fazendo nada demais, inclusive, já tínhamos ido lá umas três vezes e nunca tínhamos passado por isso”, conta.

Em uma publicação nas redes sociais, Thiago desabafa: “A fome por justiça foi até então nossa força. E essa vitória nos fez ver e acreditar que nossos tempos estão realmente mudando e para melhor. E que a luta continua, todo santo dia, por todos nós, LGBTQI+! Sabemos que não é fácil, mas que conseguiremos”.

O Gay1 tentou entrar em contato com a pizzaria Casa da Itália, mas, até a publicação da matéria, não obteve respostas.

Jovem é achado morto em SP uma semana após namorado, diz família.


Casal passava fim de semana em São Vicente, SP; namorado foi encontrado morto na segunda, 4. 


Irmão de Douglas Alcântara de Souza, de 29 anos, confirmou que o corpo do rapaz foi encontrado próximo ao Emissário Submarino em Santos (SP) no sábado (9).

A família de Douglas Alcântara de Souza, de 29 anos, confirmou neste domingo (10) que o corpo encontrado no sábado (9) preso entre as pedras do Parque Municipal Roberto Mário Santini, o Emissário Submarino, em Santos, no litoral de São Paulo, é do rapaz. Ele e o namorado desapareceram no dia 3 de fevereiro, após saírem para passear. O corpo do outro jovem foi encontrado no dia seguinte.

Douglas e Henrique Oliveira Falbo, de 22 anos, passavam o fim de semana no bairro Itararé, em São Vicente, quando desapareceram juntos. Eles estavam hospedados em uma pousada e foram vistos pela última vez em um quiosque da orla, por volta das 18h. Morador da Grande São Paulo, o casal estava junto há aproximadamente cinco meses.


Casal foi visto pela última vez em quiosque na orla de São Vicente, SP, no domingo, 3.


Na noite de segunda-feira (4), o corpo de Henrique, com sinais de afogamento, foi localizado por banhistas, próximo ao Canal 1, em Santos. Desde então, a família de Douglas estava em São Vicente acompanhando as buscas pelo rapaz.

Neste sábado, segundo informações dos bombeiros, o chamado às equipes ocorreu por volta das 10h, quando testemunhas que passavam pelo Emissário Submarino viram o corpo nas pedras. Um guarda-vidas que estava próximo foi acionado e, depois, pediu reforço.

A área precisou ser isolada, e equipes da PM também foram acionadas. A princípio, não houve como fazer a identificação devido ao avançado estado de decomposição. Mas, o irmão de Douglas, nas redes sociais, confirmou que o corpo encontrado era o do irmão.

“Confirmamos hj [sic] no IML, o corpo estava em fase avançada de decomposição, com isso a identificação não era fácil, e de todo corpo só deu pra conseguirem 2 pedaços de tatuagem. Quando o rapaz mostrou a primeira foto já reconheci a tatuagem do pescoço e confirmamos”, escreveu na publicação que fez em uma rede social.

Apesar da confirmação da família, o corpo ainda passará por exames para identificação das digitais e, se necessário, DNA, devido ao estado de decomposição. Ainda não há informação sobre velório e sepultamento.


Douglas Alcântara de Souza, de 29 anos, foi visto pela última vez no domingo (3), em São Vicente, SP. 

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...