Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Jean Wyllys é alvo de ovada durante palestra em Faculdade de Portugal.




O ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) foi alvo de um ataque de dois homens que tentaram atirar ovos contra ele. O fato aconteceu durante uma palestra na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, em Portugal, nesta terça-feira (26).

O episódio aconteceu cerca de 20 minutos após o início da fala do político que renunciou o cargo ao qual foi eleito. O autor, que estava na parte mais alta do auditório, desceu alguns degraus. A Segurança reforçada, percebeu a movimentação e fechou o cerco contra o rapaz que tinha uma caixa de ovos nas mãos.

Ele chegou a arremessar um ovo na direção de Wyllys, que acabou sendo desviado por um segurança do ex-deputado, que se colocou na frente.

Depois disso, um segundo homem também ficou de pé com outra caixa de ovos também sendo imobilizado pelos seguranças. Um terceiro envolvido que apontava para Wyllys e participava da ação, também foi retirado do local.

“Não peçam para tirar. Nunca tive medo dos covardes. Qualquer fascista covarde que queira se manifestar, em vez de atirar ovos ou tiros, por favor, vamos aos argumentos. Levantem-se, manifestem-se, falemos”, afirmou Jean Wyllys, logo depois do incidente.

Confira o momento que é jogado o ovo em Jean Wyllys:



Veja a programação dos blocos LGBT do carnaval 2019 no Rio de Janeiro.


Camarotes, blocos e festas agitam a programação LGBTQI+ no carnaval do Rio.


Seja na Sapucaí ou pelas ruas, as atrações do carnaval do Rio destinadas ao público LGBTQI+ são as mais variadas possíveis. Com a bandeira da diversidade levantada, a programação do ‘carnaval gay’ na cidade entra em efervescência nos dias de folia.

Veja as opções que o Gay1 listou:

Quinta-feira, 28 de fevereiro

Bloca Xerecanto – Igreja Lesbiteriana

Sapatões, uni-vos em oração para este culto que acontece no Morro do Pinto, Santo Cristo.
Onde: Morro do Pinto
Horas: 19:00
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/395284001032267/
Sexta-feira, 1º de março
Minha Luz é de Led

Querido por nerds e LGBTs. Os integrantes envolvem o corpo com fios com luz de led e brincam o Carnaval com um cardápio sonoro eclético. Funk, axé, sertanejo, pop. O bloco não divulga antecipadamente data, local e horário. Portanto, para ir atrás do bloco é preciso ficar atento à página facebook.com/minhaluzled.
Sábado, 2 de Março
Banda de Ipanema

Um dos blocos mais tradicionais do Rio de Janeiro. Desfila no bairro mais ‘gay do Rio’ e isso já diz muita coisa.
Onde: Praça General Osório
Horas: 17:30
Evento no Facebook:
Domingo, 3 de Março
Toco-Xona

Bloco formado apenas por mulheres lésbicas.
Onde: Aterro do Flamengo
Horas: 10:00
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/663136957484409/
O Rebu

O bloco lésbico traz no repertório músicas de cantoras brasileiras lésbicas, marchinhas, samba, rock e axé. Para ter um ambiente mais seguro, o local é divulgado na véspera do evento no facebook no link: facebook.com/events/326827814615402/
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/326827814615402/
Bloco dos Mavambos

Festa na rua mais LGBT da Zona Norte.
Onde: Travessa Almerinda Freitas (Ruazinha), Madureira
Horas: 21:00
Segunda-feira, 4 de Março
Bloco Sai, Hétero

O Bloco nasceu com uma brincadeira de carnaval para responder o preconceito, trazendo liberdade de expressão a todxs e principalmente no carnaval.
Onde: Local é divulgado no Instagram no dia evento @blocosaiheterorj
Horas: 18:00
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/653483978402219/
Bloco da Mara

A festa LGBT na periferia que reúne o maios número de pessoas ganha a sua versão carnavalesca em Madureira.
Onde: Madureira
Horas: 17:00
Bloco da Eclética

Uma banda ao vivo vai tocar o melhor do pop, MPB e funk.
Onde: Rua do Mercado, Centro
Horas: 15:00
Terça,-feira, 5 de Março
Saymos do Egyto

Arrase no glitter para atravessar o Saara no Carnaval. No repertório, clássicos da música baiana e hits do pop.
Onde: Largo do Boi do Tolo
Horas: 17:00
Fervo da Lud

Uma das estrelas do pop e do funk brasileiro, Ludmilla vai fazer o Centro do Rio tremer com os hits “Cheguei” e “Não Encosta”.
Onde: Rua Primeiro de Março, Centro
Horas: 08:00
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1216220975219574/
Bangay

O bloco desfila nas ruas de Bangu com trio elétrico e 30 ritmistas. Não ficam de fora integrantes tradicionais do Carnaval carioca: mestre-sala e porta bandeira, passistas, muso e musa. O Bangay levanta a bandeira da diversidade trazendo travestis, transexuais e drag queens em destaque.
Onde: Rua Rio da Prata
Horas: 20:00
Sábado, 9 de março
Bloco das Poderosas

Anitta promove mais uma edição do bloco que leva centenas de milhares de pessoas às ruas do Centro da cidade. Não vão faltar os grandes hits da artista como “Sua Cara” , “Vai Malandra” e “Bang”.
Onde: Rua Primeiro de Março, Centro
Horas: 07:00
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1965328203590497/
Bloco Mais Glitter Por Favor

As closeiras vão em peso no Mais Glitter! As montações são destruidoras. O bloco de música pop promete 14 horas de festa que começam na rua, de graça até o fim da noite.
Onde: Rua do Mercado, Centro
Horas: 15:00
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/2081429875481365/

Funcionária processa rede de supermercados após ser obrigada a utilizar banheiro masculino.


Funcionária Thays Cyriaco foi obrigada a usar banheiro masculino por parecer homem


Uma auxiliar de limpeza da rede Makro, afirma ter sido obrigada pela sua supervisora a utilizar o banheiro masculino durante cinco meses. O motivo para a ordem seria o fato dela ter uma aparência que lembre de um homem, mesmo se definindo como mulher.

Thays Cyriaco, de 30 anos, disse que foi obrigada a utilizar o sanitário que não condizia com a sua identidade de gênero. “Eu sou mulher, mas uma promotora do supermercado me viu no banheiro feminino e reclamou com a gerente de Recursos Humanos. No dia seguinte, minha supervisora me procurou e disse: ‘Já que você parece homem, vai ter que usar o banheiro masculino’. Eu retruquei. Disse que era mulher e que não queria, mas ela foi irredutível”, contou em entrevista ao UOL.

A funcionária disse que só conseguiu reverter a situação após entrar com um processo, na semana passada, contra a rede de supermercados. A medida causou constrangimento entre ela e os colegas, que passou a evitar o uso do banheiro por causa disso.

“Eu me sentia péssima. Evitava ao máximo. Passava o dia com vontade de fazer xixi, mas tentava aguentar até em casa. Quando ficava impossível, corria para o banheiro adaptado e rezava para que estivesse vazio. Foram cinco meses de sofrimento”, desabafou.

Cyriaco disse que após passar por tudo não recebeu um pedido de desculpas, nem explicações do estabelecimento. “Todo mundo me olha torto. A situação só piora”, lamentou.

A resposta do Makro

Em nota, a rede de supermercados Makro informou que foi dado início a uma apuração para esclarecer os fatos. “O Makro não admite qualquer tipo de discriminação ou preconceito e reitera que acatou de imediato a decisão da liminar. Como parte dos seus valores e de sua política, a rede reforçará seu posicionamento junto aos funcionários e quadro de fornecedores, enquanto avança nas investigações mediante os novos fatos apresentados.”

Mulher transexual é agredida após pedir um isqueiro emprestado em Niterói.


Mulher transexual denuncia agressão de grupo em Niterói


Um vídeo com o relato de uma mulher transexual após sofrer um ataque de homens começou a circular nas redes sociais. O episódio teria ocorrido no último domingo (24), em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Segundo Lua Guerreiro, as agressões teriam se iniciado após ela pedir um isqueiro emprestado em uma barraca. A vítima contou que retornava para casa com amigos, quando um vendedor do estabelecimento a destratou.

Logo as agressões verbais se tornaram físicas e outros homens se juntaram ao comerciante dando início à confusão. Ela afirma que chegaram a quebrar uma cadeira em sua cabeça durante a sessão de pancadaria. O episódio aconteceu na Cantareira, uma praça cheia de bares na Zona Sul de Niterói. 

À caminho do hospital Azevedo Lima, localizado na mesma região, a roteirista gravou o vídeo que viralizou nas redes. Segundo informações do G1, ela ainda foi destratada pela enfermeira da Unidade de Saúde que teria zombado do seu nome social. “No Hospital Azevedo Lima, uma enfermeira fez piadas com meu nome social, me tratou no gênero errado e discutiu com minhas amigas que tentaram me defender”, contou.

Lua foi até a 76ª delegacia, no Centro de Niterói para registrar queixa e passou por mais uma situação embaraçosa. Ela foi obrigada a prestar depoimento junto com alguns dos agressores que a xingaram. Ela contou que nenhum policial foi capaz de encaminhá-la a um local mais reservado. Além disso, a vítima contou que demorou tanto a ser atendida, que decidiu ir embora para escapar daquela situação. Até o momento a DP não comentou o caso.

Travesti é morta a tiros na Região Metropolitana de Fortaleza.


Travesti Ana é morta a tiros em Pacatuba, no Ceará


Uma travesti foi morta a tiros na noite desta terça-feira (26), em Pacatuba, Região Metropolitana de Fortaleza. O crime aconteceu no bairro de Alto de São João.

De acordo com o G1, testemunhas afirmaram ouvir cerca de três disparos minutos antes do corpo da vítima ser encontrado no chão.

Ainda segundo a publicação, a polícia identificou a travesti como Anacleto Patrício Lima, que é conhecida nas redondezas como Ana.

Não há mais informações sobre sobre o autor dos disparos e o que levaria a motivação para o crime. O caso está sendo investigado pela Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Poderá gostar também de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...