quarta-feira, março 13, 2019

CONTOS DO LEITOR


O Entregador
A pizzaria onde sempre peço contratou um novo entregador. Um dia ele aparece na minha porta de calça jeans e uma camiseta regata branca que me deixou louco.
por Ricardo Lemos

 

Sempre peço pizza no mesmo lugar e ultimamente reparei que trocaram o entregador. Esse novo é estilo “camarão”, ou seja, feio de rosto, mas tem um corpo muito gostoso. O cara é grandão e todo forte.
Uma noite estava com preguiça de fazer algo para comer e então pedi uma pizza pelo aplicativo. Passaram-se uns 30 minutos e o interfone tocou. O porteiro anunciou que era o entregador, autorizei a subida do cara e fiquei aguardando a campainha tocar.
Quando ele finalmente tocou a campainha e fui abrir a porta, fiquei boquiaberto. O cara estava com uma regata branca e calça jeans. Eu nunca o tinha visto com aquela roupa. Sem querer soltei um: “Nossa...”
Ele sem entender nada me perguntou se tinha algo errado. Eu disse que muito pelo contrário, que eu estava era muito contente com os serviços da pizzaria, pois o serviço de entrega era muito rápido. Ele deu um sorrisinho, me entregou a maquininha do cartão, digitei a senha e disse que não precisava da minha via. Despedimo-nos, fechei a porta e já estava me preparando para comer quando a campainha toca novamente. Abro e era ele com a minha via do cartão.
Segundo ele, era norma da empresa retirar e entregar a via do cliente. Agradeci e peguei o comprovante. Depois que fechei a porta e entrei, reparei que atrás do papel tinha escrito o nome e o telefone do safado. Na hora meu pau ficou duro só de imaginar as coisas que eu faria com aquele cara.
Trocamos algumas mensagens e marcamos de ele ir na minha casa. Bati muitas punhetas até chegar o grande dia.
Na data marcada, quando o interfone tocou, já estava de pau duro. Quando abri a porta e vi aquele cara enorme, novamente de regata e agora com bermuda tipo moletom, fiquei louco. Ele entrou, nos sentamos no sofá, conversamos uns cinco minutos e já partimos para os beijos.
 
Era muito tesão acumulado. Ele sentou e eu já sentei por cima dele sem camisa. Os beijos eram bem vorazes e ele começa a lamber meus mamilos. Nessa hora fiquei louco.
Tirei a camisa dele e fiz o mesmo, o cara gemia de prazer. Então tirei minha bermuda e a dele, ficando os dois só de cueca. Fiquei de pé na frente dele, ele então abaixou minha cueca e caiu de boca no meu pau. Chupava feito um bezerro, nunca alguém tinha me chupado tão gostoso.
 
Não resisti, pedi para ele parar, me ajoelhei e comecei a mamar o pau do puto. Era um pau muito bonito. Ele então disse que estava com muito tesão, e que já queria gozar. Novamente fiquei de pé, pedi pra ele se ajoelhar e me mamar. Ele chupou graciosamente e então gozei feito um louco no peito dele.
Depois pedi para ele ficar de pé, fui por trás e enquanto apertava seu mamilo com uma mão, batia uma punheta pra ele com a outra. Não demorou e vários jatos de porra saíram do pau dele.

 
Perguntei como estava o tempo dele naquele dia e ele falou que havia reservado o dia todo para mim. Tomamos um banho e eu não parava de admirar o corpo daquele cara. Sentamos os dois de toalha no sofá. Ofereci a ele sorvete, e enquanto tomávamos me veio várias ideias loucas na cabeça. Então, por impulso, tirei a toalha dele, coloquei sorvete na boca e comecei a chupar o pau dele. O cara gemia muito, e falava que esta era a sensação mais louca que já tinha sentido.
Não demorou muito o pau dele já estava duro dentro de minha boca. Não perdi tempo, coloquei ele de quatro no sofá, joguei uma colher de sorvete no rabo dele e comecei a chupar. O cara urrava de tesão e pedia para eu fuder o cuzinho dele. Lógico que eu iria fazer o que ele estava pedindo.
Fomos para o quarto, nos beijamos mais um pouco, coloquei a camisinha e pedi para ele ficar de quatro na cama. Eu de pé e ele de quatro, aos poucos fui penetrando o safado que gemia de prazer. Quando entrou tudo, dava umas socadas bem leves, pois gosto de sentir bem o cuzinho dos caras com quem eu meto. Depois de uns minutos nessa posição, pedi para ele ficar de frango assado, e enquanto eu metia, beijava aquela boca deliciosa e olhava aquele corpo gostoso sobre a cama.
 
Ele então pediu para sentar no meu pau. Fiquei na beirada da cama, ele veio e sentou de costas para mim, que delícia! Ele subia e descia com uma maestria fantástica. Enquanto isso eu o masturbava e apertava seus mamilos.
Ficamos nisso alguns minutos, quando ele disse que não aguentava mais e queria gozar. Novamente o coloquei de joelhos, tirei a camisinha e pedi para ele chupar, ele mamou muito gostoso e pediu para beber o leite. Lógico que deixei, e o safado engoliu até a última gota.

 

Deitei na cama e pedi para que ele ficasse sobre mim. Nos beijamos e enquanto ele se masturbava com meu pau roçando na bunda eu apertava seus mamilos. Não demorou muito e ele encheu meu peito de porra.
Nos abraçamos e trocamos uns beijos. Fomos ao banheiro, nos limpamos e quando voltamos para o quarto, acabou que dormimos de tão cansados. Acordamos com o celular dele tocando. Era o chefe dele, já estava na hora de ir trabalhar. Nos despedimos e ainda hoje rola um sexo gostoso entre nós dois. Às vezes ele traz um amiguinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário