Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Escola na Inglaterra suspende aulas depois de chilique de pais muçulmanos.




A Parkfield Community School foi forçosamente obrigada a suspender as aulas até depois da Páscoa. O incidente ocorreu na cidade britânica de Birmingham, uma região dominantemente muçulmana. A escola primária engloba cerca de 740 alunos e foi tomada por uma atmosfera de tensão após o ocorrido.

O projeto escolar que visa perpetrar um temática LGBT e, por conseguinte, minimizar preconceitos, foi duramente criticado por pais muçulmanos. Segundo eles, a homossexualidade estava sendo agressivamente ensinada aos seus filhos, e o ataque colérico atingiu até o vice-diretor da escola Andrew Moffat, que é homossexual e recebeu ameaças.

Para quem não sabe, a sharia é o nome dado ao conjunto de leis islâmicas. Seus preceitos são baseados no alcorão, ou seja, a religião costuma ser atroz com mulheres e LGBTs. Não existe separação de credo e política.

Contudo, a reação dos pais é reflexo de princípios aprendidos desde a mais tenra infância. Mas um muçulmano não tem legitimidade de impor sua cultura a outra pessoa, Já que na Inglaterra a homossexualidade é legal desde 1967, o que ele pode fazer é tirar o filho da escola. Vale salientar também que, o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi regulamentado no país em 2013.

Portugal está em primeiro lugar no ranking mundial de países mais gay friendly.




Os países mais friendly ??para os turistas LGBT+ são o Canadá, Portugal e Suécia, de acordo com um recém-divulgado índice de viagens Spartacus Gay Travel para 2019. Os três países empataram para o topo do ranking, e 13 países – quase todos na Europa – empataram em quarto lugar.

O índice classificou 197 países com base em 14 critérios, incluindo leis anti discriminatórias, leis sobre casamento e parceria civil, leis de adoção, direitos transgéneros e perseguição.

Portugal ascende assim ao primeiro lugar neste ano. Foi um grande salto em relação ao ano passado, quando o país ficou em 27º lugar no índice. Portugal, Canadá e Suécia receberam uma nota máxima este ano no critério das leis anti discriminatórias.

Os Estados Unidos ficaram em 47º lugar compartilhado com outros nove países: Bermuda, Bósnia-Herzegovina, Chile, Costa Rica, Croácia, Cuba, Macau, Seychelles e Tailândia.

Os EUA estão a cair constantemente nos rankings desde a tomada de posse de Donald Trump. Ficaram em terceiro lugar em 2017 e caíram para o número 39 no ano passado, quando o Spartacus International Gay Guide apontou as “tentativas de reduzir os direitos dos transgéneros nas forças armadas” do presidente Trump como um factor importante para o declínio.

A nação menos amigável é a Chechênia, número 197, que está envolvida, segundo o Guia Gay Internacional de Spartacus, em “perseguições organizadas pelo Estado e assassinatos de homossexuais“.

Os cinco últimos são os da Somália, Arábia Saudita, Irã e Iêmen. Todos os cinco receberam notas negativas por assassinatos e sentenças de morte envolvendo a comunidade LGBT+.

Vídeo com pornografia postado por Bolsonaro é denunciado.




Twitter usa filtro de "conteúdo sensível". Presidente pergunta o que é "golden shower".

Um tuíte do presidente Jair Bolsonaro, no qual ele mostra um vídeo com pornografia, está sendo criticado por internautas, que agora pedem que todos denunciem a publicação. Até o momento, o Twitter não removeu o conteúdo, mas a publicação recebeu um filtro alertando que é um “conteúdo sensível”. 

Na noite de ontem (5), Bolsonaro postou um vídeo de um homem se masturbando no meio da rua, durante um bloquinho de carnaval. O intuito da postagem é “alertar” o que foliões andam fazendo por aí para a população “sempre tomar suas prioridades”.

?É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”, resume o presidente sobre a tradicional festa, em todo o Brasil, com um único e isolado vídeo.

Rapidamente vieram críticas de opositores e até mesmo dos próprios bolsonaristas. Apelidaram o presidente de “fiscal do Carnaval” e sugeriram a Bolsonaro se preocupar com assuntos relacionados à população. 

O Twitter considera conteúdo sensível qualquer mídia que seja pornográfica ou destinada a causar excitação sexual, como nudez total ou parcial (closes dos órgãos genitais, nádegas ou seios), simulação de ato sexual ou relação sexual.

Tais conteúdos não são barrados pela rede social, mas devem ser marcados como mídia sensível, que é uma espécie de filtro alertando ao usuário que a imagem ou vídeo pode conter algum destes casos citados acima.

Isso não foi feito inicialmente no vídeo postado por Bolsonaro. Segundo a Folha, só depois de duas horas a publicação foi colocada na marcação de conteúdo sensível.

Pela manhã, o assunto ainda era um dos mais comentados no Twitter. Pela hashtag #ImpeachmentBolsonaro, usuários alertaram que a divulgação de conteúdo impróprio na conta do presidente é considerado um crime de responsabilidade. 



Outras hashtags mais comentadas sobre o assunto, como #VergonhaDessePresidente e #GoldenShowerPresident, também brincam com a situação ? inclusive Bolsonaro chegou a perguntar o que era esse tal de “Golden Shower”. 

Em resposta, outros usuários criaram a hashtag #BolsonaroTemRazao para defender o presidente. 

Até o momento, o Twitter não retirou o conteúdo postado por Bolsonaro, e outras postagens do presidente continuam sendo publicadas normalmente. 

Bloco 'Bolsominions' reúne um total de 0 foliões em SP.




Um bloco chamado Bolsominions se inscreveu para agitar o Carnaval da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, na tarde deste domingo (3), mas ninguém apareceu. A informação é da Folha de S. Paulo.

De acordo com a programação oficial da prefeitura, o evento estava programado para começar às 15h na rua Aspicuelta, entre as ruas Harmonia e Girassol. O jornal informa, porém, que não encontrou foliões no local nesse horário.

O Bolsominions não tem perfil nas redes sociais ou mesmo evento oficial no Facebook, o que deixa a dúvida se o bloco tinha como objetivo reunir foliões a favor ou contra o presidente Jair Bolsonaro.

Segundo apuração da Folha, quem passou pelo local procurava por outro bloco, o Lets Block, que tinha como ponto de encontro a rua Harmonia.



No Twitter, a ausência de foliões no bloco Bolsominions virou motivo de piada.

Defensora diz acreditar que STF vai equiparar a homofobia ao crime de racismo.




O STF iniciou este mês a votação para decidir se a homofobia será enquadrada como crime de racismo. A questão foi levantada, com o argumento de que o congresso é omisso perante esta pauta. Racismo seria a inferiorização de um grupo em detrimento de outro, exatamente o que ocorre com LGBTs. A votação conta com quatro ministros a favor, o que denota ares de progressismo.

A defensora pública Kelly Cristina, que atua no Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual, manifestou-se a respeito. “Na realidade ele não vai tornar crime, porque ele só pode ser criminalizado efetivamente pela legislação penal, aí quem tem que fazer isso é o nosso Legislativo. É isso que as duas ações que estão tramitando pedem. Que seja declarada a omissão do Poder Legislativo em efetivamente criminalizar. O que vai passar a ser adotado daqui para frente é que, com a decisão do STF, se votarem conforme o ministro relator Celso de Melo, a prática da discriminação contra os integrantes desta classe em geral vai ser equiparada ao crime de racismo”, explicou.

“A pena do racismo é prisão. Quem praticar homofobia vai responder a um processo criminal, vai ser aberto um inquérito, responder a uma ação penal, ser condenado, e com isso vai ter pena. Praticando o crime, que não vai chamar homofobia, vai ser crime de discriminação racial, será punido”. Findou.

Kellly acredita que este processo não vai demorar muito para ser findado. Pois a omissão do congresso já veio à tona, eles não podem se esquivar por muito tempo. Aliás, há muitos anos é pedido uma punição severa, cujo intento é conter práticas homofóbicas.

A homofobia vai diminuir?

“Eu acredito que a prática não vai acabar, a discriminação não vai acabar, porque o ser humano é preconceituoso, não somente na situação da orientação sexual do indivíduo, o ser humano é preconceituoso em vários sentidos. Mas eu acredito que vai inibir, porque ninguém vai querer ir preso, ainda mais por uma discriminação que vai depender só de si mesmo. E a pena é severa, então eu acredito que vai inibir sim. Mas infelizmente a nossa sociedade ainda não está preparada para que isso acabe, mas inibindo a gente já vai ter uma grande vitória, porque o que é direito fundamental tem que ser preservado”.

“Crenças e ideologias não devem justificar violência”, defende jurista sobre julgamento do STF.


Dimitri Sales


A possibilidade da criminalização da LGBTfobia tem gerado debates cada vez mais fundamentados e calorosos acerca do assunto. A decisão está nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF), que começou votação na quarta-feira (13). Em entrevista ao Brasil 247, o presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos de São Paulo (Condepe), Dimitri Sales, expôs sua opinião.

“Não se admite agressões a negros em razão da cor da sua pele, tanto quanto não se admitirá violências contra travestis em razão da sua identidade de gênero. Atos de discriminação e crimes de ódio passam a ter a mesma repreenda do Estado, pois todas estas vidas passam a ser consideradas, agora materialmente, iguais em dignidade e direitos“, explicou Dimitri.

Além disso, o jurista desta que, com a criminalização da LGBTfobia, será possível que o Estado identifique as razões das violências. A partir disso, poderá adotar políticas públicas mais efetivas de prevenção. Ao mesmo tempo, a Polícia Civil, Poder Judiciário e o Ministério Público poderão ser instrumentalizados do que for necessário para combater esse ódio.

Ele destaca, ainda, que a mudança poderia levar foco ao caráter pedagógico. Isso porque o diálogo entre o Estado e a sociedade seria renovado, agora centrado no respeito à diversidade.

“Isso leva para o espaço público a responsabilidade pela preservação dos direitos da população LGBTI, compartilhando esta mesma responsabilidade com o agente público e com o cidadão comum, seja um policial militar ou um pastor evangélico. Crenças, opiniões, ideologias que sejam contrárias aos direitos LGBTI não poderão mais justificar violências de qualquer natureza, passando a possibilitar a construção de um novo espaço de convivência efetivamente plural. É uma tarefa difícil, mas, pelo menos agora, passa a ser possível“, finalizou Dimitri Sales.

Jean Wyllys revela se já sabe a origem das ameaças de que foi alvo.




Já é do conhecimento de todos que, Jean Wyllys abandonou seu mandato de Deputado Federal e exilou-se no exterior. Isto em decorrência de uma séria de ameças que, supostamente, estaria recebendo. O Deputado foi eleito pela primeira vez em 2010. Contudo, há uma diferença gritante entre os votos recebidos em 2010 e nesta eleição.

Não obstante, Jean faz parte da história desta nação, pois foi o primeiro homossexual assumido a lutar pela causa LGBT no congresso. Vale frisar que, Clodovil Hernandes também foi deputado, entretanto, sempre se intitulou conservador acerca dos costumes. Já revelou, inclusive, ser contra gays se casarem na igreja.

O deputado Brasileiro eleito pelo PSOL, Jean, revelou se afugentar em outro país devido as constantes ameças de morte e as campanhas delirantes que a oposição organizava para difamá-lo. No momento reside em Berlim, dedica-se a vida acadêmica e ambiciona findar o seu livro.

O Ex-deputado, conversou com a visão em sua passagem por Portugal, e respondeu uma série de indagações: Se ainda se sente ameaçado ou se já cogitou residir em Portugal. Quando interpelado sobre a origem das ameaças que o acomete, ele enfatizou: “Não. Nunca foi feita uma investigação, apesar das inúmeras denúncias que fiz à polícia federal. Nunca investigaram de onde vinham essas ameaças ou quem financiava as campanhas difamatórias contra mim. E uma coisa não está dissociada da outra. Mesmo quando a Comissão Interamericana de Direitos Humanos entrou com um pedido de medidas cautelares, porque avaliou todas as provas e reconheceu que eu corria grave risco de vida, juntamente com a minha família, não houve uma investigação”, respondeu.


Poder� gostar tamb�m de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...