quarta-feira, abril 03, 2019

CONTOS DO LEITOR


O Massagista da minha tia
(Final)



PARTE II: http://www.homensquentes.com.br/2019/03/contos-do-leitor_27.html



Tive a impressão que Vanderlei parecia estar muito tempo sem gozar. Saiu muito esperma dele, muito além do que eu esperava e foi difícil conseguir atender seus apelos para beber tudo, pois escorria um pouco pelos cantos da boca.
O cara era todo cheio de atitude. Ele se transformou num perfeito macho, assumiu uma postura autoritária e me dominou de forma violenta. Parecia não se importar com nada. Parecia não querer saber se eu iria engasgar e praticou sexo com minha boca de uma forma brutal. Ele literalmente me castigou.
Continuei fazendo carinho com minha língua naquela pele deliciosa, enquanto ele me olhava com um ar de enorme prazer e contentamento. E seu pau continuava completamente ereto. Ele me puxou pra levantar, sentei-me na cama olhando seu rosto sorridente e fui abraçado com muito carinho.
Novamente, outra transformação, pois ele me olhou fixamente, aproximou seu rosto do meu, ficou parado me olhando, até que caímos num delicioso e demorado beijo. Sentia seu pau babado deslizando em minha barriga, produzindo cócegas, porém ele não parava. A essa altura, sabia que se eu reclamasse, ganharia nova repreensão por reprimir minhas sensações e tentei exercer uma espécie de controle para aguentar aquela rola me maltratando. Era complicado lidar com o que sentia, mas até conseguia e era bom demais. Saímos do beijo, ele continuava com o mesmo olhar másculo e sorridente e falou:
- Confesso que foi além do que eu esperava. Foi forte demais. Desde o primeiro momento senti uma forte atração por você e tentei reagir contra. Senti algo louco que não sei explicar e fiquei desesperado quando você saiu rápido do prédio da sua tia. Peguei o carro correndo e tentei te encontrar até que te vi parado na esquina. Não sabia como lhe abordar e inventei de dizer que ia pro centro da cidade. Você tem algo que me provoca um sentimento muito forte. Seu rosto é muito expressivo e seu corpo me enlouquece. Depois, fico louco com esse lance de sexo oral. Ainda por cima, nunca tinha sido tão bom quanto isso que aconteceu agora. Vem comigo. Vamos tomar um banho. Não sei como é sua vida, mas se precisar você liga e avisa que não voltará pra casa hoje. Quero que fique comigo essa noite. Por favor, aceite meu convite. Saímos do quarto e fomos pro banheiro.
O banheiro do Vanderlei era um caso à parte, pois além de ser muito bonito e com uma enorme banheira de hidromassagem, havia uma prateleira cheia de produtos cremosos e oleosos. Ele se voltou pra ela, olhou pacientemente, pegou três vidros e falou pra eu entrar na banheira e esperar ele pegar o som. Enquanto eu o esperava, fiquei admirando o banheiro que era muito maneiro.
- Pronto! Peguei outro CD. Curte Elton John? Não quero te cansar com meus discos. Depois, acho esse disco um barato, mas quero mesmo é lhe agradar, será que você gosta? – Ele ligou o som e começou a tocar Your Song que eu simplesmente adoro. Adoro!
- Adoro essa música, mas seu gosto é bem legal e não estava me incomodando. Cara seu banheiro é demais! Muito lindo e essa banheira é enorme. – Falei me sentando nela.
- Quem falou pra você sentar? Nada disso! Preciso que fique de pé pra poder lhe passar o óleo. Esse aqui pra lhe aquecer o corpo e abrir os poros. Sente só! Vê se gosta. Fica solto pra minhas mãos deslizarem sobre todo seu corpo. – De novo o Vanderlei estava me massageando com suas pegadas firmes e sempre numa velocidade louca. O mais interessante é que ele fazia aquilo com muito carinho. Seu olhar doce me cativava cada vez mais.

 
- Agora passa em mim. Coloca mais nas mãos. Isso! Deixa eu ligar a água e me diz se a temperatura está boa pra você. Assim! Ai! Que gostoso sentir isso. Poucas vezes tenho essa oportunidade e quero sentir suas mãos. Elas são deliciosas, sabia? Pega com mais força. Pode apertar que é muito gostoso. Nossa! Que delícia. – Puta que o pariu! Que coisa gostosa. A banheira enchendo, o vapor subindo, nossos corpos deliciosamente lubrificados, a música tocando e os dois totalmente entregues a um momento de intenso prazer.
- Bruno, você é demais! Suas mãos são maravilhosas! Vem! Senta! Isso! Vem cá, me abraça. Isso, garoto! Assim. Solta o corpo e sente. Que delícia cruzar nossas pernas. Sente nossos corpos deslizando. Ai! Que gostoso você! Que tesão! Olha como estou! Gosta? Tá vendo? Quer ele? Quer sentir dentro de você? Quer me dar esse prazer? Aqui, dentro d’água você não vai sentir dor alguma. Prometo! Vou passar outro óleo em você bem aqui. Aqui! Oh! Que gostoso seu cuzinho. Isso! Deixa eu passar esse óleo aqui. Esse é bem mais encorpado e não sai com a água. Tá sentindo? Isso, geme gostoso. Ai, que delícia quando você geme assim. Continua assim, Bruno! Tá gostando do que estou fazendo? A água tá gostosa? Tesão você! Vai, cara. 

 
Geme mesmo tesão. Você está me deixando louco pra saborear suas entranhas. Vai deixar eu te sentir? Você quer? Quer mesmo? Vou lhe penetrar assim, nessa posição olhando pra você e vendo suas expressões. Será que você vai gostar? Hum, que carinha de prazer é essa? Me beija – Noooossaaaa! Vanderlei havia passado um óleo delicioso bem no meu cuzinho e enfiado o dedo de uma forma deliciosa.
E fez horrores com aquele dedo provocando-me sensações incomuns. E com a outra mão ele me acariciava o corpo todo. Eu estava arrepiado totalmente imerso dentro de uma água deliciosamente quente. Um virado de frente pro outro, minhas pernas sobre as dele e seu membro totalmente ereto em baixo d’água. E eu sentia uma vontade louca de mergulhar e voltar a lhe dar prazer com minha mamada suculenta. Aliás, eu queria tudo naquele momento.
Queria sentir suas mãos, seus abraços e beijos, seu membro na minha boca e no meu cuzinho. Era um prazer intenso que ele insistia em narrar com aquela voz aveludada que demonstrava que ele também estava se deliciando comigo. Aquele pau em ponto de bala era a maior prova que ele me dava que estava curtindo minha presença, meu corpo e minhas mãos que insistiam em lhe percorrer o corpo todo também. E ele só tirava o dedo para pegar mais óleo e me lubrificar as entranhas. Eu me arreganhava todo pra lhe facilitar a passagem.
- Pega você o outro vidro. Vira e espera o óleo descer e depois passa ele aqui. Aqui! Olha como ele está! Tá vendo? Você vai passar esse óleo espesso nele e depois vai sentir dentro de você. Vou lhe penetrar tudo e você não vai sentir dor. Quero que você sinta prazer junto com o prazer que vai me dar. Nossa! Estou louco pra meter em você, Bruno. Você me quer também? Diz que quer! Que quer sentir isso aqui dentro de você. Quer? É? Quer? Isso! Vem! Vem, safado! Assim! Ai, Bruno! Isso! Pega nele! Assim, gostoso!
Nossa! Vai com calma. Ai, rapaz. Que delícia essa posição. Devagar pra você não sentir dor. Ahhhh! Tá entrando! Devagar, rapaz! Calma! Ai! To sentindo entrando! Fshuuuu! Assim! Que delícia! Tá entrando! Isso! Senta devagar! Ai, cara! Que posição deliciosa é essa? Vou lhe foder gostoso. Sente ele entrando em você. Que coisa gostosa! Você é uma delícia! Isso, geme gostoso. Você me deixa louco com seu gemido. Tu geme muito gostoso. É ele que tá te fazendo gemer assim? É? Tá gostando? Assim! Relaxa o corpo. Agora, vem cá.
– Eu havia empurrado o Vanderlei pra trás, fazendo com que ele praticamente se deitasse dentro da banheira. Isso fez aquela vara ficar bem exposta. Em seguida, comecei a me posicionar sobre seu corpo e encaixei seu pau em meu cuzinho. Fui descendo e sentindo somente prazer. Queria descer e meter tudo, mas ele me barrava demonstrando preocupação com alguma dor que eu não sentia. O pau dele entrava com certa dificuldade por causa do óleo muito viscoso, o que aumentava muito o prazer. A água relaxava nossos corpos e impedia que eu aumentasse a velocidade.
O Vanderlei estava me entorpecendo de prazer. Até que pegou em minhas pernas levando-as de encontro ao meu tronco, fazendo-me ficar de frango assado dentro daquela banheira. Em seguida, o homem se posicionou de joelhos, encostou seu pau no meu cuzinho e deitou-se sobre meu corpo enterrando tudo. Estando só com a cabeça fora d´água, ambos nos beijamos comigo gemendo de prazer. Nada de dor, somente prazer. O cara iniciou uma foda maravilhosa no meu cuzinho sedento de prazer, devidamente lubrificado. Nos beijávamos num encaixe perfeito quando ele esticou o braço e acionou um botão que fez aquela banheira começar a vibrar movimentando a água e me enlouquecendo ainda mais. A tal vibração fez aumentar ainda mais as sensações de prazer e eu aumentei ainda mais meus gemidos.
- Gostou? Tá gostando? Tá sentindo? Você é delicioso! Quero te ver louquinho assim! Isso mesmo, sente meu pau pulsando dentro de você. Olha o prazer que você está me proporcionando. Estou adorando seu cuzinho. 

 
Que delícia te ver assim, cara. To metendo gostoso, tá sentindo? Tá gostando? Me beija. – A vibração que aquele treco produzia em nossos corpos era tão forte que eu sentia vontade de gozar com ele metendo em mim. Eu virava os olhos, gemia pra cacete ao sentir Vanderlei me estocando devidamente, numa velocidade frenética, com seus braços em volta do meu corpo. Que coisa gostosa! Que trepada!
- Faz uma coisa que adoro? Pega no meu saco enquanto meto em você. Adoro isso! Acompanha com a mão. Vai? Assim! Isso aí. Pega nele. Uh! Bruno, tu é muito gostoso. Assim! continua com a mão. Assim eu gozo! Ai! Que tesão. Ai, Bruninho, to sentindo. Vou te encher de leite. Quer? Quer meu leite? Vai me deixar te dar leite, vai? Quer? Aí! Porra! Caralho! Vou gozar nesse cuzinho gostoso! Você é um tesão! Vou gozar, Bruno! Vai! Sente meu pau entrando em você. Vou gozar! Ah! Ah! Ai! Ai! Uhh! Uhh! To... gozando...! To gozando...! To gozando! Assim! Sente! To gozando! Isso! Toca! Vai! Assim! Sente! Toca! Goza gostoso! Geme! Tesão cara! Assim! Goza mesmo! Delícia! Lindo você! Quero você! Isso! Goza gostoso. – A minha vontade de gozar era tanta que bastou eu colocar a mão no pau e começar a jorra meu leite dentro d´água. Gozei deliciosamente dentro da banheira e ele dentro de mim. Ele foi tão violento com seus movimentos que fez muita água sair da banheira molhando o chão todo. Maravilha! Que foda! A foda! Adoro!

 
Saímos daquela posição, continuamos deitados desfrutando daquela hidromassagem por mais algum tempo. Muitos beijos e abraços.
Já era noite, a chuva havia diminuído bastante, tomamos um banho, liguei pra casa e pra minha tia, tranquilizei todo mundo e fui pra cozinha preparar nosso jantar.
Jantamos, ele ficou surpreso comigo quando provou minha comida, ouvimos música até altas horas e fomos pra cama. Ambos estávamos exaustos e dormimos logo.
De repente acordei, me dei conta que estava muito bem acompanhado, passei a acariciar aquele homem gostoso e completamente nu deitado de lado, até que minha mão encontra seu membro completamente duro. Para minha surpresa:
- Quer ele de novo? Estava aqui te alisando esse corpo lindo, mas você dormia feito uma criança. Vem cá! To louco pra meter em você de novo. Quer? Quer? Isso! Chupa! Ai, Bruno, que boca quente. Ai! Vai, chupa gostoso! Nossa! Que delícia! Assim, isso, aí, aí, continua aí! Uh gostoso demais isso, rapaz! Tu chupa gostoso demais! Quero você! Mama minha rola! Não para! Baba ela toda, vai! Assim! Adoro isso! Ai, cara, você tá me levando à loucura! Uhssss! Fshuuuu! Socorro! Que maravilha de mamada! Porra, você mama muito gostoso! Ai continua! Guloso! Isso, guloso! Tu é demais! Como pode? Que boca deliciosa. Tá me maltratando! Adoro isso! Adoro! Adoro! Não para! Espera! Deita de barriga pra cima! Isso! Deixa eu meter nessa boquinha! Toma! Uhm! Assim! Sente tudo lá dentro! Gostoso você! Toma minha rola, cara! Toma! Toma teu safado! Como você é gostoso! Vou querer te sentir outras vezes. Quero você! Chupa! Isso! – E novamente boca e pau estavam em perfeita sintonia enquanto ele lubrificava meu cuzinho, desta vez com sua própria saliva.
Sem mais, Vanderlei me virou de costas e numa cama extremamente aconchegante e macia fui devidamente enrabado na mais tradicional posição de papai e mamãe. Seu corpo solto sobre o meu, a cama toda balançando, consequência daqueles movimentos absurdos que ele produzia com suas estocadas certeiras me fazendo delirar de prazer.
Gozamos e permanecemos naquela posição com ele me acariciando enquanto os primeiros raios de luz entravam pela fresta da cortina.
Vanderlei foi uma das pessoas mais especiais que conheci. Tem uma personalidade forte, não gosta de frescuras, ao mesmo tempo em que é dotado de enorme sensibilidade. Seu olhar doce contrastando com sua masculinidade fazem daquele homem um cara muito especial. Alguém com quem pretendo viver momentos maravilhosos por um bom tempo.
Valeu pela leitura!
Todos os nomes mencionados em todos os meus contos são fictícios.
Comentem, por favor!
Abraços.
Dang

Nenhum comentário:

Postar um comentário