quinta-feira, abril 25, 2019

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Canadá lança moeda de igualdade para marcar a descriminalização da homossexualidade.


Parada LGBT Canadá


O Canadá lançou uma nova moeda para marcar 50 anos desde a descriminalização da homossexualidade. As informações são do site Pink News. 

Agora o níquel no valor de US$ 1 traz duas faces sobrepostas com a palavra “igualdade” escrita em inglês e francês. Além disso, o dinheiro também apresenta uma gravação dos anos de 1969 e 2019. 

A moeda foi revelada em um evento especial em Toronto e entrou em circulação nesta semana. LRandy Boissonnault, assessor especial do primeiro-ministro sobre questões LGBT +, afirmou que foi “um dia importante” para as pessoas LGBT+ no Canadá.




“É uma oportunidade para refletir sobre um evento marcante na história do nosso país. E lembrar do progresso ainda a ser feito enquanto trabalhamos em prol da inclusão e igualdade para todos os canadenses LGBTQ”, disse ele.

A moeda foi projetada pelo artista Joe Average. Ele foi diagnosticado com o HIV em 1984, que o levou a dedicar sua vida à arte. A imagem das duas faces entrelaçadas destina-se a refletir a fluidez de gênero e o espectro de gêneros.

Suprema Corte dos EUA examina discriminação a LGBTs no trabalho.


Fachada da Suprema Corte dos Estados Unidos 


A Suprema Corte norte-americana deu aval positivo sobre a possibilidade de examinar as disposições contra a discriminação a LGBTs. A medida vem contra o governo do presidente Donald Trump, que não aceita inclui-lá as aplicáveis às mulheres.

O tribunal prometeu estudar os três processos, nos quais estão sobre sua responsabilidade, até o fim do ano. Assim dando esperança que o assunto não fique engavetado como deseja o governo dos Estados Unidos.

O primeiro processo que tramita na corte, diz respeito a um funcionário de uma funerária, que foi demitido após o mesmo informar a empresa o seu intuito de mudar de sexo. Os demais se referem a empregados homossexuais que alegam ter sido demitidos devido a sua orientação sexual.

A corte máxima americana prevê uma decisão sobre o assunto apenas em 2020. A corte é integrada por cinco juízes conservadores e quatro progressistas. Eles terão que decidir se a Lei de Direitos Civis de 1964, que proíbe discriminação no local de trabalho. Nesta caso, por motivos de raça, cor, religião, sexo ou etnia, também se aplica à orientação sexual e a identidade de gênero.

Garoto de 15 anos se suicida após sofrer bullying homofóbico na escola.


Garoto de 15 anos se suicida após sofrer bullying homofóbico na escola. 


Nigel estava no 9º ano e tirou a própria vida em 19 de abril.

Segundo informou o portal Gay Star News, Nigel Shelby estava no 9º ano e tirou a própria vida em 19 de abril. Ele não aguentava mais enfrentar a homofobia de seus colegas na sua escola, a Huntsville High School, em Huntsville, Alabama.

Depois da morte de Nigel, Nadia M. Richardson, ex-aluna da mesma escola, iniciou uma campanha sobre saúde mental e bullying, chamada ‘No More Martyrs’ – Sem Mais Mártires – focada na conscientização da comunidade escolar sobre as consequências da prática do bullying e outras formas de preconceito.

Segundo o portal, a jovem afirmou: “ainda estou processando essa perda”.

De acordo com Nadia, “temos muito a entender e muito trabalho a fazer. Racismo, sexismo, homofobia, classismo; tudo isso faz parte da sociedade. O bullying é um subproduto de um mundo mal preparado para acolher quem é diferente”.

“Não evite as conversas necessárias sobre o assunto com estas pessoas. A consequência é muito cara”, alertou Nadia em entrevista à imprensa falando sobre o caso.

Uma página do GoFundMe esperava arrecadar UU $ 10.000 para ajudar a mãe de Shelby a arrecadar dinheiro para cobrir as despesas do funeral. As doações excederam essa meta e arrecadaram mais de US $ 14.000 em apenas dois dias.

Se você conhece alguém ou sente vontade de conversar sobre suicídio, você pode ligar no número de prevenção de suicídio feitas para o Centro de Valorização da Vida através do número 188 são gratuitas para todo o Brasil.

Para continuar pregando o ódio, evangélicos vão apresentar projeto que criminaliza a homofobia.


Bancada Evangélica usa imagens falsas para atacar Parada LGBT de São Paulo.


O deputado federal Marco Feliciano (Pode-SP) é quem vai elaborar a proposta, afirma jornal.

Segundo informações da colunista Mônica Bergamo, do Jornal Folha de S.Paulo, a bancada evangélica deve apresentar nas próximas semanas na Câmara dos Deputados um projeto que criminaliza a homofobia no Brasil.

Manobra é uma resposta ao STF (Supremo Tribunal Federal), que remarcou para o dia 23 de maio a continuação do julgamento que equipara a LGBTfobia ao crime de racismo, e para continuar pregando discursos homofóbicos sem serem condenados após uma possível criminalização aprovada pelo Supremo.

O deputado Marco Feliciano (Pode-SP) é quem vai elaborar a proposta e deve apresentar o resultado nesta quarta (24) aos colegas. A ideia é que todos subscrevam o projeto.

Ele prevê que a homofobia seja enquadrada como um crime de racismo —ressalvando a liberdade de consciência e religiosa, diz o parlamentar.

“Se eu estou com a minha família em um restaurante, um casal está se beijando ao meu lado e eu levanto e saio, sem agredir ninguém, não posso ser tido como criminoso”, exemplifica Feliciano.

Porém, na pratica, não muda nada, já que as igrejas também poderiam continuar descriminando pessoas LGBT.

Após batalha judicial, menina trans consegue participar de Campeonato de Patinação Artística.


Maria Joaquina teve inscrição rejeitada para participar de Campeonato Sul-Americano de Patinação Artística


A uma longa batalha judicial travada por uma família, para que uma menina trans pudesse participar do Campeonato Sul-Americano de Patinação Artística, que aconteceu em Joinville (SC), terminou com final feliz. Maria Joaquina conseguiu se apresentar na disputa depois que os organizadores do torneio rejeitaram a sua inscrição.

O motivo para que barrassem ela seria o fato de que na sua certidão de nascimento, assim como no RG, ainda constam o nome masculino. Os familiares acusam a confederação Sul-Americana de vetar que ela fizesse o reconhecimento da pista de patinação, O direito é concedido a todas as outras competidoras, e que teriam prejudicado Maria Joaquina, que não estava inscrita.

Os pais da garota, no entanto, conseguiram, na segunda (22), um requerimento solicitando a autorização que a menina treinasse na pista por 10 minutos, o que foi negado pela confederação. As informações são do UOL.

A ordem de apresentação também foi alterada, levando ela a ser a primeira a competir. Por ser, vice-campeã brasileira da modalidade, é comum que as melhores posicionadas sejam as últimas. Diante toda a situação, Maria Joaquina competiu chorando, nervosa, e caiu quatro vezes durante a apresentação. A performance fez com que ela terminasse o campeonato na 13ª de 17 colocações.

Polícia investiga tentativa de homicídio a transexual em Caucaia, no Ceará.


Rayssa sofreu tentativa de homicídio em Caucaia, no Ceará. 


Identificada como Rayssa, a vítima foi atingida por um tiro na cabeça.

A Polícia Civil do Ceará (PCCE) investiga uma tentativa de homicídio a uma transexual, identificada apenas como Rayssa. O crime aconteceu no bairro Pedreiras, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na noite do último domingo (21).

Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Rayssa estava na Rua Maria do Patrocínio, quando foi surpreendida por dois suspeitos, que efetuaram um disparo de arma de fogo contra a mesma. O tiro teria atingido a cabeça de Rayssa.

A trans foi socorrida e levada ao Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. Segundo nota emitida pela SSPDS nesta terça-feira (23), ela segue em observação. A Polícia Civil realiza os primeiros levantamentos sobre o caso, para chegar à autoria e à motivação da tentativa de homicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário