terça-feira, julho 02, 2019

FOFOCAS DE CELEBRIDADES - GOSSIP

Alok manda o Pink Floyd para as pistas de dança com "The Wall". 



Em sua mais nova faixa, Alok, em parceria com o americano Sevenn, pôde se dar ao luxo de criar uma nova música a partir de um dos mais conhecidos clássicos do rock. A recém-lançada "The Wall (with Sevenn)" usa como base "Another Brick In The Wall, Pt. 2" a música de 1979 que deu ao Pink Floyd um inusitado hit single de impacto global.



Why Don't We faz homenagem ao país no novo single, "Come To Brazil"



A boy band Why Don't We lançou, nesta sexta-feira (28), o seu novo single, "Come To Brazil". A letra é uma homenagem ao país e aos fãs brasileiros.



Adam Lambert canta no GMA no dia do Orgulho LGBT.




Em comemoração ao dia do Orgulho LGBT+, sexta- feira (28), o cantor Adam Lambert foi presença ilustre no programa matutino Good Morning America. No programa, além de cantar, claro, Adam também aproveitou a oportunidade para falar sobre a importância célebre da data.

“Acho que a coisa a ter em mente é fazer um amigo, estar seguro e celebrar forte e com orgulho”, disse Lambert, aconselhando seus fãs a ficarem seguros.“A comunidade queer chegou tão longe nos últimos 50 anos e eu sou um membro orgulhoso”, acrescentou.

No evento, o artista cantou seu novo single, “New Eyes”, além do hit “Whataya Want from Me”. Também, para alegria dos fãs, cantou o clássico hit do Queen “Another One Bites the Dust”.

Recentemente, Adam já havia falado da homofobia internalizada no mercado musical. “O cenário melhorou, mas eu não posso fazer uma declaração geral de que o preconceito não acontece mais”, afirmou Adam Lambert. “Sempre haverá tons de homofobia – algumas vezes homofobia internalizada que eu encontrei em outras pessoas gays na indústria. Eles podem achar que eu sou ‘muito gay’”, concluiu o cantor.



Lady Gaga aparece de surpresa na Parada LGBT+ de Nova Iorque e discursa sobre igualdade.


Lady Gaga durante a transmissão online do seu discurso em frente ao bar The Stonewall Inn em Nova York 


Lady Gaga fez uma aparição surpresa na Parada LGBTI+ de Nova Iorque, na manhã de sexta-feira (28). A cantora visitou o Stonewall Inn, famoso bar da Christopher Street, em Manhattan. O bar é conhecido por ser palco de uma das principais lutas na história pelos direitos da comunidade LGBT+.

A artista mostrou muito entusiasmo de estar no evento. Vestiu uma roupa colorida, para combinar com as cores do orgulho e aproveitou o ensejo para propiciar ao público um discurso sobre igualdade e amor.

Em um outro vídeo divulgado nas redes, Gaga fala que, mesmo não sendo considerada da comunidade, ela gosta de garota às vezes. No fim, ela enfatiza que nunca deixará de lado essa luta.

“Talvez eu não seja considerada parte desta comunidade por algumas pessoas, mas mesmo assim eu gosto de garotas às vezes. Eu nunca deixaria de lado a luta de vocês, as adversidades”.

Diego Hypolito diz que, após revelar homossexualidade, recebeu mensagens de ódio.




Como todos sabem, Diego Hypolito assumiu sua homossexualidade oficialmente para o público. Desse modo, após a comoção, está tendo que lidar com situações explícitas de preconceito. Assim, em entrevistas aos jornalistas do ESPN, discorreu sobre a repercussão de sua revelação.

“A partir do momento que falei da sexualidade, acho que mudou que várias pessoas demonstraram ódio, mas teve muito apoio também. Eu vou ao culto toda quinta-feira, e a Bíblia diz que os homossexuais não herdarão o reino dos céus. Eu acredito que temos que considerar o que está escrito nas escrituras, mas também não acredito que seja assim, se eu amo Jesus, se eu falo isso para as pessoas, eu só desejo o bem dos outros”.

“Eu considero que eu não tenho total entendimento sobre a homossexualidade. Mas esse sou eu. Se daqui a alguns anos eu mudar de opinião, eu vou falar. Mas eu não me considero um demônio, como por muitos anos me falaram.”, declarou Diego.

“Os atletas mais velhos faziam uma espécie de trote com o consentimento de alguns treinadores. Alguns não sabiam, mas a maioria sabia, sim. Eles prendiam a gente em um quarto, e a gente tinha medo, e a gente tinha que ficar nu. Dois atletas tinham que competir, pegando uma pilha com o ânus e levá-la, sem usar as mãos dentro de um tênis”.

“Um tinha que vencer ou os dois apanhavam. E eu tive um ataque epilético quando isso aconteceu. E isso foi algo que andou comigo a vida inteira. Quando voltei pro RJ, ainda me fizeram tirar fotos nu, mas os treinadores viram e fizeram os outros apagar. E quando você passa essas coisas, você acha que tem culpa. Eu achava que tinha culpa por essas coisas”.

Ex-RBD revela intimidação da Televisa ao decidir assumir homossexualidade.




Aos poucos, a homossexualidade vai deixando de se tornar um tabu no meio artístico. Se antes algum artista era praticamente proibido de “sair do armário”, hoje isso vira uma espécie de “ato político”, e em muitos casos, essa atitude o torna ainda mais popular, especialmente entre a comunidade LGBT. E esse dilema foi enfrentando por Christian Chávez, um dos ex-integrantes do grupo RBD.

O ator de 35 anos, que ganhou fama como o personagem Giovanni, da novela Rebelde, da Televisa, e mais tarde como estrela do grupo RBD, que tornou-se um fenômeno na América Latina, inclusive no Brasil, foi um dos primeiros astros jovens da rede mexicana a se assumir gay, em 2007.

Doze anos depois, em entrevista à jornalista mexicana Adela Micha, Christian relembrou o drama que enfrentou ao ter de admitir publicamente que é homossexual, após fotos do seu casamento com outro homem terem vazado na imprensa. Segundo o ex-RBD, na própria Televisa, o clima não era nada favorável a essa decisão.

“Na empresa me falaram: a sua carreira como ator acaba aqui”, disse. “Fazem doze anos que me disseram: ‘você não poderá mais fazer um personagem protagonista aqui porque as pessoas não vão querer isso e as marcas não querem estar associadas a isso”, completou o ex-RBD.

Christian ainda conta que mesmo decidindo focar apenas na carreira musical após essa revelação, ele teve de enfrentar muita resistência. “Vários diretores de rádios mexicanas, incluindo a Emmy [gravadora responsável pelo ex-RBD], que agora não existe mais, falaram: ‘não apoiamos um músico homossexual, mesmo que pague'”, disparou.

Apesar de ter enfrentado todos esses problemas, Christian afirma que não se arrepende da sua decisão. “A liberdade sempre tem um preço, em qualquer lugar, mas acho que é um preço que vale a pena pagar por que isso não se compara a nada”, declarou.

Mesmo ainda enfrentando uma certa resistência do público conservador, a Televisa atualmente adota uma postura bem diferente em relação à homossexualidade, chegando, inclusive, a produzir recentemente uma série protagonizada por dois adolescentes gays.

Vale lembrar que após o episódio, Christian ganhou poucas oportunidades na Televisa. O ex-RBD está afastado da rede mexicana desde o ano passado, quando integrou o elenco de Like, série que tentou repetir a fórmula de Rebelde, mas foi um grande fracasso de audiência, algo que deixou o ator inconformado.

Faiz isso nãaaaaao...




Amigos foram tomar banho juntos: SEGURA PEÃO!



Deixa eu te ajudar



Testando a resistência da cueca


É chato ser gostoso!



Quem quer durmir comigo esta noite?



Mostra o que voce tem de bom





Eles gostam de exibir e nós adoramos ver.





MC Brisola







Anônimos também têm vez...















Até mais!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...