segunda-feira, julho 15, 2019

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Avanço: Homossexuais e bissexuais deixam de ser promíscuos em legislação da Bolívia.




Os homossexuais e bissexuais deixaram de ser qualificados como "promíscuos" pela legislação da Bolívia. A mudança foi considerada um avanço no reconhecimento dos direitos LGBT, como destacou este sábado (13) a defensora pública boliviana Nadia Cruz.

Um decreto de 1997 excluía do grupo apto a doar sangue "homossexuais e bissexuais promíscuos" porque considerava que este grupo tinha alto risco de contágio de AIDS, detalhou a nota da Defensoria Pública da Bolívia. A expressão foi eliminada com uma nova norma.

A modificação garante a igualdade deste grupo, em cumprimento da Constituição e da Lei Contra Toda Forma de Racismo e Discriminação da Bolívia, destacou Cruz.

A revisão da norma era exigida desde 2016 pela Defensoria Pública e por coletivos LGBT do país diante do Ministério da Saúde que visavam "reverter o prejuízo aos direitos e o dano à dignidade" da população LGBT, como explica a defensoria em seu comunicado.

Coletivos de transexuais protagonizaram várias mobilizações na Bolívia em defesa dos seus direitos civis nos últimos anos. O mais importante foi uma greve de fome em 2017 contra a decisão do Tribunal Constitucional do país que permitia aos transexuais mudar dados como nome, imagem e gênero em documentos oficiais, mas sem direito a casamento, adoção ou participação política com base na paridade de gênero.

Nesse sentido, a Defensoria Pública apresentou neste ano propostas normativas para legalizar no país uma instituição similar ao casamento e incluir os crimes de ódio no código penal, como exige a comunidade LGBT boliviana.

Em 2019 um tribunal boliviano condenou a 30 anos de prisão um homem que torturou e degolou sua parceira, uma jovem transexual. O caso foi considerado emblemático para a comunidade LGBT por ser o primeiro do tipo a chegar à Justiça no país.

Ministro de Israel declara que é a favor de ‘cura gay’ e governo pede desculpas.




O ministro da Educação de Israel, Rafi Peretz, foi duramente criticado no país após declarar ser a favor das terapias de conversão, a famosa ‘cura gay’, durante uma entrevista. Algumas pessoas chegaram a pedir a exoneração do político.

A declaração do ministro aconteceu durante uma entrevista no sábado (13), para uma emissora de televisão de Israel. Peretz é rabino e líder do partido religioso nacionalista.

Aos ser questionado se era possível mudar a orientação sexual de uma pessoa LGBT+, o ministro respondeu: “Creio que é possível”. A repercussão da fala de Peretz não foi muito bem vista.

Após o pronunciamento polêmico, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, no qual acolheu em seu governo a União dos Partidos de Direita liderada por Peretz, condenou as afirmações do ministro.

“Os comentários do Ministro da Educação sobre a comunidade gay não são aceitáveis e não refletem a posição do governo que eu dirijo”, informou Netanyahu, mas sem falar nada sobre uma possível exoneração.

Pink Money! Matemático gay, Alan Turing, vai estampar nota de 50 libras.





“É uma homenagem pelo trabalho que ele executou durante a Segunda Guerra, quando conseguiu descobrir a lógica da criptografia dos inimigos e deu uma ajuda vital aos Aliados, que derrotaram os países do Eixo”, disse o Banco da Inglaterra.

Ainda conforme a instituição, o nome de Alan foi escolhido dentro de uma lista com mais de mil candidatos. A nota de 50 libras será a última da coleção do Banco da Inglaterra a mudar de papel para polímero.

Para quem não sabe, Alan é conhecido por muitos como pai da computação e da inteligência artificial. Isso porque ele foi um dos criadores do primeiro computador da história. A invenção dele foi decisiva para vencer a 2ª guerra mundial, após ele conseguir decifrar códigos nazistas.

Mesmo tendo um grande mérito pelo fim da guerra, anos depois Turing foi altamente perseguido por conta da sua homossexualidade. Ele chegou a ser demitido e condenado a ser castrado quimicamente no ano de 1952, por “atividade homossexual”. Em 2013, a Inglaterra concedeu a ele um perdão póstumo.

Bolsonaro ressalta fortalecimento da família e exclusão das menções de gênero.




Segundo o portal UOL, Bolsonaro afirmou a parlamentares evangélicos que seu governo pretende incluir os termos “pai” e “mãe” nos campos destinados à filiação na documentação relativa aos passaportes brasileiros.

“O nosso Itamaraty aqui, que tem à frente o embaixador Ernesto Araújo, em nosso passaporte nós estamos acabando com a história de genitor 1 e genitor 2, estamos botando os termos pai e mãe”, disse o presidente.

Contudo, esta medida de enfatizar ‘mãe’ e ‘pai’, inevitavelmente excluem os relacionamentos homoafetivos. Vale ressaltar que o termo ‘homoafetividade’ é um neologismo criado para indicar que, em configurações de famílias homossexuais, também existe afeto.

Acerca da respectiva mudança do presidente, a página da Polícia Federal ressaltou que os campos são em respeito às uniões homoafetivas. “Esses campos presentes no formulário substituem os campos ‘Nome do Pai’ e ‘Nome da Mãe’, e são de livre preenchimento, em face da possibilidade de novas constituições familiares, inclusive para união homoafetiva”.

Sobre outra discussão controversa que versou sobre as prioridades do governo na reeleição da ONU, Bolsonaro reiterou pedido de exclusão de gênero na campanha.“Nós estamos disputando na ONU nossa candidatura à reeleição no Conselho de Direitos Humanos e a nossa pauta é baseada no fortalecimento das estruturas familiares e a exclusão das menções de gênero”, afirmou o presidente.

Aplicativo com ‘botão de socorro’ para segurança da população LGBTQI+ começa a operar em SP.


Aplicativo para segurança


Mesmo com a criminalização da LGBTfobia vigente, qualquer outra medida para garantir ainda mais segurança é válida. Desse modo, um aplicativo de proteção à população LGBTQI+, desenvolvido pela Rede Gay Brasil, está disponível de graça para download no estado de São Paulo.

O sistema foi batizado como ‘TiaLu’ em homenagem a Luciano Bezerra. De acordo com G1, a ferramenta está disponível para Android e iOS. O usuário baixa o aplicativo, preenche os dados pessoais e adiciona o número do celular de duas pessoas de confiança. Em caso de ameaça, a vítima aciona um ‘botão de socorro’, enviando mensagens aos contatos.

“Estas pessoas vão clicar em cima da mensagem e vai aparecer a localização do LGBTQI+ que está sofrendo discriminação ou sendo vítima de violência. Elas vão chamar a polícia ou acompanhar uma viatura para coibir o ato de morte dessa população no país”, explica o coordenador Fábio de Jesus.

Vale frisar que os números referentes aos crimes perpetrados contra LGBTs são alarmantes. De acordo com o Sinan, os dados indicam que houve um aumento de 127% das denúncias de LGBTfobia no último ano e que, em mais de 70% dos crimes de 2015, as agressões eram realizadas por homens. Além disso, mais de 90% das violações aconteceram em áreas urbanas. 

Homem dorme dentro de boate LGBT e precisa ser resgatado por bombeiros.

Homem é resgatado de dentro de boate, em Belo Horizonte


Um homem com suspeita de embriaguez dormiu dentro de uma boate LGBT, no bairro Barro Preto, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, na manhã deste sábado (13).

De acordo com o proprietário da casa noturna, Willians Pereira, na noite desta sexta-feira (12) houve uma festa eletrônica voltada para o público LGBT. Segundo ele, como é de rotina, por volta das 6h30 quatro seguranças fizeram uma vistoria dentro do imóvel e não encontraram ninguém.

Contudo, o homem embriagado retomou à casa noturna, que estava com as luzes apagadas. E, após ver que não havia ninguém no recinto, deitou no chão e dormiu por cerca de 40 minutos.

O proprietário disse que teve somente conhecimento do fato nesta manhã ao ver as inúmeras ligações no celular dele. O número de contato, que consta na página virtual da boate, é o pessoal do dono.

Como os telefonemas não foram atendidos, o homem chamou o Corpo de Bombeiros, que fez o resgate. Ele pediu desculpas ao proprietário da boate pelo transtorno, conforme pontuou o G1.

Restaurante se nega a validar promoção para casal homossexual; “Só para homem e mulher”.


Vídeo sobre homofobia em restaurante


A produtora de casting Thábata Mendes passou por uma situação constrangedora e qualificada como homofobia. Assim, resolveu fazer um desabafo nas suas redes sociais. A postagem falava sobre uma represália homofóbica sofrida em um restaurante em Santo André, São Paulo.

Em suma, o restaurante havia fornecido uma promoção de um jantar para casais. Contudo, quando Thábata e sua esposa Amanda foram efetuar o pagamento, foi informado que o benefício era destinado somente para casais heterossexuais. Segundo a produtora, o garçom chegou a enfatizar: “casal formado por homem e mulher”.

“É chato. Todos nós que somos da bandeira LGBT+ sabemos o quanto é chata essa situação”, disse Thábata em vídeo. Além disso, a produtora relatou outro caso de homofobia que viveu dentro de seu condomínio. De acordo com seu relato, vizinhos se reuniram perto de sua casa para comentar que “é desagradável ter gay na família, é uma aberração”

Acerca de medidas cabíveis em relação a atitude do estabelecimento, ela informou que já foi realizada a denúncia, através do Proncon. Disse ainda que espalhou o ocorrido nas mídias sociais, para atentar para esta situação vexatória.



Homens não pagam travesti por programa e situação termina em boletim de ocorrência.


Homens não pagam programa


Uma situação de ‘inadimplência’ envolvendo dois devedores e uma travesti acabou tendo que ser resolvida na delegacia por autoridades. O ocorrido foi na noite de terça-feira (9), quando dois homens, ao contratarem uma travesti para um programa, não pagaram o estabelecido.

Segundo o São Carlos Agora, dois homens de 34 e 65 anos teriam contratado os trabalhos de uma travesti. Após o combinado, todos seguiram para um motel às margens da rodovia Washington Luís (SP-310), sentido interior/capital.

Porém, ao finalizarem a aventura, os contratantes se recusaram a pagar os R$ 200 cobrados pela travesti. Assim, a recusa acabou desencadeando uma fervorosa discussão que acabou sendo findada através de um boletim de ocorrência.

Revoltada, a travesti pegou as chaves do carro de um dos acusados e não devolveu. Diante do bate-boca a Polícia Militar foi acionada e os envolvidos encaminhados ao plantão policial para se explicarem às autoridades policiais. De acordo com informações, consta que o motel foi pago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário