Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Ativista LGBT+ é assassinada com golpes de faca, na Rússia.




Uma famosa ativista lésbica foi encontrada morta com golpes de facas no último domingo (21), na cidade São Petersburgo, na Rússia. A vítima estava sofrendo ameaças de um homem.

De acordo com a polícia local, o corpo de Yelena Grigorieva foi encontrado apenas a alguns metros de sua residência, com vários ferimentos causados por uma arma branca.

Conforme a mídia local, foi instaurado um inquérito por assassinato para descobrir a identidade do criminoso. A polícia trabalha com a suspeita de um home de 40 anos, morador da região de Bashkiria.

Nos últimos meses Yelena, que é ativista dos direitos LGBT+, havia registrado diversas denúncias de ameaça de morte, pela qual estava recebendo. Segundo a polícia, não houve negligência e as denúncias foram tramitadas legalmente.

Em postagens nas redes sociais amigos da vítima acusam a polícia de não proceder da maneira correta nas denúncias de Yelena, já que as ameaças eram constantes.

Abertamente LGBTfóbico, a Rússia é um dos países mais inconstantes quanto aos direitos LGBTs. Recentemente cenas de sexo gay do cinebiografia de Elton Jhon, Rocketman, foram censuradas no país.

Governador da Bahia afirma que Bolsonaro estimula machismo e homofobia.




Após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) proferir comentários preconceituosos aos nordestinos na semana passada, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou que o presidente, além de xenofóbico, legitima a homofobia e a violência contra as mulheres.

“Meu sentimento é de perplexidade. Nunca imaginei na minha vida de ter alguém sentado na cadeira de presidente e seus assessores com nível tão baixo, despreparo tão grande, com tampouco compromisso com o País. Tem que ser um estadista. Ele tem de governar para todo o povo brasileiro. São ofensas seguidas ao povo nordestino. Um verdadeiro estímulo ao racismo, à discriminação”, afirmou Rui durante uma entrevista à rádio Metrópole.

O caso envolvendo o presidente aconteceu na última sexta-feira (20), antes de começar uma entrevista coletiva com jornalista, em Brasília. Sem saber que os microfones já estavam gravando, o presidente falou: “Daqueles governadores de ‘Paraíba’, o pior é do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”. Completando com um “picaretas”.

Conforme o governador, Bolsonaro como o presidente de um dos maiores países do mundo não pode estar pregando guerra ou preconceito com suas falas, com isso ele estaria “agredindo constantemente vários segmentos da sociedade brasileira”.

“Os governadores estão conseguindo diminuir significativamente a violência no Nordeste. Mas o que cresceu foi a violência contra as mulheres. Isso é legitimado pelo condutor principal da nação. Cresceu a violência homofóbica. Isso é legitimado (por Bolsonaro)”, disse Rui.

Ministério da Saúde pode deixar SUS sem medicamentos para tratamento do HIV.




Por questões de irregularidades contratuais, o Ministério da Saúde suspendeu contratos com 18 laboratórios fabricantes de medicamentos pra pacientes com câncer de próstata e de mama, a Hepatite C, o mal de Parkinson, HIV dentre outras doenças, que fazem tratamento gratuito oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde). É possível que mais de 30 milhões de pacientes sejam afetados com a falta desses remédios.

Segundo o MS (Ministério da Saúde), há diversas irregularidades nos contratos entre os laboratórios envolvidos. A informação foi confirmada pela CGU (Controladoria Geral da União) e também pelo TCU (Tribunal de Contas da União).

Os laboratórios que tiveram seus contratos suspensos, alguns ainda estão em fase de suspensão, negam qualquer tipo de irregularidade e afirmam que o Governo Federal economiza mais de R$ 20 bilhões por ano mantendo a produção das drogas com eles.

Através de nota, o Ministério da Saúde afirma que os pacientes não serão prejudicados com a falta destes medicamentos. Segundo a pasta, os remédios serão comprados de laboratórios particulares. Mas ainda não há informações sobre o prazo para iniciar essas compras e quais empresas privadas serão responsáveis pelo fornecimento das drogas ao SUS.

Polícia prende casal que aplicava golpes em gays, no Mato Grosso.


Mário Fonseca e Melissa 


A polícia do Mato Grosso prendeu nesta segunda-feira (22), um casal suspeito de torturarem e darem um golpe em um homem homossexual, na cidade de Cuiabá. Os dois foram presos na cidade de Dourados.

Segundo a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá, Mário Fonseca e Melissa são suspeitos de cometerem diversos crimes em cidades brasileiras, contra vítimas.

Segundo o site G1 a dupla estava sendo investigada desde o dia 28 de maio, quando aplicaram o golpe na casa da vítima, em Cuiabá. Na ocasião, a vítima havia contratado os serviços de Mário, que atendia pelo nome de ‘Fit Mineiro’.

Em depoimento à Polícia, a vítima informou que após pagar o valor acertado do programa, R$ 150,00, foi surpreendido por golpes de canivete e foi enforcado por um cordão de roupão.

Enquanto torturava a vítima, o suspeito exigia que ele fizesse uma transferência de R$ 30 mil, mas a vítima só conseguiria transferir o valor de R$ 3 mil. Após muita pressão, a vítima acabou transferindo o valor para a conta da transexual Melissa (identificada por o nome de batismo), que no momento já estava ciente do ocorrido.

Conforme informações da polícia, o casal conta com diversos registros policiais nos estados de de São Paulo e Mato Grosso do Sul. A polícia trabalha com a possibilidade que eles cometem os crimes e em seguida fogem do local.

Polícia abre inquérito para investigar caso de homofobia em BH.


Cabeleireiro David Cristiano Andrade


A Polícia Civil de Minas Gerais abriu um inquérito para investiga o suposto caso de homofobia que aconteceu com o cabeleireiro David Cristiano Andrade, de 30 anos, na última terça-feira (16), em Belo Horizonte. Ele foi espancado pelo próprio vizinho.

De acordo com David, o homem, identificado como Fábio Afonso Rodrigues, de 25 anos, não se dava muito bem com ele por conta da sua orientação sexual. Em relato a polícia, o cabeleireiro informou que o agressor sempre procurava confusões.

Conforme o site Bahz, o caso aconteceu quando David estava em casa e percebeu que a luz da residência se apagou. Ao ir olhar o que houve do lado de fora, foi surpreendido por golpes na cabeça (o agressor usou uma barra de ferro). Após o caso, ele foi socorrido e levado ao hospital.

Em depoimento, Fábio informou que a agressão aconteceu para que ele pudesse se defender e alegou que David estaria tendo relações com outros homens na garagem da casa (na qual eles dividem o mesmo terreno). No entanto, a vítima nega a afirmação.

O homem que agrediu David tem um histórico agressivo. De acordo com a Polícia Militar de BH, no dia 26 de junho ele agrediu a ex-mulher, de 26 anos, e a própria filha de 11 anos. A agressão teria sido motivada por conta do termino do casal.

Um caso de homofobia também está sendo investigado pela polícia de Goiânia. Os agressores já foram investigados e, segundo a polícia da cidade, tudo indica que os três suspeitos devem responder por crime de LGBTfobia. Eles podem ter pena de até três anos.

Homem é vítima de ataque homofóbico na cidade de Urupês; agressor fugiu.


O rapaz foi agredido com palavras, murros e chutes


Um homem de 29 anos foi vítima de um ataque homofóbico nesta segunda-feira (22), no bairro Jardim das Acácias, na cidade de Urupês, interior de São Paulo. Logo após o caso o rapaz foi socorrido e passa bem.

Conforme o site G1, o rapaz relatou que foi agredido no meio da rua após um homem começar a xinga-lo com palavras de cunho homofóbico. Após a discussão, o homem ficou irritado e partiu para agressão, acertando chutes e murros.

Ainda segundo a vítima, o homem, que ainda não foi identificado pela polícia, apenas teria parado com as agressões depois que uma pessoa apareceu no local e conseguiu conter a situação. Ele fugiu logo em seguida.

Um caso de homofobia parecido aconteceu no dia 6 de julho, em Goiânia. No entanto, diferente deste, os suspeitos foram identificados e presos pela polícia. O inquérito do caso deve sair nesta semana e os agressores podem responder por crime de LGBTfobia.

Polícia ouve terceiro suspeito de homofobia contra jovem gay, em Goiânia.




A Polícia Civil ouviu, na manhã desta quinta-feira (18/07), o terceiro suspeito de homofobia contra um jovem de 24 anos. O crime aconteceu no último dia 6 de julho, no Setor Bueno, em Goiânia. Imagens de câmeras de segurança registraram o momento que outros dois rapazes correm atrás e batem na vítima.

O delegado que investiga o caso, Carlos Caetano, disse que o rapaz interrogado negou as acusações. Segundo as investigações, esse suspeito não agrediu a vítima verbalmente, mas não fisicamente. Por isso, ele deve responder por homofobia, mas não por lesão corporal, diferente dos outros dois investigados – que devem ser indiciados pelos dois crimes. Advogado dele, Eduardo Brown disse que o cliente não praticou de nenhuma agressão e é inocente. O rapaz disse apenas que conhece os outros dois envolvidos no caso.

Para a polícia, a vítima afirmou que o caso aconteceu quando ele estava indo ao comércio de sua família por volta de umas 7h, e foi surpreendido por três homens que iniciaram diversos insultos. O jovem tentou fugir, mas foi alcançado por dois deles, que chegou a acertar um murro em seu rosto. “Me xingando de ‘viado’, de ‘bicha’, falando que minha roupa era roupa de ‘bicha’, que eu tinha que morrer porque não é certo ser ‘viado’. Que eu era ‘viado’ porque eu não apanhei o suficiente quando eu era criança. Que eles iam me ensinar a ser homem na porrada”, disse Antônio.

Ao G1, a Polícia Civil informou que o terceiro suspeito será apenas ouvido e liberado em seguida. Não há mandado de prisão expedido contra ele.

Poder� gostar tamb�m de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...