Slide 1 Slide 2 Slide 3

NOTICIAS DO MUNDO GAY

‘Gays são reconhecidos pelo odor’, disse bispo investigado por homofobia.




Após dar diversos posicionamentos polêmicos contra sobre os homossexuais, o bispo grego-cipriota da Igreja Ortodoxa, Neophytos, está sendo investigado por discurso de ódio pela polícia de Chipre.

Conforme o site Diário de Notícias, o pedido foi realizado pelo procurador-geral da ilha, logo após o bispo afirmar que “a homossexualidade poderia ser transmitida quando as mulheres grávidas fizessem sexo anal”.

“Isso ocorre durante o sexo na gravidez. Um tipo de ato sexual anormal feito entre os pais. Para ser mais claro, sexo anal. O santo Porfírio diz que quando as mulheres gostam desse tipo de ato, um desejo nasce, e, depois, esse desejo passa para a criança”, disse o bispo durante uma conferência pública, na cidade de Akaki.

Logo em seguida o religioso relatou a história de um santo e de um “menino lindo”, o bispo disse que os gays eram instantaneamente reconhecíveis porque emitiam um “odor particular”.

Segundo a publicação, após a fala de Neophytos o governo o denunciou afirmando que ele estaria “insultando a dignidade e a igualdade dos cipriotas”. Um grupo de ativistas LGBTs locais, pede que o religioso enfrente medidas disciplinares.

Casal de lésbicas é agredido na rua após não deixar homem “participar”!




O último final de semana deveria ser de celebração para a comunidade LGBT em Amsterdam. Após uma semana de diversos eventos, foi realizada a Parada do Orgulho LGBT local. Apesar disso, para um casal de lésbicas, a festa terminou em tragédia.

Katya Sazanova, 29 anos, e sua namorada Ana Camboim, 26, voltavam para casa de mãos dadas após a celebração. Seu trajeto, entretanto, foi interrompido pela presença de dois homens que dividiam uma motocicleta e as assediaram, pedindo para “participar da relação”.


Katya Sazanova e sua namorada.


Ana respondeu a provocação, dizendo para eles “irem embora e continuarem dirigindo”. Foi o suficiente para que os homens descessem do veículo e as agredissem fisicamente.

Ana Camboim foi agredida no rosto e caiu no chão imediatamente. Katya também foi agredida na face. Ambas terminaram com o rosto machucado, inchaço facial e lábios cortados.

A polícia foi informada sobre o caso, mas a falta de informações mais precisas sobre os agressores pode dificultar as investigações. No Brasil, uma jovem foi espancada recentemente por ser lésbica.

Vaza Jato: “Gilmar [Mendes] é um brocha institucional”, disse Dallagnol em grupo de procuradores.




Em nova conversa divulgada nesta quinta-feira (8), procuradores comemoram resultado das eleições 2018, vendo a possibilidade de pedir impeachment do ministro Gilmar Mendes, do STF.

A ira de Deltan Dallagnol, chefe da Lava Jato, em relação ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, segue uma crescente nas reportagens divulgadas pela Vaza Jato. Em conversa com procuradores no grupo filhos de Januário 2, divulgada pelo Intercept e portal Uol nesta quinta-feira (8), o procurador diz aos colegas que chamará o ministro de “brocha institucional”.

“Meses de governo e cadê algum LGBT morto?”, diz Netinho sobre Bolsonaro.




O cantor bissexual Netinho, conhecido pelo hit dos anos 90, Mila, usou suas redes sociais nesta terça-feira (6), para declarar seu apoio ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Segundo o cantor, o presidente não é homofóbico.

Através de um texto o artista baiano afirmou que a comunidade LGBT+ brasileira não gosta do presidente “APENAS porque ‘ALGUÉM’ colocou na cabeça deles que nosso presidente é homofóbico e quer ‘matar todos os viados’”.

O cantor, que já assumiu ter relações com outros homens, disse que já conheceu pessoalmente o presidente e que ele “não está nem aí para o que cada pessoa faz com seu sexo e com o seu fiofó”.

E completou: “Bolsonaro apenas não quer que sexo seja ensinado para as crianças nas escolas e eu concordo 100% com ele. Eu também acho que os LGBTs, só por serem LGBTs, não têm direito a qualquer tipo de privilégio como a esquerda propõe apenas para ganhá-los”.

Mesmo com diversas pesquisas mostrando o aumento do número de mortes e agressões sofridas por LGBTs, o cantor de axé afirmou que os dados são distorcidos para atingir grupos de direita.

“Já são 7 meses de governo e cadê algum LGBTs morto ou incomodado? VAMOS ACORDAR! Mentiras sobre assassinatos de gays no Brasil foram divulgadas a partir da Bahia e muita gente acredita nelas. Mas tais dados são falsos, já é sabido”, declarou.

“LGBTs, já passou da hora de vocês despertarem e, orgulhosos por serem quem são, engrossarem a fila daqueles que querem ver o Brasil se transformar num dos mais poderosos países do mundo. Será maravilhoso PARA TODOS OS BRASILEIROS. A VERDADE é que Bolsonaro é por vocês (sem ideologias mentirosas e baratas) e não o contrário. LGBTs, amem-se por serem quem são e levantem diante daqueles que de fato os oprimem, que de forma alguma é Bolsonaro”, concluiu.

Torcedor detido por ofender Bolsonaro verá jogo em camarote do Corinthians.


O torcedor Rogério Lemes Coelho, na Arena Corinthians


Três dias depois de ser detido por policiais militares na Arena Corinthians por ter ofendido o presidente Jair Bolsonaro, o torcedor alvinegro Rogério Lemes Coelho assistirá ao jogo desta quarta-feira, 7, a partir das 19h15, diante do Goiás, pelo Brasileirão, do camarote presidencial do estádio. O clube, que já havia emitido uma nota contra a ação policial, confirmou que convidou o jovem para conhecer o espaço.

Rogério Coelho foi levado por policiais militares para prestar depoimento depois de ofender Bolsonaro antes do clássico do último domingo 4, entre o time da casa e o Palmeiras, que terminou empatado em 1 a 1. Segundo o boletim de ocorrência, a atitude foi “para evitar um tumulto”. Na terça-feira, 6, o Corinthians se posicionou e considerou o ocorrido um “atentado às liberdades individuais”. Nesta quarta, o site Meu Timão divulgou imagens do momento em que o torcedor foi detido.

“O clube historicamente reitera seu compromisso com a democracia e a defesa do direito constitucional de livre manifestação, desde que observados os princípios da civilidade e da não violência. A agremiação lembra que diferentes autoridades, entre elas o presidente do clube, já foram alvo de manifestações da torcida durante os mais variados eventos esportivos realizados no local e o episódio caracteriza-se como um grave atentado às liberdades individuais no Estado Democrático de Direito”, escreveu o Corinthians em nota.

Rogério desabafou sobre o caso em suas redes sociais. Publicou a foto do BO no Instagram com a legenda “Ditadura!!”. No Facebook, deu mais detalhes: postou duas fotos, com hematomas no punho e nos dedos de uma das mãos. Disse que estava xingando Bolsonaro, quando levou um “mata-leão”. “Quando eu caí, me algemaram, me levaram para uma sala e ficaram me humilhando”, explicou.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que “a conduta foi adotada para preservar a integridade física do torcedor, que proferia palavras contra o presidente da República, o que causou animosidade com outros torcedores, com potencial de gerar tumulto e violência generalizada”.

Rodrigo não respondeu às tentativas de entrevista da reportagem. A delegada Monia Olga Neubern Pescarmona assina o boletim de ocorrência e também foi procurada. A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública não quis se manifestar.

Três pessoas são vítimas de homofobia no Centro de Uberlândia.




Três pessoas foram agredidas na manhã deste domingo (4) por dois criminosos enquanto caminhavam no Centro de Uberlândia. Eles sofreram ferimentos leves. Ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Militar (PM), dois indivíduos que estavam em uma moto seguiram os três, sendo dois jovens e um de idade não informada, desde a Avenida Floriano Peixoto até a Rua Santos Dumont. Depois pararam o veículo e começaram as agressões físicas, com chutes e socos.

Segundo a PM, a violência se deu pelo fato de eles serem homossexuais. A polícia registrou o crime como agressão corporal motivada por homofobia. Os autores não foram localizados.

Uma das vítimas, um rapaz de 29 anos, contou à PM que conseguiu escapar das agressões para a casa de um amigo e depois foi à delegacia. Outro jovem, de 21 anos, e uma drag queen, de idade não informada, também conseguiram fugir.

Apesar da violência, eles não precisaram ser levados ao hospital, segundo informou a PM. Como os autores não foram identificados, os militares não souberam dizer se a Polícia Civil começou a investigar o caso.


Poder� gostar tamb�m de:
Postado por Andy | (0) Comente aqui!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...