segunda-feira, setembro 09, 2019

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Crivella manda censurar HQ dos Vingadores com temática LGBT da Bienal.


Livro “Vingadores, A cruzada das crianaças”.


O prefeito Marcelo Crivella determinou que o livro “Vingadores, a cruzada das crianças” fosse recolhido da Bienal do Livro, no Riocentro. Em um vídeo publicado nas redes sociais, o prefeito afirma que a HQ tem “conteúdo sexual para menores”.

“A prefeitura do Rio determinou que os organizadores recolhessem esse livro, que já foi denunciado inclusive na internet e que traz conteúdo sexual para menores. Livros assim precisam estar embalados em plástico preto, lacrado e com um aviso do lado de fora sobre o conteúdo. Portanto, a prefeitura do Rio de Janeiro está protegendo os menores da nossa cidade”, disse Crivella.

A HQ em questão é o 66º volume da Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel, lançada no Brasil em 2016 pela Editorial Salvat em parceria com a Panini Comics. A série é uma coleção de arcos clássicos de super-heróis da Marvel, republicados em formato de luxo.

A trama, que envolve um relacionamento entre dois super-heríos gays, tem autoria do americano americano Allan Heinberg e do britânico Jim Cheung. Foi publicada originalmente em 2010.



Em entrevista ao O Globo, a advogada Deborah Sztajnberg, especializada em direito autoral e autora do livro “Cala boca já morreu: a censura judicial das biografias”, afirmou que a medida pode ser considerada como censura do prefeito.

“Quero crer que a Constituição ainda seja válida. Lá diz, textualmente, que acabou censura no Brasil. Uma decisão como essa precisa ser tomada por via judicial ou por decreto, mas de toda a forma é totalmente equivocada. É censura. O prefeito governa para uma cidade inteira, e não para uma parcela da população que compactua das crenças dele”, afirmou a advogada.

Procurada, a Bienal afirmou que “dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá dois painéis para debater a literatura Trans e LGBTQI+. A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor.”

Em nota, A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) afirmou que “notificou, na tarde desta quinta-feira, dia 5, a organização da Bienal do Livro a adequar as obras expostas na feira aos artigos 74 a 80 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que preveem lacre e a devida advertência de classificação indicativa de conteúdo em publicações com cenas impróprias a crianças e adolescentes. Em caso de descumprimento, o material sem o aviso será apreendido e o evento poderá ainda ter a licença cassada.”.



Em resposta a Crivella, Felipe Neto distribui 14 mil livros com temática LGBT de graça na Bienal.




"É uma campanha a favor da união, da diversidade e da aceitação."

Em resposta à tentativa do prefeito Marcelo Crivella de censurar a HQ da Marvel que traz uma cena de dois homens se beijando, Felipe Neto decidiu realizar uma ação inédita na Bienal do Livro. O youtuber comprou todo o estoque de livros com autores e/ou temática LGBT disponíveis no evento - mais de 14 mil exemplares.

Com a ajuda de voluntários, os livros foram embalados em saco plástico preto e adesivados com a mensagem: “Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas. Felipe Neto agradece a sua luta pelo amor, pela inclusão e pela diversidade”.

Ao jornal O Globo, a agente literária Alessandra Ruiz, que é amiga do youtuber, contou que a ideia inicial era adquirir o gibi alvo de censura. Como havia poucos exemplares disponíveis, eles desenvolveram uma ação maior, comprando todos os títulos da LGBT das diferentes editoras presentes.

Cerca de 10 mil livros foram distribuídos até o meio dia deste sábado (7). O restante dos exemplares começou a ser distribuído no início da tarde.

Livros com temática LGBT x Justiça

Na noite desta sexta (6), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) concedeu uma liminar proibindo a prefeitura da cidade de buscar e apreender obras na Bienal do Livro. A decisão do desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes, da 5ª Câmara Cível, atende a um pedido feito pela própria Bienal.

Neste sábado, porém, a limitar foi suspensa pelo desembargador Claudio de Mello Tavares, presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ).

“A notificação feita pela Administração Municipal foi feita visando evidente interesse público, em especial a proteção da criança e do adolescente, no exercício do poder-dever de fiscalização e impedimento ao comércio de material inadequado, potencialmente indutor e possivelmente nocivo à criança e ao adolescente, sem a necessária advertência ao possível leitor ou à família diretamente responsável, e sem um capeamento opaco, exigido expressamente na legislação”, diz o presidente do TJ em sua decisão, segundo o site da revista Veja.

O desembargador também afirma que não ocorreu “impedimento ou embaraço à liberdade de expressão, porquanto, em se tratando de obra de super-heróis, atrativa ao público infanto-juvenil, que aborda o tema da homossexualidade, é mister que os pais sejam devidamente alertados, com a finalidade de acessarem previamente informações a respeito do teor das publicações disponíveis no livre comércio, antes de decidirem se aquele texto se adequa ou não à sua visão de como educar seus filhos”.

Ao tomar conhecimento da decisão de Claudio de Mello Tavares, Felipe Neto publicou um vídeo no Twitter neste sábado (7) explicando que a distribuição gratuita dos livros é uma “campanha a favor da união, da diversidade e da aceitação”. Ele também orientou seus seguidores que registrassem em vídeo e divulgassem qualquer ação de recolhimento das obras. “O mundo precisa ver o que está acontecendo no Rio de Janeiro”, afirmou.  

Mulher de Sérgio Moro, Rosângela Moro divulga beijo gay e apaga após ser detonada.


Mulher de Sérgio Moro, Rosângela Moro divulga beijo gay


O assunto sobre o beijo gay nos quadrinhos está rendendo em searas diferentes. Desta vez, quem polemizou com o tema, foi Rosângela Moro. A mulher do ministro postou a imagem do beijo gay do gibi dos Vingadores na noite de Sábado (7).

Contudo, os seguidores da advogada não gostaram nada dessa ‘liberdade toda’ propagada por ela. Desse modo, os defensores da moral, partiram logo para o embate. Na foto, segundo a Época, acompanhava a mensagem: “Só o amor constrói”, mas foi pagada após as críticas.

Vale frisar que o tema, além de tomar as redes sociais, fez até um dos autores da HQ se manifestar. Assim, Jim Cheung explicou a cena e disse que sua real intenção foi retratar o amor em suas variadas formas.

“Espero que o povo bonito do Brasil, nação maravilhosamente diversa e orgulhosa, enxergue além desse “barulho” político e foque na luz e nas maneiras de se unir, em vez de ajudar a plantar as sementes do conflito e da divisão”, finaliza.

STF bateu o martelo! Decisão de censura de livros LGBT+ na Bienal foi derrubada.




Não foi desta vez que o autoritarismo imperou! Desse modo, Toffoli, suspendeu a decisão judicial proferida pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o desembargador Cláudio Mello Tavares, expedida no sábado (7), que autorizava o recolhimento de obras literárias com temas LGBT+ na Bienal do Livro. A suspensão ocorreu neste domingo à tarde.

Ainda, segundo Toffoli, O TJ ao entender “Que o conteúdo homoafetivo em publicações infanto-juvenis exigiria a prévia indicação de seu teor, findou por assimilar as relações homoafetivas a conteúdo impróprio ou inadequado à infância e juventude”.

Contudo, de acordo com ministro, o princípio da isonomia deve prevalecer. “A estrita legalidade e o princípio da igualdade” e que o tribunal do Rio, “sob pretensa proteção da criança e do adolescente, se pôs na armadilha sutil da distinção entre proteção e preconceito”, diz.

“O regime democrático pressupõe um ambiente de livre trânsito de ideias, no qual todos tenham direito a voz. De fato, a democracia somente se firma e progride em um ambiente em que diferentes convicções e visões de mundo possam ser expostas, defendidas e confrontadas umas com as outras, em um debate rico, plural e resolutivo”, completou.

Vereador gay, Fernando Holiday processará político que o chamou de macaco.




Conforme já reportamos, Fernando Holiday (DEM), foi chamado de “macaco”, pelo vereador Camilo Cristófaro (PSB), durante uma sessão no plenário da Câmara Municipal de São Paulo na quinta-feira (5).

Desse modo, após as ofensas, Holiday afirmou que irá recorrer à justiça para resolução do caso. “Eu vi como um ataque racista disfarçado, porque ele claramente queria me chamar de macaco e coloca o termo “de auditório” como se estivesse se referindo a uma expressão popular, mas que fica completamente sem sentido naquele contexto. O termo usado ali só faz sentido como uma ofensa racista”, afirmou à Época.

“Eu vou fazer uma representação no Ministério Público, vou processá-lo também na Justiça Civil por danos morais e vou representá-lo na Corregedoria da Câmara, embora eu ache que o processo não vá para frente. Ele é um protegido do status quo da Câmara Municipal. O alto comando ali acaba sempre abafando as polêmicas dele“.

O entrave entre Holiday e Cristófaro teve início após o membro do MBL ter emitido algumas declarações controversas sobre os vereadores de São Paulo, durante uma entrevista para o apresentador Danilo Gentili. Na atração, Fernando afirmou que os colegas de trabalho não são muito afeitos ao trabalho.

Polícia Militar proíbe Parada LGBT de Aglomerado da Serra, em MG.




O Aglomerado da Serra, maior favela de Minas Gerais, teria hoje sua primeira Parada do Orgulho LGBT, mas foi proibida pela Polícia Militar. O evento ocorreria de 12h às 20h, mas a Polícia embargou antes de se iniciarem as atividades, quando o público já começava a participar. Os organizadores avisaram que todas as devidas autorizações para a realização do evento foram solicitadas pela Prefeitura de Belo Horizonte, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. As informações são da Mídia Ninja.

Nota da Organização da Parada LGBTQI da Serra

A Organização da Parada LGBTQI+ da Serra vem por meio desta se manifestar contra a violação do direito de livre manifestação.

A Organização solicitou à Prefeitura de BH, a PM MG e ao CBMG as devidas autorizações para a realização do evento, nos termos e prazos estabelecidos pela legislação.
Apesar da solicitação ter sido efetuada com muita antecedência, a PM MG, de última hora, indeferiu o pedido.

A PM MG alegou que o indeferimento teria sido de decisão da PBH e está afirmou o contrário.

Solidariamente, o SindRede BH, Sindicato das Educadoras/és da rede pública municipal de BH, cedeu seu carro de som e fez a solicitação do evento novamente.

Hoje, na hora de início da concentração, a PM MG não autorizou o evento, apesar de se tratar do exercício de livre manifestação que, conforme a Constituição Federal, independe de autorização, bastando comunicação prévia.

Esse fato ocorre em território periférico, o que demonstra que o Estado NEGA direitos humanos e o faz por adotar uma política racista, LGBTfobica.

Na próxima semana, a Organização vai solicitar nova autorização e tão logo soubermos divulgaremos novamente.

Homem trans é amarrado em poste e morto com três tiros na cabeça.




Um crime escabroso ocorreu no Ceará na noite de sexta-feira (6). Um homem trans de 20 anos teve seu corpo arrastado pela rua e foi morto com três tiros na cabeça, no bairro do Pici, em Fortaleza, Ceará. Segundo informações da polícia, a motivação do crime pode ter sido por tráfico de drogas, mas as autoridades não descartam homofobia.

Nesse sentido, o caso está sob o domínio do 11º Distrito Policial de Fortaleza. Yuri Gabriel Castro Farias Praciano, nome social da vítima, foi abordado por três homens, amarrado em um poste e executado com três tiros na cabeça. Segundo estipulado pela polícia, o rapaz tinha passagem na Delegacia por tráfico de drogas.

Segundo o UOL, um comerciante estava no local.“Não vi o que aconteceu, mas ouvi muitos gritos. O pessoal ficou assustado”, disse Jeferson Alves. Nessa direção, a polícia garante sigilo absoluto para quem tiver alguma informação que ajude a esclarecer o caso.

Entrar em contato pelo dique-denúncia no número 181, ou pelo ??(85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda pelo ???(85) ?99111-7498, que é o WhatsApp do departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem.

Jovem denúncia agressão homofóbica por motorista de ônibus em SP.




O ator Marcello Santanna, de 23 anos, postou nas redes sócias que foi vítima de homofobia e que foi agredido por um motorista de ônibus na manhã deste sábado (7) em Cidade Líder, na Zona Leste de São Paulo.


Marcello Santanna mostra resultado da agressão sofrida. 


Segundo Santanna, o motorista parou o ônibus e falou para ele descer depois que viu o ator dando “selinhos” em outro rapaz. O ator saiu do veículo, que faz a linha 3736-10 – Jardim Nossa Senhora do Carmo-Metrô Artur Alvim (os veículos desta linha são micro-ônibus sem cobrador). Em seguida, o motorista desceu e deu um soco no seu rosto. A agressão aconteceu na Avenida Maria Luiza Americano.

“Me recusei [a descer], disse que tinha pago e perguntei qual seria o motivo pra gente sair. Ele, então, levantou, e na mesma hora resolvi não criar uma discussão e me despedi desse rapaz e da minha prima”, relatou.

“Ao descer, levantei as mãos e disse ‘tá tudo bem, eu vou embora’. Ele já veio nos socos, sem ao menos eu nem ter tempo pra terminar de falar. O rapaz e minha prima desceram pra me socorrer, o motorista entrou na lotação e foi embora.”

Segundo o jovem, logo em seguida passou outro ônibus da mesma linha. O motorista deste segundo ônibus o levou até a delegacia, onde Santanna foi orientado a procurar atendimento médico imediato. A prima e o outro rapaz o acompanharam. “Na delegacia, foram muito solícitos, nos levaram até o Hospital Santa Marcelina”, afirmou.

O rapaz pretende voltar à delegacia para registrar o boletim de ocorrência.
Em nota, a SPTrans, que administra o sistema de transporte público de São Paulo, afirmou que “já encaminhou o caso à empresa que opera a linha para que identifique o motorista e tome as providências cabíveis em relação a seu funcionário”.

“Como gestora do sistema de transporte público, a SPTrans realiza junto às empresas operadoras o programa Viagem Segura, com treinamentos que incluem itens como condução segura, respeito aos passageiros, idosos e pessoas com mobilidade reduzida além de conduta durante casos de abuso. Em 2018, o programa treinou 62.739 trabalhadores entre motoristas, cobradores e fiscais”, diz a o comunicado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...