quinta-feira, outubro 10, 2019

NOTICIAS DO MUNDO GAY

EUA negam apoio ao Brasil na OCDE após endosso público de Trump


Bolsonaro e Trump

O governo dos EUA se recusou a endossar a tentativa do Brasil de ingressar na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), marcando uma reviravolta após meses de apoio público por parte das principais autoridades norte-americanas.

O secretário de Estado dos EUA, Michael Pompeo, rejeitou um pedido para discutir uma nova ampliação da OCDE, do clube dos países mais ricos, de acordo com a cópia de uma carta enviada ao secretário-geral da entidade, Angel Gurria, em 28 de agosto e à qual a Bloomberg News teve acesso.

Na carta, Pompeo deixou claro que Washington apoia apenas as candidaturas de adesão de Argentina e Romênia.

“Os EUA continuam a preferir a ampliação a um ritmo contido que leve em conta a necessidade de pressionar por planos de governança e sucessão”, afirmou o secretário de Estado na carta.

A mensagem contradiz a posição pública dos EUA sobre o assunto. Em março, o presidente Donald Trump, em entrevista coletiva conjunta com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, na Casa Branca, declarou apoiou à entrada do Brasil no grupo de 36 países. Em julho, o Secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, reiterou o apoio de Washington ao Brasil durante uma visita a São Paulo.

Os EUA apoiam a ampliação comedida da OCDE e um eventual convite para o Brasil, mas estão trabalhando primeiro para as entradas de Argentina e Romênia, tendo em vista os esforços de reforma econômica e o compromisso com o livre mercado desses países, disse uma autoridade sênior dos EUA, que pediu para não ser identificada porque não está autorizada a falar publicamente sobre deliberações políticas internas.

Homofobia! Soldado israelense faz denúncia: “entraram no quarto e recitaram Levítico”.




A homofobia é uma realidade no mundo inteiro e quando se fala em serviços militares, a coisa se atenua ainda mais. Um homem anônimo que serve na base da Força Aérea Israelense na cidade de Haifa, fez uma denúncia de homofobia, com base em fatos que afirmou ter observado.

As informações são trazidas pelo site Pink News e a denúncia foi apresentada oficialmente ao site Mako. Usando um pseudônimo, começou a relatar o seguinte: “Eles entraram no quarto e recitaram Levítico 18:22, sobre ‘relações sexuais com um homem’, dizendo-lhe: ‘Está vendo? É proibido’. Um dos soldados até disse que os gays merecem uma bala na cabeça”.

Os homofóbicos teriam chamados os LGBTs de pervertidos, se dirigido às trans como as piores pessoas da comunidade, se afirmando como “homofóbicos orgulhosos” e até mesmo cortar órgãos genitais.

O denunciante alertou sobre a linguagem ofensiva a seus superiores, que prontamente alertaram que se o comportamento continuasse, os responsáveis poderiam ser presos. A informação veio de um porta-voz das Forças de Defesa de Israel, que tem uma política de tolerância zero a atitudes do gênero. O segundo cargo mais alto é ocupado pelo General Sharon Afek, assumidamente gay.

Nenhum comentário:

Postar um comentário