quinta-feira, outubro 24, 2019

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Irlanda do Norte legaliza casamento homoafetivo e aborto.



Esta terça-feira, dia 22/10, foi uma data histórica pra Irlanda do Norte. Em uma única decisão, o Parlamento Irlandês descriminalizou o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A nova lei substituiu uma legislação vigente desde o século XIX.


A descriminalização do aborto foi mais controversa que do casamento homoafetivo, pois a lei que criminalizava o aborto, que foi vigorada em 1961, tinha como pena máxima a prisão perpétua, ainda que em casos de estupro, incesto ou quando o feto tinha algum tipo de anormalidade fatal.



A Irlanda do Norte era a única das 4 nações britânicas que ainda proibia o aborto e o casamento homoafetivo. A interrupção voluntária da gravidez já havia deixado de ser crime na Inglaterra, Escócia e no País de Gales desde 1967, já o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2014.


Muitas pessoas celebraram a decisão do Parlamento, de poderem se casar com quem quiserem, sem que isso fosse um crime, outras deram adeus ao século retrasado. Houve até quem fez festa com direito a contagem regressiva para a meia-noite da madrugada do dia em que a nova lei passou a vigorar. O primeiro casamento oficial entre pessoas do mesmo sexo está marcado para feveriro de 2020.

Hong Kong insiste em proibição de casamento gay.


Taiwan é o primeiro país asiático a liberar o casamento LGBT

Uma mulher lésbica identificada apenas como MK moveu uma ação contra Hong Kong, por conta de não poder realizar um casamento, alegando que seus direitos constitucionais estavam sendo desrespeitados. No entanto, a Justiça decidiu por manter a proibição.

As informações são do site ‘Guia Gay Salvador’, que ainda aponta que a Justiça de Hong Kong tomou tal decisão dizendo que o governo não tem obrigação de criar uma regra legal alternativa para que casais homoafetivos tenham direito à união civil, como os heterossexuais tem.

Vale lembrar que Hong Kong já foi uma colônia do Reino Unido, mas foi reintegrada à China em 1997. Apesar disso, é um território autônomo, com governo e economia próprios. Por lá, apesar de tudo, a homossexualidade foi descriminalizada em 1991, assim como a idade de consentimento para essas relações foi ajustada mais justamente em 2006.

Casamentos homossexuais registram aumento em região de Piracicaba.



Desde que o casamento homossexual foi permitido no Brasil, se observa o movimento — mesmo que mais lento que os demais — de aumento dessas uniões. Na região da cidade paulista de Piracicaba foi feito um levantamento que traz dados animadores.

Como explica o G1, de acordo com a Fundação SEADE (Sistema Estadual de Análise de Dados), a região contou com 77 casamentos homoafetivo. O número é produto de uma análise de mais outras 10 cidades: Capivari, Charqueada, Cosmópolis, Limeira, Nova Odessa, Rio das Pedras, Santa Bárbara D’Oeste, São Pedro e Engenheiro Coelho.

Piracicaba, por encabeçar o grupo, foi a cidade com mais casamentos, no total 22. Na maioria das cidades, o casamento entre mulheres foram mais numerosos. Ainda de acordo com o levantamento, se comparar 2017 com 2018 — ano de análise — se observa um aumento de 67% nas uniões.

No DF, jovem é esfaqueado 22 vezes por 16 homofóbicos após festa beneficente feita por ele.


Mãe do rapaz diz que agressores gritavam que o filho dela merecia morrer por ser homossexual.

Vítima de homofobia, um jovem de 23 anos foi esfaqueado 22 vezes na Rua do Lago, principal via de Brazlândia. O promoter Felipe Augusto Correa caminhava pela calçada quando acabou cercado por 16 homens, alguns portando armas brancas. A vítima havia deixado uma festa beneficente organizada por ela em uma área rural da região administrativa. Os suspeitos o perseguiram e atingiram com golpes na cabeça, no peito, nas costas e nos braços. A 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia) investiga o caso, ocorrido em 6 de outubro, como tentativa de homicídio provocada por crime de gênero.

De acordo com a mãe do promoter, os criminosos atacaram em bando quando o filho deixava o evento e retornava para casa. “Antes de receber tantas facadas, a última coisa que ele conseguiu ouvir dos bandidos é que iria morrer por ser homossexual”, disse. O rapaz tentou se defender e correr dos algozes, mas foi alcançado. Mesmo com dezenas de testemunhas que deixavam os bares nas proximidades, os agressores não se intimidaram em tentar matar o rapaz.

Segundo a mulher, a primeira facada foi na cabeça. Após cair, ele acabou golpeado outras 21 vezes. “A sorte foi que um casal de amigas dele estava próximo, e uma delas correu e o abraçou para que parassem de esfaqueá-lo”, contou. Após as agressões, o filho foi internado no Hospital Regional de Brazlândia (HRB).

“Meu filho entrou dentro desse veículo, onde havia inclusive um bebê. Mesmo assim, os agressores cercaram o carro e ameaçavam quebrar os vidros para matar Felipe. Por sorte, o rapaz arrancou em direção ao hospital”, disse a mãe do promoter.

Quando chegou ao hospital, Felipe precisou passar por cirurgia e foi internado em uma unidade semi-intensiva. O jovem chegou a ter um dos pulmões perfurado e precisou de um dreno, colocado pelos médicos.

“Foi um crime muito violento, e meu filho escapou por milagre. Ele foi atacado por causa de sua orientação sexual, e isso é brutal. A todo instante, ele pedia para as pessoas próximas não o deixarem morrer. Ele foi acuado e esfaqueado como um animal”, desabafou a mãe.

Felipe foi liberado pela equipe médica no último domingo (20/10/2019) e foi ouvido pelos investigadores da Polícia Civil nessa segunda-feira (21/10/2019). A 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia) trata o caso como prioridade.

Como se trata de um crime de gênero, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa (CLDF) irá acompanhar o caso.

Amigos e familiares de rapaz que levou 4 tiros após beijo em ficante protestam na Bahia.


Amigos e familiares fazem protesto em Camaçari.

Amigos e familiares do homem que levou quatro tiros após beijar outro rapaz dentro de um bar na Bahia fizeram um protesto nesta terça-feira (22), em Camaçari, na região metropolitana de Salvador.

Marcelo Macedo, de 33 anos, foi agredido na noite do último domingo (20), também em Camaçari. Um grupo de homens que estava no bar é suspeito do ataque, mas nenhum deles foi localizado.

Segundo os manifestantes, o protesto começou por volta das 17h30, na Avenida Jorge Amado e seguiu até a delegacia da cidade. O ato foi finalizado às 19h.

Com cartazes nas mãos, eles pediram justiça e respeito.

Caso

Vítima de homofobia, Marcelo Macedo foi agredido e baleado em um bar na Bahia. 

Marcelo Macedo foi agredido e baleado após trocar beijos com outro homem, em um bar da cidade de Camaçari, na região metropolitana de Salvador.

Vítima de homofobia, Marcelo Macedo foi agredido e baleado em um bar na Bahia.

De acordo com a delegada Thais Siqueira, titular do município, a vítima contou que antes do ataque começar foi questionada “se não tinha vergonha de fazer isso na frente de pais de família”.

Segundo a delegada, um dos tiros atingiu um dos braços da vítima e outros três o abdômen.

Após o ataque, os suspeitos fugiram do local do crime, e Marcelo foi levado para o Hospital Geral de Camaçari (HGC), onde segue internado nesta terça-feira. Segundo familiares, ele passa bem.

A autoria do crime está sob investigação. De acordo com a delegada Thais Siqueira, câmeras de segurança do bar foram solicitadas e testemunhas serão ouvidas nos próximos dias para esclarecer o caso.

Travesti se finge de morta para sobreviver a enforcamento em Porto Velho.




Uma travesti de 20 anos se fingiu de morta para poder sobreviver a um ataque no bairro Nova Esperança, em Porto Velho. Segundo relato da vítima à Polícia Militar (PM), na quinta-feira (17/10) ela foi agredida e enforcada depois de ir cobrar um mecânico por uma dívida de programa sexual. Dois homens foram presos pelo crime.

De acordo com boletim policial, a tentativa de homicídio aconteceu depois da travesti ir até a casa de um homem, de 33 anos, para cobrar o valor de um programa sexual feito entre os dois, ainda na quinta-feira. No imóvel, o suspeito e a travesti iniciaram uma discussão e depois passaram a se agredir com socos e pontapés. Neste momento a vítima foi arrastada pelo suspeito para dentro de um carro, onde dentro havia um jovem de 21 anos.

O rapaz de 21 anos então imobilizou a travesti pelo pescoço e o mecânico, de 33, assumiu a direção do veículo. A vítima foi levada pela dupla até um terreno baldio, onde sofreu novas agressões. Quando era enforcada por um dos suspeitos, a travesti diz que se fingiu de morta e então a dupla fugiu. Logo depois a vítima se levantou e pediu ajuda no prédio do Ministério da Agricultura, onde o vigilante de plantão acionou a PM. A vítima foi socorrida até a Policlínica Ana Adelaide para receber atendimento médico e logo depois os policiais encontraram os suspeitos do crime.

O mecânico de 33 anos confirmou ter discutido com a travesti por causa da dívida de programa sexual, mas alegou que estava sendo chantageado. Ele relatou ter conhecido a vítima há uma semana em um bar perto da rodoviária de Porto Velho, e, na quinta-feira, a mesma ameaçou contar publicamente que eles tinham ficado. Ainda segundo a polícia, o mecânico alega que já tinham pagado R$ 100 pelo programa sexual, mas a travesti teria o procurado novamente e feito novas chantagens. O homem relata que, durante a confusão, a vítima danificou o carro dele.

O mecânico e o rapaz de 21 anos receberam voz de prisão por tentativa de homicídio e foram levados à Central de Polícia. O veículo será periciado.

Transexual morre após ser agredida na Zona Sul de São Paulo.


A transexual Lorena Vicente, de 23 anos, morreu na tarde desta terça-feira (15/10), após ser agredida na noite desta segunda-feira (14/10), na Avenida Fim de Semana, no Jardim São Luís, na Zona Sul de São Paulo. A morte acontece dois anos depois que o irmão de Lorena, Petherson Roberto dos Santos, ter sido foi morto quando defendia a irmã de provocações transfóbicas.

De acordo com testemunhas, o tio de uma das amigas de Lorena a agrediu com socos por culpá-la pela overdose da sobrinha. A jovem morreu em decorrência de um edema cerebral causado pelos golpes recebidos na cabeça. Segundo apuração do site Universa, o boletim de ocorrência não respeita o nome social da vítima, um direito garantido por lei municipal, e nem a delegacia responsável, nem a Secretaria de Segurança Pública (SSP) souberam informar se o crime está sendo investigado como transfobia.

Lorena estava prestes a concluir o ensino médio por meio do programa Ensino Para Jovens e Adultos (EJA) e segundo o professor de História da jovem, Severino Honorato, ela era alvo de bullying na escola por ser transexual, mas insistia na educação para realizar o sonho de ser médica. O caso foi registrado pelo 37º DP, onde a investigação do caso será feita. O delegado solicitou carro de cadáver e exames necroscópico e toxicológico à vítima.

Primeiro homem trans no SPFW protesta durante desfile da Cavalera: “Respeito trans”.


O fim desta quarta-feira (16) na São Paulo Fashion Week (SPFW) foi marcada pelo protesto do modelo Sam Porto, de 25 anos, primeiro homem trans a desfilar no evento. Natural de Brasília, o rapaz tirou a camisa e exibiu a mensagem “Respeito trans” durante seu desfile para a marca Cavalera.

“Acho que é importante eu me posicionar para mostrar que pessoas como eu estão no mundo da moda e que merecem respeito”, diz ele em entrevista para Universa. Há dois anos, começou a fazer trabalhos como modelo, mas apenas para marcas que ele conhecia pessoalmente. “Não queria entrar em uma agência porque tinha medo de ser confundido com uma pessoa andrógina e ser colocado com o casting de mulheres”.

“Sempre fui assim, me vestia com roupas de menino. Meus pais até tentaram que eu usasse roupas femininas, mas à medida que fui crescendo eles começaram a respeitar a forma em que eu me sentia confortável para me vestir”, afirmou Sam, que apesar do posicionamento bem resolvido, entende que não é todo mundo que pode se sentir à vontade em carregar a plaquinha de “transgênero” o dia inteiro. “Falo que sou privilegiado porque meus pais me apoiam, tenho uma boa ‘passabilidade’. Por isso respeito quem não quer bater no peito em relação a isso.”



Um comentário:

  1. Em dic Andra Maria Lupu, forma, Andorra la Vella. Després de dotze anys de matrimoni, jo i el meu marit hem estat en una disputa o l’altra fins que finalment em va deixar i es va mudar a Califòrnia per estar amb una altra dona. Vaig sentir que la meva vida s’acabava i els meus fills van pensar que mai no tornarien a veure el seu pare. He intentat ser fort només pels nens, però no he pogut controlar els dolors que turmenten el meu cor, el meu cor estava ple de dolors i dolors perquè estava molt enamorat del meu marit. Cada dia i nit penso en ell i sempre desitjo que tornés a mi, estava molest i necessitava ajuda, així que vaig buscar ajuda en línia i vaig trobar un lloc web que em va suggerir que el doctor Osagiede pot ajudar a tornar ràpidament. . Per tant, vaig sentir que l’hauria de provar. Vaig contactar amb ell i em va dir què fer i ho vaig fer, després va fer un encanteri d’amor. 48 hores després, el meu marit em va trucar realment i em va dir que ell trobava a faltar jo i els nens, així que és increïble. Així va ser com va tornar aquell mateix dia, amb molt d’amor i alegria, i va demanar disculpes pel seu error i pel dolor que va causar a mi i als nens. A partir d'aquell dia, el nostre matrimoni era ara més fort que com abans, tot gràcies al doctor Osagiede. és tan poderós i vaig decidir compartir la meva història a Internet que el doctor Osagiede real i poderós lletre d’encanteri que sempre pregaré per viure molt de temps per ajudar els seus fills en temps de problemes, si esteu aquí i necessiteu el vostre ex. de tornada o el teu marit es va mudar a una altra dona, no ploris més, contacta ara amb aquest potent ruixador d’encanteri. Aquí teniu el seu correu electrònic de contacte a: doctorosagiede75@gmail.com o whatsapp al +2349014523836
    o viber +2349014523836

    ResponderExcluir