terça-feira, outubro 08, 2019

SEXO

"Como era o sexo gay antigamente?" - HOMOSSEXUAL NA ANTIGUIDADE


Na Grécia antiga, as mulheres só serviam para reprodução... Prazer era exclusividade do macho... e só valia homem com homem mesmo...Era perfeitamente normal e aceitável a homossexualidade. 



Muitas sociedades consideravam a homossexualidade como algo "normal". O exemplo mais conhecido é a Grécia antiga. O amor entre os homens era idealizado na arte e na poesia grega. A mitologia grega está cheia de histórias de amor de gays e lésbicas. Na sociedade grega um homem que se apaixonasse e tivesse relações sexuais com outro homem era visto como sendo perfeitamente normal. 


A história de Adonis e Narciso, por exemplo, fala de um deus caindo na luxúria e perseguindo belos jovens. O culto a Adonis tinha templos e festivais dedicados a celebrar e promover relações homossexuais. 


Isso não deve levar-nos a crer que a sociedade grega era um paraíso sem opressão. Era uma sociedade baseada na escravidão, na qual a maioria da população era composta de escravos. Escravos não tinham nenhum direito - escravos fortões para trabalhos pesados, escravos passivos (ou efeminados) para trabalhos domésticos, e assim por diante. 


Além do mais, as mulheres possuíam uma moral tão baixa, que os homens pensavam que era impossível para eles e uma mulher terem uma relação amorosa de igual para igual - as mulheres eram para cuidar da casa e das crianças, o amor era com rapazes. Era uma sociedade altamente opressiva e deprimente. 


Na cidade de Esparta o amor entre jovens e homens era um aspecto importante em seu exército. Um guerreiro treinava um jovem na arte da guerra, um aprendizado longo e árduo. A relação entre o guerreiro e o seu aprendiz era próxima e vital, tão importante que os planos de batalha do exército espartano eram feitos com base nessa relação. 


No Japão feudal - os samurais - tinha idéias semelhantes às dos espartanos, refletidas em poemas e histórias de amor gay da época. 


Ainda fazia parte das obrigações do aprendiz "servir de mulher" ao seu mestre, havendo a crença de que, por meio do esperma, se transmitiam heroísmo e nobreza.  


Também havia a justificativa de treiná-los para as guerras, nas quais inexistia a presença de mulheres. Era um privilégio da nobreza. 


Nas olimpíadas gregas, os atletas competiam nus, exibindo a beleza física, sendo proibida a presença das mulheres nas arenas pois eles achavam que elas não tinham capacidade para apreciar o belo. 


Que besteira dos gregos...Se a mulher não era capaz de apreciar o belo... quem seria? 


Assim não há nada de pervertido no amor gay. A sua existência pode ser constatada em quase todas as sociedades, mesmo naquelas que o proíbem ferozmente. 


O amor entre pessoas do mesmo sexo é um aspecto comum da sexualidade humana. O que precisa ser explicado é porque algumas sociedades o oprime.


O que dizer da Homofobia de hoje?


Um comentário:

  1. Isto eu já sabia...
    Que desde que o mundo é mundo, a atração pelo mesmo sexo é um aspecto comum da sexualidade humana.

    ResponderExcluir