terça-feira, dezembro 31, 2019

HOMOSSEXUALIDADE

7 motivos por que você não está conseguindo cumprir suas metas (não ignore o número #4)



Todo início de ano é a mesma coisa:

Você se veste de branco, abraça sempre um outro homem quando dá a meia noite, come lentilha embaixo da mesa e, claro, carne de porco (porque não cisca para trás, né mores). Aposta, também, naquela boa cueca da virada: vermelha para dar uma guinada na vida amorosa, ou amarela para vencer os boletos do Réveillon.

Daí corre para a praia e pula as sete ondas. Faz os seus desejos.  Pede uma força para Iemanjá, para Deus e para todos os santos. Acende vela, sobe escada, toma banho de ervas…

Tudo bem bonitinho, como manda a tradição (e os supersticiosos).

Esse ano vai, você pensa.

Só que daí os meses passam. E um belo dia você se dá conta de que “ops, já é julho e ainda não realizei porra nenhuma”.

Essa história te parece familiar?

Seus objetivos de Ano-Novo nunca saem do papel? Parece até que Iemanjá anda fazendo vista grossa para você?

Então, pare já de contar com as simpatias e conheça agora 7 razões por que você não está conseguindo cumprir as suas metas.

#1. As suas metas não são específicas o bastante

Erro clássico!

Você diz que quer muito um relacionamento. Um novo emprego. Uma vida mais feliz.

Mas não tem bem claro o que aceita e o que não aceita nesse relacionamento. Não faz ideia de qual seria o trabalho ideal. E a felicidade? Ah, ser feliz é bom, né? Mas você não tem nem uma pista do que isso significa exatamente para você.

Pois, então, eu te digo já:

Para quem não sabe o que quer, qualquer coisa serve, gato.

Sabe o que te falta?

Falta clareza. Falta especificidade.

Quando você diz, por exemplo, que a sua meta é emagrecer, isso é muito vago.

De quantos quilos estamos falando?

1kg, 5kg, 10kg? Quantos?

E por que é necessário saber ESPECIFICAMENTE qual é a sua meta?

Porque a estratégia para perder 1 kg é diferente da estratégia para perder 10 kg, certo?

Assim como a estratégia para conquistar um cara a fim de relacionamento sério e fechado é diferente do que você faria se o objetivo fosse encontrar alguém para viver no anonimato.

E assim por diante.

Entende que apenas tendo essa clareza é possível fazer um planejamento efetivo?

Por isso, sugiro que você use a partir de agora uma ferramenta poderosa, muito utilizada em processos de coaching.  

Já ouviu falar em objetivos SMART?

SMART é a sigla em inglês para Specific, Measurable, Achievable, Relevant e Time-bound. Ou seja, 
Metas e objetivos SMART são aqueles que são Específicos, Mensuráveis, Alcançáveis, Relevantes e 
Delimitados em um recorte de tempo.

E que caralhos você faz com isso?

É muito simples. Cada vez que você se colocar um objetivo, se pergunte:

Isso é específico? Você consegue definir com detalhes?

É possível medir? Se não é, como você terá a certeza de que alcançou o seu objetivo? Que coisa precisa acontecer para que você tenha a certeza de que conseguiu?

É possível atingir? Objetivos precisam ser viáveis.

É relevante o bastante? ou seja, é isso mesmo que você está buscando?

Em quanto tempo eu consigo fazer isso? Coloque datas, prazos. Caso contrário, você nunca dará o primeiro passo.

#2. Você não conhece os seus próprios recursos e dificuldades

Em outras palavras: você não sabe as qualidades que têm a seu favor para conquistar o seu objetivo, nem as possíveis interferências que poderá encontrar pelo caminho.

Ou seja, além de não saber muito bem para onde está caminhando, você está indo completamente no escuro.

Então, eu te pergunto:

Quais são os seus superpoderes para alcançar essa meta?

Se você quer um namorado, que características deve colocar em evidência? O que você tem de melhor?

Se é arranjar um novo emprego, quais são as suas maiores habilidades? O que você faz bem como ninguém?

Você precisa conhecer os seus pontos fortes, porque serão eles que te ajudarão a chegar lá. Da mesma forma, deve estar ciente das barreiras que podem surgir pela frente.

É claro que algumas você só vai identificar no momento que tiver “botando a mão na massa”, mas outras já podem ser antecipadas:

Você pode levar um fora. Pode levar vários “nãos”. A sua família pode não te apoiar. Algumas pessoas podem rir de você. Você pode ter dias de bad.

Como você vai reagir a tudo isso?

Pensar previamente nas interferências (externas e internas) te ajuda a montar um plano de ação. Consequentemente, você fica mais forte e preparado para enfrentar os problemas.

#3. Você não visualiza as suas metas

Como assim não visualizo?

É o seguinte:

Meta precisa ser vista. Literalmente e figurativamente.

O que eu quero dizer com isso?

Que você precisa escrever a porra da meta em um lugar que seja acessível aos olhos TODOS OS DIAS.

Pode ser num post it para colar no computador, na geladeira, no espelho do banheiro. Pode ser um lembrete no celular, não importa.

O que importa mesmo é que você veja e relembre o que escreveu sempre. Para manter o foco.

E ainda mais importante: é necessário que você também se imagine realizando esse objetivo.

Você consegue se visualizar com um namorado? No novo emprego? Ganhando dinheiro? Magro, muso, deuso?

Pois, então, comece a formar essas imagens da sua cabeça. Se veja lá, fazendo o que quer. Sendo a pessoa que quer.

Lembre-se: você tem o que acredita que pode ter, não o que você quer ter.

#4. Você ignora o “para que” da meta

Agora vem a pergunta do milhão: para que você quer isso?

Para que quer emagrecer?

É para atrair os homens? É para recuperar o desejo do seu namorado? É para causar inveja nas inimigas? É para postar foto na praia?

Para que quer mais dinheiro?

É para ser visto pelas pessoas como alguém foda? É para provar para os seus amigos que você pode? 

É para comprar uma casa? Um carro?

Para que você quer um namorado?

É para compartilhar a vida? Para sentir que não está sozinho? Para ter um companheiro?

Para que quer mudar de emprego?

É para aumentar seu prestígio profissional? É para poder dar uma vida melhor para a sua família? 

Entende que todas as metas têm uma razão forte por trás?

E conhecer essa razão é essencial! Sabe por quê?

Porque esse é o seu real objetivo. E é, precisamente, isso que vai te dar a motivação necessária para não desistir. 

Não basta simplesmente querer ir do ponto A ao ponto B. Você tem que ter um motivo que te faria ir até a lua, se preciso.

E daí, meu amigo, eu te garanto: faça chuva ou faça sol, você vai levantar da porra da cama com sangue nos olhos.

#5. Você se coloca desafios muito difíceis

Por algum motivo desconhecido, existe uma crença forte de que quando um plano é complicado, é mais poderoso.

Mas isso está longe de ser verdade!

Anote no caderninho, na porta da geladeira, no fundo de tela do computador, mas não esqueça:

A COMPLEXIBILIDADE É INIMIGA DA IMPLEMENTABILIDADE!

É isso. Quanto mais difícil for o objetivo que você quer alcançar, maior é a chance que você desista. E mais vai ter que lutar contra o seu amiguinho sabotador.

Não caia no erro de querer ir do 8 ao 80.

Então, mantenha as coisas simples.

Não estou dizendo aqui que você não tem capacidade e potencial para alcançar grandes vitórias. Nada disso.

Apenas estou sugerindo que você quebre esses objetivos em metas menores. E que passe a comemorar cada pequena conquista. 

O segredo é começar com submetas que sejam incrivelmente fáceis, a ponto de você simplesmente não conseguir dizer não.

É economizar o que você quer? Comece guardando as moedas do troco em um cofrinho.

É praticar atividades físicas o que você quer? Comece indo na academia apenas uma vez por semana.

Só quando o hábito for completamente incorporado à rotina, aumente a sua dificuldade aos poucos.

#6. Você esquece que FEITO é melhor que PERFEITO

Isso acontece com BASTANTE frequência.

Você come aquele chocolatão que não deveria. Daí, já que saiu da dieta, vai lá e mata uma pizza com borda catupiri. Já que chutou o balde mesmo, então por que não finalizar com um cupcake de doce de leite?

É tudo, ou nada.

Muitas pessoas são assim: ou fazem tudo regradíssimo, ou cagam tudo de uma vez. Ou é para ser perfeito, ou então melhor nem seguir tentando…

Close erradíssimo!

Feito é melhor que perfeito. Meio é melhor do que nada.

Não vai dar para malhar 1 hora? Melhor malhar 15, 10, 5 minutos do que nada. Não rolou fazer o trabalho da maneira como você esperava? Melhor fazer algo, do que simplesmente desistir. Não resistiu ao docinho? Melhor parar por aí do que simplesmente enfiar o pé na jaca…

Erros de percurso são absolutamente normais.

Mesmo que você tenha limitações no começo, mesmo que você não tenha todos os recursos inicialmente pra fazer aquilo da forma como gostaria, ou da forma como o seu perfeccionismo gostaria, vá lá e faça acontecer.

#7. Saber lidar com o fracasso

E o último motivo vai em linha com o anterior.

Essa talvez seja arma mais poderosa das pessoas bem sucedidas: a capacidade de reconhecer quando um sentimento negativo aparece, e qual é a melhor forma de lidar com ele.

Elas já sabem que vão ter problema. Sabem que vão tomar um não. Sabem que, inevitavelmente, vão fracassar.

Mas sabe o que elas fazem?

Seguem tentando.

Eu sei que, provavelmente, você foi ensinado desde cedo que fracassar era “feio”. É um medo quase infantil, de magoar os nossos pais por não sermos quem eles gostariam que a gente fosse.

Só que isso não poderia estar mais longe da verdade.

E poderá soar até um pouco estanho o que eu vou dizer agora, mas fracassar, na realidade, é o melhor que você pode fazer por você mesmo.

Claro que é chato (e às vezes bem desmotivante) ter problemas nos relacionamentos, no trabalho e na família. É evidente que ninguém gosta de ser rejeitado, demitido ou julgado.

Você provavelmente não gosta (e eu também não) de ter que lidar com a sensação ter errado, de ter falhado, ou ter feito uma cagada federal.

Mas sabe o que pouca gente percebe?

Que tudo isso faz parte do processo. E que cada falhanço está, na verdade, te colocando mais próximo do seu objetivo.

Não tem jeito, amigo.

O sucesso de verdade vem depois de muitos “nãos” e tapas na cara. Vem depois de errar muitas vezes. Depois de muitos foras e palavras duras. Depois de chegar no fundo do poço e encontrar o impulso necessário para sair de lá…

Invejosos dirão que era fracasso. Mas não se engane:

Era resiliência!

No fim das contas, a diferença entre FRACASSO e SUCESSO é puramente a maneira como você interpreta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário