quinta-feira, janeiro 09, 2020

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Estudante é condenado à prisão perpétua por estuprar 48 homens.




Um estudante de pós-graduação da Indonésia foi condenado à prisão perpétua por ter sido considerado culpado de atrair 48 homens que estavam em boates de Manchester, no Reino Unido, para seu apartamento, onde os drogava, abusava e filmava o crime. No entanto, a polícia afirma ter evidências de que ele tenha feito pelo menos 190 vítimas.

Reynhard Sinaga, de 36 anos, filmava os ataques em seus celulares. As imagens mostram claramente que muitos homens estavam dormindo e roncando enquanto era abusado sexualmente. Um dos ataques durou até oito horas! O estudante, que nega as acusações, alegou que toda a atividade sexual era consensual e que cada homem havia concordado em ser filmado enquanto fingia estar dormindo — estratégia de defesa descrita pela juíza como “ridícula”. Sinaga tinha como alvo principal homens jovens e heterossexuais que normalmente saíam no fim de semana desfrutando de uma noite na cidade.


Ele foi condenado à prisão perpétua, com direito a liberdade condicional após cumprir uma pena mínima de 30 anos de prisão. O julgamento também permitiu que ele fosse identificado pela primeira vez. O Ministério Público britânico (CPS, ou Crown Prosecution Service) afirmou que Sinaga era “o estuprador com maior número de casos da história jurídica britânica”. As condenações de Sinaga estão relacionadas aos crimes que ele cometeu de janeiro de 2015 a junho de 2017, mas a polícia acredita que ele começou a cometer as infrações anos antes.

Bolsonaro usa fake news para falar sobre educação: “Sai kit gay, entra leitura em família”.



O TSE desmentiu esse boato, usado por Jair Bolsonaro desde a campanha para atacar adversários e o movimento LGBT.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, se reuniram nesta terça-feira (07/01/2019) para fazer um balanço da educação brasileira em live transmitida no Facebook.

Bolsonaro frisou a mudança em livros didáticos promovida pelo Ministério da Educação (MEC). “O pai quer que o filho seja homem e que a filha seja mulher, evidentemente. O que estava nos livros escolares é uma vergonha, livros péssimos que chegavam e deseducavam a galera. Sai o kit gay e entra a leitura em família”, ressaltou.

Durante a campanha eleitoral, o TSE desmentiu esse boato, usado por Jair Bolsonaro para atacar adversários e o movimento LGBT.

O presidente ressaltou ainda mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano passado. Weintraub apontou as principais “melhorias”.

“[Na edição anterior], o Enem teve linguagem secreta dos gays. O do ano passado foi tão bom que não teve um jornaleco para comparar. Acabou a balburdia. Tem que estudar”, apostou.

“Quero que o Enem selecione as melhores pessoas para a gente e para a sociedade. Tem que saber matematística, biologia, química e não linguagem gay”, frisou.

Justiça do RJ determina que Especial do Porta dos Fundos com Jesus gay seja retirado do ar.



Decisão liminar – provisória – atende a pedido feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. Mérito da ação ainda será analisado.

O desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou nesta quarta-feira (8) em decisão liminar – provisória – que a produtora Porta dos Fundos e a Netflix retirem do ar o “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”.

“Por todo o exposto, se me aparenta, portanto, mais adequado e benéfico, não só para a comunidade cristã, mas para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã, até que se julgue o mérito do Agravo, recorrer-se à cautela, para acalmar ânimos, pelo que concedo a liminar na forma requerida”, escreveu o magistrado.

A decisão atende a pedido feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura que, em primeira instância e durante o plantão judiciário, havia sido negado.

O Gay1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Netflix, mas ainda não houve retorno.

Ataque a sede de produtora

Na madrugada de 24 de dezembro, a sede da produtora do Porta dos Fundos no Humaitá, Zona Sul do Rio, foi alvo de um ataque. Dois coquetéis molotov foram jogados contra a fachada do imóvel. O caso foi registrado como crime de explosão na 10ª DP (Botafogo).

Houve danos materiais no quintal e na recepção. Segundo integrantes do grupo, caso não houvesse um segurança no local, todo o prédio teria sido incendiado. O fogo foi contido pelo funcionário.

A produtora Porta dos Fundos tem sido criticada nas redes sociais por vários grupos cristãos fundamentalistas pela maneira como retratou Jesus no especial de Natal de 2019, um programa de humor, exibido na Netflix.

O filme insinua que Jesus é gay e teve uma experiência com outro homem após passar 40 dias no deserto.

Desembargador que vetou Porta dos Fundos se disse contra a ‘censura’ ao votar por absolvição de Bolsonaro por homofobia.


E em 2017, o desembargador Benedicto Abicair foi relator de um recurso de Jair Bolsonaro, então deputado federal, no TJ-RJ, numa acusação de homofobia. 

Ao relatar recurso do então deputado, Benedicto Abicair afirmou: 'Não vejo como, em uma democracia, censurar o direito de manifestação de quem quer que seja'.

Responsável pela decisão de suspender a veiculação do especial de Natal do Porta dos Fundos na Netflix (“A primeira tentação de Cristo”), o desembargador Benedicto Abicair, da Sexta Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), relatou em novembro de 2017 um processo no qual o presidente Jair Bolsonaro, então deputado federal, foi condenado em segunda instância a pagar indenização por dano moral em ação movido por grupos de defesa dos direitos LGBTQI+ que o acusaram de ter dados declarações homofóbicas e racistas. Segundo O Globo, na ocasião, Abicair votou a favor de um recurso de Bolsonaro sob a argumentação de que, em uma democracia, não via como “censurar o direito de manifestação de quem quer que seja”.

Bolsonaro era réu por ter dito ao programa “CQC”, da TV Band, que não teria filhos gays porque os seus “tiveram boa educação”. Outras declarações concedidas à atração também foram objeto da ação.

Após perder em primeira instância e ser condenado a pagar R$ 150 mil ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDDD), do Ministério da Justiça, Bolsonaro entrou com recurso no TJ-RJ pedindo sua absolvição no caso. Esse recurso foi relatado por Benedicto Abicair, que teve o voto a favor da absolvição vencido pela maioria dos desembargadores.

Lésbicas são agredidas por homofóbicos em fila do Hopi Hari: “Disse que me agrediu porque pareço homem”.


A Polícia Civil de Vinhedo (79 km de São Paulo) investiga a agressão sofrida por cinco mulheres no Hopi Hari no último domingo (05/01). As mulheres, que são homossexuais, dizem que a violência, praticada por três homens, foi motivada por homofobia.

A fotógrafa Gabrielle Amato, de 26 anos, foi uma das vítimas. Ela diz que estava com a mulher, Carol Amato, 23 anos, e mais três amigas – duas delas, Mayara Mahmad, de 26, e Amanda Bezerra, de 19, são namoradas. Segundo Gabrielle, o grupo estava na fila da Montezum, montanha-russa do Hopi Hari, jogando jokenpô para decidir a distribuição delas no carrinho da atração.

“Foi quando um homem que estava atrás da gente, junto com um senhor de idade, chegou perto e perguntou se a gente estava brincando. Na hora eu realmente pensei que ele quisesse fazer o jokenpô, porque estava um clima muito leve, a gente estava se divertindo. Perguntei se ele queria brincar e ele ficou furioso. Aí as agressões começaram”, disse Gabrielle. “Esse rapaz gritou que deu um soco por ter achado que minha amiga se parecia com um homem, e que ela deveria apanhar por isso. Aí, começou a nos xingar de sapatão”, contou ela, que ainda recebeu um chute e um apertão no braço.

As agressões foram contidas por funcionários e seguranças do Hopi Hari. As vítimas foram levadas para uma sala do parque, onde receberam atendimento médico. Já os agressores, fugiram do local. O caso está sendo investigado por uma delegacia de Vinhedo. O Hopi Hari emitiu uma nota de repúdio contra o episódio lembrando ser completamente contra qualquer tipo de discriminação dentro e fora de suas dependências.

Travesti é morta a tiros no Centro de Fortaleza; polícia investiga motivação do crime.


Uma travesti foi morta a tiros na Rua do Rosário, no Centro de Fortaleza, na noite desta segunda-feira (06/01). A vítima trabalhava fazendo programas na região.

De acordo com a Polícia Militar, a travesti estava sem identificação e foi atingida por disparos na cabeça. Equipes do 5º Batalhão da Polícia Militar realizam buscas na área para tentar identificar o suspeito. A motivação do crime é desconhecida.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o homicídio. Um inquérito policial foi instaurado no intuito de apurar a motivação e identificar o autor do crime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário