sexta-feira, fevereiro 14, 2020

MINHA VIDA GAY

Diário com 200 anos questiona criminalização da homossexualidade.



Agricultor inglês do século XIX vem revolucionar as perspectivas dos historiadores modernos.

Um diário de um agricultor inglês do século XIX, descoberto acidentalmente pela investigadora da Universidade de Oxford, Eamonn O’Keeffe, vem revolucionar as perspectivas dos historiadores modernos por questionar a criminalização da homossexualidade.

De acordo com a CNN, o diário de Matthew Tomlinson foi descoberto acidentalmente quando O’Keeffe investigava o papel de músicos britânicos militaristas durante a época das invasões francesas.

Nas passagens do diário, datado de 1810, Tomlinson escreve sobre a morte de um cirurgião da marinha que foi sodomizado – um castigo recorrente aplicado a homossexuais no século XIX. Segundo Tomlinson, penalizar as pessoas por causa de algo que era a sua “natureza desde a infância” era injusto.

“Parece-me um paradoxo como os homens, que são homens, deveriam possuir tal paixão e mais particularmente, se essa é a sua natureza desde a infância (como me foi dito) – se eles sentem essa inclinação e propensão, naquele momento da vida em que os jovens se transformam em homens, então isso deve ser considerado natural, caso contrário, é um defeito na natureza… parece cruel punir esse defeito com a morte. […] Deve parecer realmente estranho que Deus possa fazer um ser com tal natureza ou com um defeito dessa natureza e, ao mesmo tempo, decretar que, se aquele que ele criou seguisse, a qualquer momento, os chamamentos da natureza com a qual nasceu, seria punido com a morte”, escreveu o agricultor.

Matthew Tomlinson vem assim contradizer as concepções dos historiadores sobre os comportamentos perante a homossexualidade naquela época, que era visto e pensado apenas como algo anormal e perigoso.

Segundo a CNN, esta descoberta demonstra que no século XIX a mentalidade era mais moderna do que a de 70 países na atualidade que, segundo a ILGA, ainda tratam a orientação sexual com uma forma de desvio e criminalidade.

Dado o seu conteúdo, o diário chamou a atenção de vários historiadores que estão agora a analisar a descoberta, como é o caso de Fara Dabhoiwala, uma professora da Universidade de Princenton, nos Estados Unidos.

Em conferência de imprensa, Dabhoiwalan afirma que os escritos de Tomlinson evidenciam a prova viva de que, “mesmo em tempos de severas repressões, historicamente as atitudes perante as orientações sexuais seriam mais compassivas do que é normalmente presumido.”

Irlanda do Norte celebra seu primeiro casamento homoafetivo.




Duas mulheres residentes em Belfast fizeram história nesta terça-feira (11/02), tornando-se o primeiro casal do mesmo sexo a se casar na Irlanda do Norte, após uma mudança histórica na lei no ano passado. A profissional de saúde Robyn Peoples, de 26 anos, e a garçonete Sharni Edwards, de 27, se casaram na cidade de Carrickfergus, a 18km da capital Belfast. A data marca o sexto aniversário do relacionamento das duas.




“Não pretendíamos fazer História. Simplesmente nos apaixonamos. É com humildade que vemos o nosso casamento ser um marco na luta por direitos iguais na Irlanda do Norte”, disse o casal em um comunicado divulgado pelo grupo Love Equality, que reúne seis organizações da sociedade civil e foi uma das forças mais importantes pela legalização. A mudança legal ocorreu após uma campanha da ONG Anistia Internacional e de outras organizações associadas da coalizão “Love Equality” (Igualdade do amor), que celebrou este casamento como “um momento histórico para a igualdade na Irlanda do Norte”.

“A nossa mensagem para o mundo no dia do nosso casamento é: somos iguais. O nosso amor é pessoal, mas a lei que proibia o nosso casamento era política. Estamos felizes em poder dizer que aqueles dias acabaram. Lutamos muito e por muito tempo por oportunidades iguais e agora estamos aqui e é simplesmente incrível”, comemorou o casal.

Luke Evans, de ‘A Bela e a Fera’, assume namoro com diretor de arte argentino.



No último sábado (08/02), Luke Evans usou as redes sociais para assumir publicamente o seu romance com o diretor de arte de uma rede luxuosa de hotéis, o argentino Rafel Olarra. O artista de 40 anos passa férias no Havaí ao lado do namorado, e publicou um vídeo em sua conta no Instagram em que deixa bem clara a relação.

“Ele ama meu humor galês… Não, honestamente!!! Ele Ama!!! #memóriashavaianas #feliz”, escreveu Evans na legenda do vídeo. Fofo, não é mesmo?! No mês passado, Luke e Olarra foram vistos juntos aproveitando alguns dias de férias em Miami e, desde então, surgiram especulações de que eles estariam formando um novo casal.

Nos comentário, seguidores do ator apoiaram o namoro, desejando felicidades ao mais novo casal. “Isso é tão fofo! Obrigado por compartilhar um pouquinho do seu precioso momento”, declarou um internauta. “Vocês dois parecem tão felizes. Amo isso”, disse uma fã do artista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário