sexta-feira, fevereiro 28, 2020

MINHA VIDA GAY

Menino de 9 anos pede a candidato democrata para presidência nos EUA, que o ajude a sair do armário.



O candidato abertamente gay à presidência, Pete Buttigieg, compartilhou um momento emocionante com um jovem que queria conselhos para se assumir gay. Zachary Ro, de 9 anos, fez uma pergunta selecionada via aquário. “Você poderia me ajudar a dizer ao mundo que eu também sou gay? Eu quero ser corajoso como você.

Zachary, que participou do comício com seus pais, foi convidado a se juntar a Pete no palco. Segundo o Gay Times, ele presenteou o ex-prefeito de South Bend, Indiana com uma pulseira. “Não acho que você precise de muitos conselhos meus sobre bravura. Você parece muito forte”, disse Pete em resposta à pergunta de Zachary.




“Demorei muito tempo para descobrir como dizer até para meu melhor amigo que eu era gay, ainda mais para o mundo todo, então ver você disposto a aceitar quem você é em uma sala cheia de milhares de pessoas é realmente algo muito grande”.

“Deixe-me dizer algumas coisas que podem ser úteis. Nem sempre será fácil, mas tudo bem, porque você sabe quem você é – e isso é realmente importante, porque quando você sabe quem você é, você tem um centro de gravidade que pode mantê-lo unido quando todo o tipo de caos está acontecendo você”.

A poderosa comunidade de aborígenes trans que há décadas combate o preconceito.


Depois de anos sofrendo com preconceito e discriminação, e décadas de luta pela aceitação e reconhecimento, um grupo de aborígenes transgêneros das ilhas Tiwi, na Austrália, enfim uniram-se ao movimento global pelos direitos LGBTIQ e começaram a ser aceitas – e querem que suas vozes sejam enfim ouvidas. Conhecido como Sistagal, o grupo representa cinco por cento da população das ilhas.


Recentemente 30 Sistagals viajaram a Sidney para o carnaval local, através de uma bem sucedida campanha de financiamento coletivo que bancou os custos da viagem – e se tornaram notícia. Com suas roupas coloridas, suas maquiagens e seu espírito festivo e livre, as Sistagals foram fenômeno na cidade australiana.


Segundo uma delas, a ideia da viagem era não só afirmar a própria cultura, como também mostrar às pessoas que toda transformação é possível. Historicamente o grupo foi bastante perseguido e combatido nas Ilhas Tiwi – com uma série de casos de suicídios derivados de tais perseguições – mas que agora enfim começam a conseguir vencer a barreira da homofobia e do preconceito, e com as melhores armas: a alegria e o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário