quinta-feira, março 26, 2020

NOTICIAS DO MUNDO GAY


Pastor dos EUA diz que coronavírus é castigo divino por casamento gay.



Para ele, faz sentido que o coronavírus tenha surgido na China, cujo governo comunista ateu persegue cristãos.

O pastor conservador do Tennessee pregou para seus fiéis de uma igreja em Cleveland que o surto do novo coronavírus tem como causa um castigo de deus, direcionado a temas como o casamento de pessoas homossexuais - ainda que os países mais afetados não tenham sequer leis que permitam esse tipo de união - e o aborto.

De acordo com o site Gay Times, Perry Stone afirmou que "este é um momento de acerto de contas, e sabemos que é, eu sei o que eu ouvi, não inventei isso. Eu ouvi uma frase, uma voz de homem falando, e acredito no Espírito Santo".

Stone prosseguiu: "Por que há um acerto de contas? Porque nós forçamos deus para fora do nosso país e basicamente falamos para ele: 'você não é bem-vindo'. É hora de acerto de contas, porque aprovamos leis que permitem tirar a vida de crianças e porque o casamento foi mudado para algo que nunca foi visto. Ambas as leis são o que deus chama de abomináveis".

O site Gay Times destacou que China, Itália e Irã, os três países mais afetados pelo coronavírus até aqui, não legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Após 50 anos, polícia de NY pede desculpas por repressão violenta de Stonewall.


Marinheiro tira foto em frente ao histórico bar gay Stonewall Inn, em Nova York, no dia 24 de maio 

O chefe da polícia de Nova York pediu perdão pela repressão violenta contra a comunidade LGBT durante os protestos de Stonewall, em junho de 1969. O comunicado foi publicado na quinta 6 deste mês.

“O que ocorreu não deveria ter ocorrido, as ações da NYPD (polícia de Nova York) foram um erro”, declarou James O’Neill, a poucos dias dos eventos pelos 50 anos dos protestos que serviram de marco da luta pelos direitos dos homossexuais.

“Os atos e as leis eram discriminatórios e tirânicos e, por isso, me desculpo”, declarou O’Neill em entrevista coletiva sobre as medidas de segurança para os eventos que vão celebrar esse fato histórico na cidade.

A Revolta de Stonewall

Em 28 de junho de 1969, membros da comunidade LGBT protestaram contra uma batida policial no Stonewall Inn, um conhecido bar gay do bairro de Greenwich Village.

Neste dia, dentro do bar, policiais agiram de forma truculenta e prenderam vários frequentadores e imediatamente, na manhã do outro dia, lideranças da comunidade LGBT começaram a reivindicar direitos através de uma série de protestos que perdura até os dias de hoje com as Paradas do Orgulho LGBT em todo o mundo.

Segundo o G1, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou recentemente que a cidade vai dedicar um monumento a duas mulheres transgênero, heroínas da luta pelos direitos LGTB e participantes dos protestos de Stonewall.

Homens organizam orgia gay durante quarentena e são presos na Espanha.


Oito homens são presos ao organizarem orgia gay na Espanha

Oito homens foram presos na última sexta-feira (20), após tentarem organizar uma orgia na cidade de Barcelona, na Espanha. O país está sobre ordem de isolamento, por conta da pandemia do coronavírus.

Conforme informações de jornais locais, o evento foi descoberto após uma das pessoas convidadas denunciar o caso a polícia. A festa tinha planos de reunir em torno de 29 a 30 pessoas.

Ao chegar no local marcado, a polícia encontrou oito homens, que esperavam pelo início do evento. Além disso, foi apreendido uma grande quantidade de drogas, que seria consumida no local.

Além de tráfico, os homens foram presos por crime contra a saúde pública. Um dos presos foi encontrado com sintomas do coronavírus: tosse e febre alta. Ele foi obrigado a fazer o exame para confirmar se estava com COVID-19, mas o teste deu negativo.

Vale destacar que a Espanha é o quarto país do mundo com um maior índice de casos da doença, ela vem atrás apenas da Itália, China e Estados Unidos. Até o último sábado (21), o número de mortes no país era de 1.326 vítimas.

Prefeitura do Rio leva ação contra COVID-19 a travestis e transexuais que vivem do sexo nas ruas.


Prefeitura do Rio promove ação contra coronavírus com profissionais do sexo

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS-Rio), em conjunto com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), a II Região Administrativa do Centro e o programa de segurança Lapa Presente, promoveu  na noite desta quarta-feira, 24, uma ação de conscientização e enfrentamento ao risco de exposição a infecção pelo coronavírus ( COVID-19) para as profissionais do sexo na região da Lapa, área central da cidade do Rio.

Mulheres cis, travestis, transexuais e garotos de programas que trabalham no mercado sexual pela região do Centro da cidade foram orientados a ficar distante das ruas durante o período de isolamento social. A força tarefa montada, também, contou com as orientações da advogada e ativista Maria Eduarda Aguiar, presidente do grupo Pela Vidda, que há mais de duas décadas, promove apoio às pessoas vivendo com HIV.

Ação da Prefeitura do Rio com trabalhadores do sexo travestis e transexuais na Lapa. Foto: Rafael Gomes, arquivo pessoal

“Fizemos o cadastro dessas pessoas para receber cestas básicas da prefeitura e acompanhamento de saúde. Muitas delas moram na rua ou pagam por diárias em albergues pela região da Lapa. Oferecemos os abrigos do município nesse momento difícil. Somente duas delas aceitaram o acolhimento. Ficamos muito preocupadas com a situação das pessoas LGBTs em situação rua, dos profissionais do sexo que já estão expostos a todo tipo de violência e doenças todos os dias”.

Casa Nem

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual vem acompanhando de perto as necessidades do abrigo LGBT Casa Nem, invasão em Copacabana onde mora mais de 70 pessoas. Duas delas estão isoladas com sintomas do coronavírus. Outro morador da casa foi retirado de ambulância acometido pela doença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário