quinta-feira, abril 16, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY


Homens que queimaram mulher trans viva na Indonésia não serão acusados.



Em 4 de abril, uma transexual de 41 anos foi queimada viva na Indonésia por seis homens, depois de ser acusada de roubar um telefone e uma carteira de um motorista no norte de Jacarta.

Os seis assassinos bateram em Mira e exigiram que ela confessasse, antes de cobri-la com gasolina e incendiá-la. Embora Mira tenha escapado e chegado a um hospital, ela não resistiu.

Na semana passada, autoridades identificaram seis suspeitos, mas apenas três foram presos. De acordo com um representante da Anistia Internacional, nenhum dos suspeitos será processado por não ter “a intenção” de queimar a vítima.

Em vez disso, os suspeitos podem ser acusados ​​de violência física, que acarreta uma sentença máxima de 12 anos.

“A polícia precisa tomar ações investigativas que sejam imparciais. Eles não podem parecer os advogados dos agressores”, disse Usman Hamid, representante indonésio da Anistia Internacional, à Reuters.

Andreas Harsono, pesquisador da Human Rights Watch, disse que a morte horrível de Mira “deve ser um lembrete para muitos indonésios de que mulheres transgêneros merecem justiça e igualdade de direitos.

Os membros da comunidade LGBTQ ainda enfrentam hostilidade e intolerância na Indonésia por causa das normas religiosas e leis anti-LGBTQ, como o Projeto de Lei da Resiliência da Família, proposto no início deste ano.

O projeto proibiria a barriga de aluguel e enviaria todas as pessoas LGBTQ aos centros de reabilitação administrados pelo estado para ‘tratamento’.

Em 2019, a Indonésia quase proibiu a homossexualidade, pois planejava criminalizar o sexo fora do casamento, e casamento entre pessoas do mesmo sexo é ilegal. No entanto, a votação foi adiada após pressão de grupos de direitos humanos.

Esperança: Três vacinas contra o Coronavírus estão em testes clínicos e 70 em desenvolvimento.



Anúncio foi feito pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta quarta-feira (15) que três vacinas contra a Covid-19 estão na fase de testes clínicos e outras 70 se encontram em desenvolvimento.

“Três vacinas estão começando os testes clínicos e outras 70 estão em desenvolvimento. Estamos trabalhando com parceiros para acelerar o desenvolvimento, produção e distribuição das vacinas”, afirmou em coletiva de imprensa.

No entanto, a porta-voz do órgão, Margaret Harris, ressaltou que a previsão é que as vacinas estejam disponíveis apenas daqui um ano.

Bolsonaro usa Abin e Exército para fazer dossiê contra equipe de Mandetta.



Agentes buscam irregularidades em contratos assinados recentemente pelo Ministério da Saúde com empresas prestadoras de serviço

Em nova investida contra o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o presidente Jair Bolsonaro ordenou o Comitê de Crise do Planalto, formado por militares do Exército e espiões da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a revirar dezenas de contratos assinados recentemente pelo Ministério da Saúde com empresas prestadoras de serviço.

O objetivo, portanto, é buscar irregularidades na pasta comandada por Mandetta, ministro que tem enfrentado inúmeros embates com Bolsonaro desde o início da crise do coronavírus. Contudo, o governo tem dito que a operação serve apenas verificar se os contratos estão em sintonia com as diretrizes e estratégias de combate à doença.

De acordo com reportagem da revista Veja, a operação tem como alvo dois ex-deputados do DEM, ambos amigos de Mandetta: José Carlos Aleluia e Abelardo Lupion.

Os agentes do Gabinete de Crise investigam pagamentos suspeitos, possíveis contratos que foram firmados com empresas que não existem, além de liberação de recursos para prefeituras e cobrança de comissões.

As investigações contra os ex-deputados já estavam em andamento no ano passado, mas receberam atenção especial com a crise do coronavírus.

STF volta a julgar sobre proibição da terapia da “cura gay” oferecida por psicólogos.



Começou na última sexta (10/04), o julgamento virtual, pela 2ª Turma do STF, do caso que trata da oferta ou não de terapias para o “tratamento” da homossexualidade. O assunto vem sendo discutido desde 2019.

Em abril de 2019, a ministra Cármen Lúcia, relatora do caso, sustou uma decisão da Justiça Federal do DF que liberou psicólogos de todo o país a realizarem a “terapia de reversão sexual” em homossexuais. “A psicologia e a ciência não admitem que as usem a serviço da discriminação. Há décadas que a homossexualidade não é considerada nem doença nem desvio pela Organização Mundial da Saúde. Não precisa de orientação nem de cura”, afirmou Rogério Giannini, presidente do Conselho Federal de Psicologia.

Segundo o jornal O Globo, a ação foi levada ao STF pelo Conselho Federal de Psicologia, que restabeleceu norma pela proibição. O julgamento segue até a próxima sexta.

ELEIÇÕES: bissexual e travesti podem disputar prefeitura de BH.


Gabriel Azevedo e Duda Salabert

Recentemente filiado ao partido de direita Patriotas, o vereador abertamente bissexual Gabriel Azevedo disse ao portal O Tempo que está disponível para se candidatar à prefeito de Belo Horizonte.

Em nota, ele afirma: “Sou jovem, tenho 34 anos. O cenário eleitoral é incerto. Penso que não é possível prever o que vai ocorrer em seis meses. Sei apenas que Belo Horizonte vai poder contar comigo seja em que posição for”.

O parlamentar que ainda se recupera da infecção pelo Covid-19 que o que menos passa por sua cabeça agora é o planejamento das eleições e sim suas funções como vereador.

Em contrapartida, Duda Salabert, que se declara travesti, afiliou-se ao PDT ano passado com apoio de Ciro Gomes e apareceu entre os 10 nomes mais citados em pesquisa realizada pelo Datatempo CP2 para a prefeitura da capital de Minas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário