quinta-feira, abril 09, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY


Primeiro-ministro irlandês volta a trabalhar como médico para combater coronavírus.



O primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, formado em Medicina e o primeiro homem abertamente gay a ocupar o cargo na Irlanda, trabalhará para o serviço público de saúde uma vez por semana durante a epidemia do novo coronavírus, segundo informou um porta-voz do governo neste domingo (05/04).

Segundo “The Irish Times”, Varadkar fará atendimentos por telefone, avaliando os sintomas dos pacientes. “Muitos de seus parentes e amigos trabalham no setor de saúde”, explicou o governo. “Ele queria ajudar, mesmo que de maneira modesta”. O agora primeiro-ministro trabalhou como médico por sete anos, até 2013, quando passou a se dedicar à carreira política. Filiado ao partido Fine Gael, de ideologia conservadora e democrata-cristã político foi eleito primeiro-ministro em junho de 2017.

Após a pandemia de Covid-19 atingir a Irlanda, o serviço público de saúde solicitou aos profissionais da área que haviam parado de praticar a profissão que retornassem para ajudar o sistema. Cerca de 50 mil pessoas responderam ao apelo. Segundo os últimos dados do Ministério da Saúde, até 5 de abril a Irlanda registrava 4.994 casos confirmados e 158 mortes.

Líder político fica doente após dizer que Covid-19 é culpa dos gays.


Yaakov Litzman

Foi divulgado nesta terça-feira (7), que o ministro da Saúde de Israel, Yaakov Litzman foi testado positivo para o coronavírus. O caso surge logo após o político afirmar que o Covid-19 seria um “castigo gay”.

Em um de seus discursos sobre os planos de combate ao coronavírus, Yaakov Litzman chegou a dizer que o Covid-19 “é um castigo divino contra a homossexualidade”.

Antes de ser testado positivo, o ministro foi visto algumas vezes rezando nas casas de membros de sua congregação, apesar do próprio ministério da saúde do país recomendar o isolamento social.

Ainda conforme a imprensa local, além de se contaminar, Yaakov também infectou sua esposa, Chava. Por conta dos resultados, funcionários do governo foram forçados a ficarem de quarentena por, pelo menos, 15 dias.

Entidade LGBT inglesa sugere que jovens não saiam do armário durante pandemia.


Parada do Orgulho LGBTQ+ de Londres

A AKT (Albert Kennedy Trust), entidade LGBT sediada no Reino Unido, divulgou nota em seu site aconselhando que jovens gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros a não saiam do armário em meio à pandemia do novo coronavírus.

Em nota, o CEO da AKT, Tim Sigsworth, disse que é importante “pensar bastante” antes de tomar a atitude de se assumir para a família, uma vez que hoje em dia ainda é frequente que jovens LGBT sejam expulsos de casa ou prefiram deixar o lar por não se sentirem confortáveis junto da família, em casos de discriminação de gênero e/ou orientação sexual.

“Você não pode predizer nesses momentos completamente sem precedentes como seus pais podem reagir. Eles, assim como você, estão sob muito estresse e podem não reagir de maneira positiva”, disse Sigsworth à Sky News.

O CEO contou que, durante o período de distanciamento social como medida para evitarmos a disseminação do vírus, “pode ser um momento perigoso para uma jovem pessoa vulnerável”.

“Todos somos instruídos a se auto-isolar, portanto, estar nas ruas deve ser o local mais perigoso para um jovem vulnerável no momento”, disse diretor da entidade LGBT inglesa.

Sigsworth mencionou na entrevista que no Reino Unido, mais de três quartos dos LGBT em situação de rua saíram de casa após episódios de LGBTfobia.

Governo de Pernambuco concede acesso para famílias LGBTs em programas habitacionais.



Mais um passo em favor à cidadania LGBT+!

O Governo de Pernambuco sancionou uma lei que dá direito às famílias LGBTs a se inscreverem em programas habitacionais.

A lei Nº 16.851/20 está em vigor desde a última segunda-feira, dia 06/04, e garante que os convênios e contratos firmados para programas de habitação incluam uma cláusula considerando as uniões homoafetivas também como renda familiar de forma que passam a ter os mesmos direitos que as famílias heterossexuais.

A nova regra partiu de um projeto de lei das co-deputadas Juntas (PSOL), a primeira mandata coletiva e feminista a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A ausência de leis como esta prejudica a população LGBT+ na garantia de benefícios previdenciários.


Juntas Codeputadas

A união estável e o casamento entre pessoas do mesmo sexo, além de levantar discussões sobre igualdade e tolerância a diferentes grupos na sociedade, também permite com que seja estabelecido o direito a benefícios previdenciários para os casais homoafetivos. Segundo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de casamentos LGBTs cresceu 61,7% no Brasil em 2018.

Porém, mesmo com o aumento dos casamentos homoafeticos, especialistas apontam que as pessoas LGBTs ainda permanecem com muitas dúvidas a respeitos dos direitos obtidos através de uma união estável entre pessoas do mesmo sexo, uma vez que não existam leis garantido o acesso a direitos como licença-maternidade, salário-família e auxílio-reclusão.

“Todos os direitos trabalhistas e previdenciários devem ser garantidos, sem distinção de gênero ou orientação sexual, aos cidadãos LGBTs, tal e qual são garantidos aos cidadãos cisgêneros e heterossexuais. O fato de haver um relacionamento entre pessoas do mesmo sexo ou de um trabalhador se identificar como transexual não limita em nada o seu direito a benefícios previdenciários ou outro direito. Logo, a eles também são garantidos os benefícios, desde que completem todos os requisitos exigidos pela legislação”, afirma Leandro Madureira, advogado especialista em Direito Previdenciário.

Coletivo de artistas e empresário criam campanha para ajudar drags de Salvador.


Solidariedade em prol a quem põe a cara no sol pra nos entreter!

Coletivo ‘Agenda Drag’, artistas LGBTs e o empresário Valmick Braz se uniram para promover uma campanha a fim de arrecadar cestas básicas para as drags da cena soteropolitana.

Muitos artistas têm seu ‘ganha pão’ na arte drag, e é assim que encontram a maneira de pagarem suas contas, através de seus shows realizados em boates, saunas e festas particulares.

Em meio à pandemia causada pela Covid-19, não há qualquer tipo de evento acontecendo. Com isso, as drags de Salvador, que vivem de sua arte, não têm como garantir mais seu sustento.

Diante desta situação o coletivo ‘Agenda Drag’ se uniu a outros artistas da cena LGBT+ de salvador para arrecadar cestas básicas que serão distribuídas às drags que estão com dificuldades de se manter.

A campanha foi endossada pelo empresário Valmick Braz, responsável pelo Clube 11. Nessa corrente do bem, não só as artistas, mas os clientes também se juntaram para realizar esta ação.

As doações podem ser feitas no Carmen Lounge Bar, localizado na Avenida Carlos Gomes, número 860. Os artistas que desejarem receber as doações deverão preencher o formulário, clicando aqui, e aguardar o contato do grupo.

As doações acontecem nas quartas e sextas, das 16h às 18h. Para mais informações, basta entrar em contato através do: 71-98297-0241.

Nenhum comentário:

Postar um comentário