sexta-feira, abril 17, 2020

SEXO

"QUE BOFE GOSTOSO...NÃO RESISTÍ!!" - Quando surge atração pelo marido da sua amiga...

Marisa, uma amiga de trabalho, tem uma delícia de marido! Feio de rosto, mas uma escultura humana, cheiroso e com malícia no olhar. Eu frequentava sempre a casa deles, várias vezes em churrascos ou festinhas e sempre rolou um clima meio de paquera entre eu e o rapaz. Eu fingia que não via, afinal, Marisa é minha melhor amiga e confidente nas piores horas!


Mas um dia, fiquei de pegar um vestido dela na lavanderia e entregar em sua casa. E pro meu espanto, o bofe que veio atender a porta, me avisando que ela não estava, porém insistiu que eu entrasse, pois Marisa não deveria demorar. Começou com um papo estranho querendo saber o que eu achava de mulheres que não permitem sexo anal, afirmando que tinha tara pela porta dos fundos. Conversa vai, conversa vem, até que ele levantou do sofá e veio se chegando e, através do volume em seu short, pude perceber o tamanho da encrenca!



Garoto! Que vara! E já em ponto de bala! Sem rodeios, sem nem perguntar nada, colocou a pirocona pra fora, dura, ereta e latejante como eu nunca tinha visto antes.



Não aguentei, cai de boca e fiz o oral mais caprichado da minha vida. Ele só gemia, endoidecido! Mas, óbvio, não queria somente um boquete. Estava de olho no meu cu, que a essa altura já piscava de tesão! Dali para a posição de quatro foi um pulo.



E o maridão parecia experiente no ramo, pois cumpriu todas as fases: a lambida, a enfiada de dedo para alargar a entrada e finalmente a estocada gloriosa. Nada de dor, só desejo e tesão. O cara sabia fazer! Meteu cuspe no meu rabo e socou a vara sem dó. O vai e vem das enfiadas levou-me à loucura.



A porra jorrou abundante no meu rabo, mas ele não me deixou no vazio! A mão dele procurou meu pau que parecia uma pedra de tão duro! E ele sabia mexer na vara, apertava a cabeça toda melada e deslizava num ritmo alucinante. Sentir aquele homem machão com jeito de fodedor profissional, me fez explodir de tesão. 


A punheta foi indescritível e quando eu estava pronto para a gozada, enfiou a vara na boca e, claro, enchi a boca dele de porra quente que não titubeou em engolir. Depois foi só o tempo de voltarmos ao normal e ela chegar.


No começo me senti meio arrependido, mas a cada vez que a trepada acontecia, e sempre melhor, eu me esquecia dos remorsos e de Marisa. O rolo durou anos sem nunca esfriar. Ela, aparentemente, nunca desconfiou da situação e continuamos amigos até hoje. Eu e o gato não temos mais nada, mas durante o caso, sabia que ele comia outros gays, mas não me importava.


Realmente nunca quis ter um caso compromissado, com horários fixos e encontros combinados. O tesão vinha sempre por conta do acaso e isto manteve o nosso rolo vivo e duradouro por um longo tempo!


Casos como esses são bem conhecidos e muito comuns entre gays e bissexuais ou héteros, casados, com ou sem filhos, e que nunca assumem as relações extraconjugais. Esses homens que traem suas esposas com gays, vivem sempre em encontros furtivos, escondidos e cheios de tesão, mas não abandonarão essa vida dupla nunca, pois é isso que lhes dá prazer e felicidade. 


Geralmente são gays enrustidos que nunca tiveram coragem de sair do armário ou bissexuais que necessitam dessa jornada dupla e não conseguem se satisfazer somente com mulheres ou somente com homens.


Limitam-se a ficar com o namorado apenas em lugares privados e longe dos olhos de curiosos. 


Mesmo tendo que manter a relação escondida, geralmente os envolvidos não se arrependem do romance secreto. Cada um acaba aceitando as limitações do outro e sabe que não pode esperar algo mais do que o prazer. Nada de final de semana, nem de viagens juntos, nada de exposição pública, nem de festinhas familiares ou de amigos.

-"Cuzinho apertado e gostoso...melhor do que da minha esposa que não dá nem fudendo!";


Lembrando que existem gays e héteros que gostam de ter uma vida com mais liberdade e autonomia, sendo assim, rolos com homens casados conseguem atender a esses anseios, permitindo a vivência de algo amoroso e sexual sem as algemas das relações convencionais.


Não há o que julgar diante de um relacionamento desse tipo, o que deve ser levado em conta é se os envolvidos estão realmente felizes e se querem continuar nessa vida dupla, onde o risco de serem descobertos é iminente! 

-"Vai, rápido que não tem ninguém!"


Mas, quem sabe não é isso que faz o pau ficar duro e o tesão chegar ao nível da loucura? 


Você já se enrolou com um homem casado?




2 comentários:

  1. Quem nunca se sentiu atraido pelo marido da amiga, da prima, ou até mesmo da irmã...
    Que atire a primeira pedra.
    O perigo, e o fetiche as vezes, fazem parte do nosso cotidiano.
    E o "diabo" existe...
    E eita, diabo!!!
    Rsrsrsrsrsrs
    "ABAFA".
    Boca fechada não entra "moscas".
    Como já dizia a minha avó...
    Cavalo amarrado, também pasta.
    Sábias palavras.

    ResponderExcluir
  2. Saudades dos posts de contos que tinha, tras de volta

    ResponderExcluir