quinta-feira, junho 11, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

LINDO! Polônia exibe primeiro comercial de TV com casal gay.



A Polônia fez história com seu primeiro comercial de televisão em que aparece um casal gay. O anúncio da Durex mostra três casais, dois heterossexuais e um homossexual, trocando intimidade antes de procurar um preservativo.

O casal gay é interpretado por Dawid Mycek e Jakub Kwiecinski, estrelas populares do YouTube e famosos ativistas LGBTQ + na Polônia, que consideraram o comercial um “momento histórico” para a representação queer no país.

Segundo a GSN, será transmitido em todos os principais canais de televisão da Polônia, além da República Tcheca, Eslováquia e Lituânia. Dawid e Jakub se tornaram virais nas mídias sociais no mês passado, depois de protestar nas “zonas livres de LGBT” da Polônia com máscaras de arco-íris.

Eles teriam distribuído mais de 300 máscaras nas ruas de Gdansk para proteger os cidadãos da pandemia de coronavírus e aumentar a conscientização sobre os direitos LGBTQ + no país. Jakub disse que ele e seu marido, que se casaram em Portugal, receberam uma reação extremamente positiva por seu ativismo, mas também foram submetidos a abusos homofóbicos por promover uma “praga homossexual”.

“Pensamos que, se estamos lidando agora com uma praga real (o novo coronavírus), poderemos ajudar a proteger as pessoas dessa praga e fazer algo de bom”, disse ele à NBC. “A situação das pessoas LGBT na Polônia está piorando, diria dia após dia, temos a direita no poder que é contra os LGBT. Eles também incentivam as pessoas a nos atacar, a nos insultar”.

Em uma postagem anterior no Instagram, Jakub reconheceu o status da Polônia como “o país mais homofóbico da União Europeia” e atacou os homofóbicos com uma foto dele e do marido se beijando na praia. “Ainda acreditamos que o amor conquista tudo e dedicamos esse beijo suculento a todos os homofóbicos do nosso país!” ele escreveu.


Trans espancada por sete homens no Carnaval de BH deixa hospital; saiba como ajudar.



Recebeu alta no último sábado (06/06) a travesti Cibelly do Pará, brutalmente espancada por um grupo de sete homens durante o Carnaval de Belo Horizonte (MG). Internada desde o dia do ataque, 22 de fevereiro, a paraense de apenas 29 anos carrega agora sequelas profundas.

A vítima acabou ficando tetraplégica, perdendo movimentos de parte do corpo e tendo a fala comprometida. Além disso, Cibelly ainda teve afundamento do crânio. “Estar viva é um milagre“, diz a prima de Cibelly, em entrevista ao BHAZ. A Polícia Civil de Minas Gerais afirma que “não poupa esforços para esclarecer o crime” e garante que ainda trabalha nas investigações, mas o fato é que não existem nem mesmo suspeitos de cometer tal atrocidade.

“Não sei o que dizer. Não quero mexer com polícia. Não posso fazer nada. Não posso voltar atrás. A gente quer justiça, mas o que posso fazer? Preciso voltar para Belém-PA [cidade natal de pai e filha]”, desabafa ao portal o pai de vítima, que prefere não ter o nome revelado por conta da represália.

VAQUINHA VIRTUAL

Sem ter como se manter, o movimento “Lute com Ele” lançou nesta segunda-feira (08/06), uma vaquinha virtual para arrecadar doações. A meta é alcançar 25 mil reais. “Como profissional do sexo, Cibelly também não tinha uma renda fixa, garantias constitucionais para continuar se mantendo diante dessa covardia. Se você pode contribuir para que ela continue vivendo nesta nova e terrível fase de sua vida, faça. Pequenos gestos podem fazer a diferença”, diz a publicação do movimento.

Quer ajudar?! As doações podem ser feita através da vaquinha virtual ou por transferência bancária para a conta do pai de Cibelly do Pará.

Banco: CEF
Conta poupança: 001371960
Agência: 0090
CPF: 430.737.002-34
Douglas Santos de Souza (Pai)

Lanchonete gera revolta ao lançar “hot drog travecão” no iFood.



Uma lanchonete tem sido alvo de polêmica sobre transfobia nas redes sociais após lançar no cardápio do iFood um lanche chamado “Hot Dog Travecão”, em Catanduva, interior de São Paulo.

Em entrevista ao site BHAZ, o dono da lanchonete, Carlos Fabiano Santillo, pediu desculpas para as pessoas que se sentiram ofendidas e afirmou que o prato já foi retirado do cardápio.

“Nunca discriminei ninguém e nunca tive problemas. Tem até uma cliente travesti que comprava este lanche todo a semana. Tudo começou de quinta-feira passada pra cá. Na hora que ficamos sabendo já tiramos o lanche do cardápio”, afirmou.

O empresário ainda afirmou que não sabia que o termo “travecão” era considerado ofensivo por pessoas transgênero: “se soubesse, não teria colocado esse nome de forma alguma”.

Esta é a segunda vez em menos de um mês uma lanchonete gera revolta por conta de cardápio com piadas consideradas LGBTfóbicas. Na última semana um caso parecido envolveu a cantora Pabllo Vittar.

Uma loja anunciou que estava vendendo o Sanduíche Pabllo Vittar, que contava com “dois ovos e uma salsicha”. Poucos minutos de anunciado, a lanchonete recebeu diversas críticas e o cardápio foi retirado do ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário