segunda-feira, julho 13, 2020

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Instagram vai bloquear postagens homofóbicas sobre “cura gay”.


Instagram vai bloquear postagens que envolvam “cura gay”.

No Brasil, a “terapia de conversão” é proibida desde 1999.

Em entrevista à BBC, o Instagram prometeu banir qualquer conteúdo que contenha algum tipo de “terapia de conversão” para pessoas LGBT.

A “cura gay” e “cura trans” referem-se a formas de tratamento ou psicoterapia que pretendem alterar a orientação sexual de uma pessoa ou suprimir a sua identidade de gênero. No Brasil, esse tipo de atividade é proibida desde 1999.

Os “métodos” para isso incluem técnicas comportamentais, psicanalíticas, abordagens médicas, religiosas e até mesmo com violência.

De acordo com a diretora de políticas públicas do Instagram Europa, Oriente Médio e África, a empresa está mudando a forma com que lida com esse tipo de conteúdo. “Estamos atualizando nossas políticas para proibir a promoção de serviços de terapia de conversão”, afirmou Tara Hopkins à BBC.

No início do ano, o Instagram já havia proibido esse tipo de conteúdo em anúncios – quando a pessoa não escolhe o que quer ver. A partir de hoje, sexta-feira (10), a rede social prometeu banir a “cura gay” em qualquer formato dentro da plataforma. Eles também afirmaram que esse tipo de atualização pode levar um tempo para entrar em vigor, mas que medidas já foram tomadas.

Ataque transfóbico choca usuários do Tinder: “quero que todos morram”.



Um ataque transfóbico chocante de um homem da Flórida dirigido a uma jovem trans se tornou viral e muitos usuários das redes sociais pedem que o homem seja demitido de seu emprego.

Marcie, que mora em Miami, Flórida, e usa pronome ela, disse ao The Gaily Grind que recentemente aceitou sua identidade de gênero e começou a usar o Tinder para conhecer homens locais.

Marcie observa que seu perfil afirma claramente que ela é “transfeminina” logo abaixo da foto do perfil. Recentemente, Marcie disse: “alguns caras deslizaram direto no meu perfil sem nem lerem minha bio e, visto que sou trans, eles apenas olharam minhas fotos. Então, quando damos o match, vem o susto”.

Mas as coisas mudaram na semana passada, quando um homem chamado Dario deu match com Marcie e começou a mandar mensagens para ela com ataques transfóbicos. “Pessoas trans deveriam morrer”, ele começou sua mensagem. “É por isso que você nunca encontrará amor”.

“Foi você quem deu macth”, Marcie respondeu, não deixando que o abuso dele a atingisse. “Eu dou match em tudo, tudo idiota”, respondeu Dario, acrescentando que “as pessoas trans são nojentas e deveriam morrer. Eu gostaria que tivéssemos um segundo halocausto, mas apenas para pessoas trans. Sua família nem te ama. Você nunca deveria ter nascido, teria feito toda a sua família muito mais feliz”, acrescentou ele durante seu discurso.

“Por que você escolheu ser trans”, ele continuou. “Os trans são tão nojentos e feios”. Todos os dias eu dizia que pelo menos um cara faz um comentário do tipo, mas hoje foi definitivamente o mais intenso, para dizer o mínimo”, disse Marcie. “E a parte louca é que, depois de postar o que ele disse no Twitter, eu tinha garotos e garotas defendendo seu comportamento e tirando sarro de mim também”.

“Sou forte e estou acostumada com as pessoas que sempre me criticam, só gostaria que elas se importassem com suas vidas e percebessem que talvez o que estão fazendo está errado?” Marcie acrescentou.

Indivíduos trans enfrentam níveis chocantes de violência em todo o mundo, com mulheres trans negras nos Estados Unidos em particular risco. Em 2019, houve 27 pessoas trans assassinadas nos Estados Unidos. Houve 18 pessoas trans assassinadas nos EUA em junho de 2020.

Ministério da Índia autoriza transexuais à ingressarem nas Forças Armadas.


Ministério da índia revelou que transexuais poderão ingressar nas forças armadas

O ministério da Índia, acaba de anunciar que a população de pessoas transexuais, estão liberadas à ingressarem nas forças amadas, à quem tiver vontade. A proposta conta com o foco de ampliar novas oportunidades de empregos.

Para cumprir os requisitos, os candidatos passarão por um exame anual, do serviço civil, segundo o site Pheeno. A novidade é ligada a medida que segue a Lei das Proteção de Direitos de Pessoas Transgêneros da Índia.

Algumas opiniões de comandantes foram feitas à TV News da Índia, e compararam tudo positivamente. “Se uma pessoa de qualquer sexo tem o que chamamos de ‘qualidades de oficial’, elas podem se juntar aos CAPFs apenas com esse mérito. Além disso, todos os aspirantes precisam passar por testes médicos, mentais e físicos específicos para serem recrutados como oficiais em combate para liderar suas tropas”, concluiu um, que não teve a sua identidade revelada.

Ainda sobre a população de pessoas transexuais, é válido lembrar que no Ceará, o vereador Camilo, montou um projeto que ampliará a empregabilidade de pessoas transexuais, e o reconhecimento das mesmas, em diversas profissões.

“Sua vulnerabilidade decorre de preconceitos estruturais enraizados nos valores cis-heteronormativos. Aquelas que destoam de expressões de gênero normatizadas são lançadas à margem e à negação de direitos”, disse o político.

Pastora trans Alexya Salvador será vice de Sâmia em pré-candidatura à prefeitura de SP.


Reverenda Alexya Salvador, à esquerda, é pré-candidata à vice-prefeitura de São Paulo, em chapa com Sâmia Bonfim, à direita. 

A Reverenda já foi candidata a deputada estadual pelo PSOL e agora vai disputar as prévias do partido.

A Reverenda Alexya Salvador, uma pastora evangélica transexual que já foi candidata a deputada estadual, foi a escolhida para disputar as prévias do PSOL, que acontecem nos próximos dias 18 e 19, como vice na pré-candidatura de Sâmia Bonfim à prefeitura de São Paulo.

No anúncio, a pré-candidata a prefeita elogiou sua colega de chapa: “Alexya é brilhante. Mulher, transfeminista, negra, mãe, professora, do PSOL, atuante na causa da adoção, vice-presidente da ABRAFH (Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas), membra do Coletivo Cristãos contra o Fascismo, teóloga e primeira reverenda com essas credenciais na América Latina. Uma mulher que vem das periferias com um trabalho fundamental e do qual muitas vezes a esquerda se mantém distante”.

Sâmia vai disputar a candidatura do PSOL com o deputado estadual Carlos Gianazzi e o ex-candidato à presidência Guilherme Boulos, que escolheu Luiza Erundina como sua vice. A deputada disse, no Facebook, que sabe que sua chapa será “subestimada” dentro do partido.

“Sempre é assim. Até quando eu já era vereadora e me candidatei a deputada, muitos seguiam me tratando como ‘menina'”, lembrou. “Acabei tendo a maior votação da história do PSOL no estado e tenho plena consciência: o mérito não foi individual. Sou apenas umas das representações de um movimento coletivo e do ascenso da luta das mulheres”

“Alexya, praticamente sem nenhum dinheiro e sem tempo de TV, candidatou-se a deputada estadual em 2018 e surpreendeu a todos tendo uma votação enorme também. Tenho certeza de que nós duas podemos ajudar o PSOL a ter seu melhor resultado eleitoral e político em SP. Mais que isso, podemos representar a esperança em um novo projeto, em um programa que não negocie ou venda nossos direitos”, disse ainda.

A Reverenda não é a única pré-candidata trans do PSOL no Brasil. No mês passado, a ativista e escritora Helena Vieira anunciou que disputaria a candidatura do partido à prefeitura de Fortaleza (CE).

Em ato homofóbico, ex-jogador do Vasco corre com facão atrás de síndico gay: “Não gosto de viado e boiola”.



O ex-jogador Geovânio Bonfim Sobrinho, conhecido como “Wando”, que jogou nos times do Vasco e Benfica, foi flagrado em vídeo pegando um facão em seu carro e correndo atrás do síndico do condomínio onde mora no Distrito Federal, em Brasília, no último sábado (04/07).

Imagens das câmeras de segurança do local mostram Tiago Teles Felinto, de 35 anos, sendo perseguido por Wando, que segurava um facão. Tiago conta que a esposa do acusado e um policial civil testemunharam a cena, mas não interferiram no caso. “A minha revolta foi de ter um policial civil na hora que não fez nada e se omitiu”, desabafou ao Metrópoles. Em vídeo registrado pelo celular do síndico, o ex-jogador afirma que “não gosto de viado, não gosto de boiola”.



“Quando ele apareceu, começou a me agredir verbalmente. A intenção dele era fazer essa ameaça, algo para me amedrontar, mas não imaginei que ele fosse pegar um facão e correr atrás de mim”, contou. Wando afirmou que teve “diversas divergências e troca de ofensas” com o síndico e sente que “é tratado de maneira diferente em relação aos demais moradores”.

Um boletim de ocorrência foi registrado como ameaça na 11ª Delegacia de Polícia. Na delegacia, de acordo com o Metrópoles, o ex-jogador deu a entender que sofria de “heterofobia” e que apenas falou “você tem que respeitar homem” ao funcionário.




Nenhum comentário:

Postar um comentário