quinta-feira, agosto 13, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

Após batalha judicial, Hungria reconhece pessoa como transgênero.



Uma batalha judicial que se arrastou por cinco anos na Corte Europeia de Direitos Humanos, acabou tendo um desfecho exitoso para um refugiado. O governo húngaro se recusava a reconhecer o iraniano como transgênero, mas teve que fazê-lo após a sentença favorável.

O rapaz não se identificava como mulher, logo, desejava a retificação de seus documentos, mas recebeu a negativa de autoridades. Além do mais, além da alteração nos documentos com a sentença proferida, a Hungria terá que pagar €6,500 euros a título de danos, assim como as custas processuais.

“Ativistas LGBT esperam que a decisão tenha impacto sobre a legislação recentemente aprovada pelo governo do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, que reconhece apenas dois gêneros biológicos e define o gênero como sexo biológico com base em características sexuais primárias e cromossomos”, escreveu o Breitbart.

Recentemente, a Hungria, em decisão inédita do parlamento, começou a discutir uma possível lei sobre o sexo e gênero de uma pessoa ser decidido ou datado ao nascer. A nova proposta causou a ira de muitos, que alegaram que isso aumentaria a discriminação.

Justiça do RJ determina que Bolsonaro pague multa a Jean Wyllys e honorários de advogado.


Derrotado, Bolsonaro pagará custos de processo contra Wyllys. 

Assim que for notificado, presidente terá 15 dias para pagar pouco mais de R$ 2,6 mil ao ex-deputado e ao advogado.

O juiz Leonardo de Castro Gomes, da 47ª Cível do Tribunal de Justiça do Rio, deu prazo de 15 dias para que, assim que for notificado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pague R$ 2,6 mil ao ex-deputado Jean Wyllys e ao advogado Lucas Mourão.

A determinação envolve um processo de 2017, em que Bolsonaro processou Wyllys e requereu indenização de R$ 22 mil por danos morais. Na época, o então deputado Jair Bolsonaro moveu a ação alegando que Wyllys o chamou de “boquirroto”, “fascista” e “nepotista”.

A determinação para o pagamento dos valores foi revelada pela coluna do jornalista Ancelmo Góis, de O Globo, neste domingo (9).

A Justiça não considerou procedente a reclamação de Bolsonaro e negou o pedido. Assim, o presidente acabou condenado a pagar multas pelos embargos apresentados e deverá repassar 10% da causa, a título de honorário, ao advogado de Jean Wyllys.

Bolsonaro não pode mais recorrer da ação.

Deputada evangélica quer proibir que propagandas LGBTs sejam vistas por crianças: “Desconforto nas famílias”.



A deputada estadual Marta Costa, do PSD, quer proibir que publicidade realizada no Estado de São Paulo que contenha “diversidade sexual” tenha crianças envolvidas em seus conteúdos. Tudo isso acontece após campanha estrelada por Thammy Miranda para o “Dia dos Pais” para a marca de cosméticos Natura, em que o ator aparece ao lado do filho.

O projeto de lei (PL) nº 504/2020, publicado no Diário Oficial da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) no início do mês e divlugado pelo Guia Gay São Paulo, diz em seu artigo 1º:

“É vedado em todo o território do Estado de São Paulo, a publicidade, por intermédio de qualquer veículo de comunicação e mídia que contenha alusão a preferências sexuais e movimentos sobre diversidade sexual relacionado (sic) a crianças.”

A deputada alega em seu argumento, que anúncios envolvendo famílias LGBTs com crianças gera “real desconforto emocional a inúmeras famílias” e que estabelece “práticas inadequadas a crianças”, “que não possuem discernimento suficiente para lidar com estas questões”.

Marta Costa sugere uma punição com multa – sem especificar valores – e fechamento de estabelecimentos que divulgarem anúncios pró-LGBT. Marta está em seu segunda mandato como deputada estadual de São Paulo, e foi eleita vereadora por São Paulo por três vezes.

Festa online celebra o mês da visibilidade lésbica com “Pride Elas” neste sábado.



O mês de agosto tem grande importância para a comunidade LGBTQIA+, pois é marcado por ser o Mês da Visibilidade Lésbica no Brasil. Para comemorar e enaltecer a luta das mulheres lésbicas, o Pride Bank, primeiro banco digital do mundo focado no público LGBTQIA+ e seus aliados, fará uma edição especial da festa online Pride Party, com line-up formado só por DJs mulheres, neste sábado, dia 15, e intitulado Pride Elas.

A partir das 17hs, Luana Coelho, Natália Vianna, Ale Marcely B2B Cah Coelho, Loverlock, Zuba e Cris Villela assumem as pick-ups com transmissão gratuita pela plataforma Zoom.

Além de curtir os setlists e interagir com novas pessoas, a proposta é incentivar que os participantes colaborarem com instituições e causas apoiadas pelo Pride Bank, e ajudar as artistas que estiverem se apresentando, através do QR code para doações que estará disponível na tela.

Os eventos são gratuitos e, para aproveitar, basta acessar a página www.prideparty.com.br para ser redirecionado à sala da festa, ou nas redes sociais – Facebook e Instagram – nos perfis @pridepartybr.

No início da pandemia, a instituição criou em suas redes sociais a campanha #CasaPrideEmCasa, com o intuito de incentivar o público a se engajar e doar para ONGs e causas sociais. Esse projeto de impacto social, tem o objetivo promover o suporte coletivo e discussões de temas relevantes para a comunidade através de lives semanais com especialistas e personagens que participam de forma gratuita das conversas, fomentando discussões importantes e relevantes, não só para pessoas LGBTQIA+, mas também para seus aliados.

Heterossexual, cabeleireiro é vítima de agressão de vizinhos homofóbicos.



A homofobia continua fazendo vítimas, até mesmo com heterossexuais. Foi exatamente o que aconteceu com o cabeleireiro Jefferson Schiavone, de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, que foi agredido por vizinhos homofóbicos.

Em vídeos divulgados em seu Facebook, Jefferson conta que estava em casa com um amigo, que é gay assumido, quando o casal de vizinhos homofóbicos tocou a campainha para reclamar de um suposto barulho. “O fato não foi nem se a música estava alta ou baixa. Ele achou que fôssemos um casal gay e ele se sentiu no direito de vir nos afrontar”, afirma o cabeleireiro.

Em um dos vídeos divulgados, Jefferson aparece caído no chão e recebendo um chute no estômago dado pelo vizinho. “Eu fui jogado no chão, a mulher dele me agrediu, unhou toda a minha cara, ele chutou a minha barriga”, conta Jefferson, enquanto mostra diversos ferimentos pelo rosto. Em outro momento do vídeo, a mulher, descontrolada, chama o amigo do cabeleireiro de “bichona”.

Jefferson conta que fez boletim de ocorrência e pretende tomar medidas necessárias na Justiça. “Vou tomar todas as medidas nas Justiça. Em pleno 2020, essa cena ridícula de um vizinho homofóbico”, garantiu.

Transexual é assassinada a tiros no Centro de Fortaleza.



Letícia Costa foi encontrada morta no cruzamento das ruas Clarindo de Queiroz com Jaime Benévolo, na noite desta segunda-feira (10).

A transexual Letícia Costa foi morta com vários disparos de arma de fogo na noite desta segunda-feira (10), no Centro de Fortaleza. Segundo testemunhas, ela trabalhava há cerca de quatro anos no bairro, mas esteve fora de Fortaleza nos últimos quatro meses, tendo voltado nesta segunda para a capital cearense.

Ainda de acordo com testemunhas, ocupantes de um veículo e homens em duas motocicletas foram vistos saindo da área onde o corpo foi encontrado momentos depois de tiros serem ouvidos.

A Polícia Civil iniciou as investigações do crime para identificar e prender os autores do homicídio. Serão colhidas imagens de câmeras de segurança presentes na rua para tentar elucidar o crime.

Transexual desaparecida em Ribeirão Preto é encontrada morta no Rio Piracicaba, diz mãe.


Polícia Civil investiga desaparecimento da transexual Alice Garrefa em Ribeirão Preto.

A transexual Alice Garrefa, de 25 anos, foi encontrada morta no Rio Piracicaba, na região de Campinas (SP), segundo o site G1, a mãe da vítima, Lucimar Garrefa, confirmou a informação na noite de segunda-feira (10).

A jovem foi vista pela última vez em 3 de agosto depois de deixar um motel em Ribeirão Preto (SP).

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Americana (SP) e será transferido ainda nesta terça-feira (11) para ser velado em Sertãozinho (SP), onde a vítima morava.

A Secretaria de Segurança Pública informou que a morte é alvo de inquérito instaurado pela 3ª Delegacia de Homicídios da Deic / Deinter 3 e que as diligências estão em andamento, mas que detalhes não podem ser divulgados para não atrapalhar as investigações.

Desaparecimento

Alice Garrefa trabalhava como maquiadora e morava em Sertãozinho, onde o boletim de ocorrência do desaparecimento foi registrado em 4 de agosto.

Quando desapareceu, ela passava alguns dias na casa de um amigo, no Centro de Ribeirão Preto.

À polícia, a mãe de Alice informou que a filha tinha um relacionamento com um homem de Florianópolis (SC) e que chegou a ser ameaçada de morte por ele.

De acordo com o boletim de ocorrência, o suposto companheiro teria ligado para a maquiadora na noite de 3 de agosto se passando por outra pessoa e usando outro número de celular.

O convite era para se encontrarem em um motel, na Avenida Barão do Bananal, em Ribeirão Preto.

Alice aceitou e, segundo a Polícia, ficou cerca de dez minutos com o homem dentro do estabelecimento.

Após o encontro, saiu do motel em um carro branco e não foi mais vista. Familiares e amigos tentaram contato pelo celular, mas o aparelho estava desligado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário