terça-feira, setembro 01, 2020

MINHA VIDA GAY


Casal gay de Uberlândia celebra 34 anos de união com fotos de antes e depois: “Foi a minha melhor escolha”.



Olha que bacana! O casal João e Geraldo Martins, ambos de 61 anos, compartilhou fotos de antes e depois do relacionamento deles nas redes sociais. A primeira imagem é de 1986 e a segunda de agosto de 2019.

Eles se casaram em 12 de fevereiro de 1986 em Uberlândia, Minas Gerais, portanto estão juntos há 34 anos em comunhão de bens. E há mais de 30 compartilham também os negócios, pois são sócios em um salão de cabeleireiros.

A legenda das imagens compartilhadas em um grupo LGBTQ+ do Facebook dizia: “Nunca foi só uma fase. Sempre foi minha melhor escolha”.

“Ficamos muito felizes de saber que o nosso relacionamento serve de exemplo para muitos jovens que acreditam que podem viver um relacionamento duradouro, construir uma família e ser feliz”, afirma o casal em conversa com o Pheeno! Que lindos! Felicidades ao casal!

Carioca acusa Instagram de homofobia ao remover foto de beijo gay: “Vai contra nossas diretrizes da comunidade”.



O carioca Rafael Lugão postou uma foto de um beijo em seu namorado no Instagram. A imagem ganhou muitas curtidas e fez sucesso entre os amigos, recebendo comentários positivos. Até que os haters apareceram, ódio foi destilado e a rede social acabou por tirar a foto do ar.

O motivo alegado: “Sua publicação vai contra as nossas diretrizes da comunidade”. Vamos observar a foto em questão com atenção!



Não tem nudez. Não tem obscenidades. Não tem incitação ao ódio. O que teria de errado?! Rafael Lugão não tem dúvidas da resposta.

“O Instagram removeu uma foto de dois homens se beijando porque isso vai contra as diretrizes da comunidade. Homofobia”, escreveu em seu Twitter nesse sábado (29/08).

Ele revela, ainda, que a imagem chegou a quase 1.000 curtidas e só foi deletada após começarem a surgir comentários de ódio!

E aí, Instagram?!

Passado! Brasileiro revela caso de amor que teve com serial killer conhecido como “o assassino do Grindr”.



Palco dos relatos mais bizarros, o programa do GNT “Que História É Essa Porchat”, apresentado por Fábio Porchat, trouxe mais um caso chocante e assustador nesta semana. Na ocasião, um dos convidados da atração, o jovem Rafael Alves, revelou que namorou o temido serial killer de gays, Stephen Port.

“Acabei conhecendo o cara num site de relacionamento, a gente começou a sair, aconteceram algumas coisas em paralelo e eu fui morar com esse cara. Morei com ele durante um mês, mais ou menos. Foi tranquilo”, recordou Rafael, que não imaginava que mais tarde o ex-namorado ficaria conhecido no Reino Unido como “o assassino do Grindr”, já que ele escolhia suas vítimas através do aplicativo de relacionamento gay.

“No começo, não acreditei muito. A foto que aparecia, ele estava muito mais velho, imaginei que era apenas alguém com o mesmo nome. Mas as reportagens mostravam a casa dele, a vizinhança, foi quando tomei o susto e percebi que era ele. Nesse dia, não consegui trabalhar, fiquei angustiado, fiquei bem chocado”, resumiu.

Hoje, Port cumpre prisão perpétua em Thamesmead, no sul da Inglaterra, acusado de quatro assassinatos de jovens com quem se relacionava. Ele dopava suas vítimas para ter relações sexuais e eventualmente induzia à overdose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário