segunda-feira, setembro 14, 2020

NOTICIAS DO MUNDO GAY

Papa Francisco diz que prazer do sexo vem de Deus: “Não há lugar pra moralidade excessiva”.



Nesta semana, o Papa Francisco, líder máximo da Igreja Católica, surpreendeu os fieis mais conservadores ao exaltar as virtudes do sexo e da alimentação, considerados pecados por grande parte dos fiéis.

Em entrevista ao escritor e gourmet italiano Carlo Petrini, Francisco sugeriu que o prazer do sexo, junto com o prazer de comer uma refeição bem preparada, é “divino”. O Papa também afirmou que a demonização do prazer dentro da Igreja Católica foi resultado de um “excesso de zelo” dos clérigos.

Ainda de acordo com a santidade, o prazer do sexo foi criado por Deus. “O prazer vem diretamente de Deus. Não é católico, nem cristão, nem qualquer outra coisa, é simplesmente divino”, falou.

Francisco também explicou que o prazer vem sendo interpretado de forma errada pelos cristãos. “O prazer de comer existe para mantê-lo saudável comendo, assim como o prazer sexual existe para tornar o amor mais bonito e garantir a perpetuação da espécie”, disse. E concluiu: “O prazer de comer e o prazer sexual vêm de Deus.”

Adolescente é forçado a filmar e divulgar vídeo introduzindo garrafa no ânus por criticar presidente da Chechênia.



Um jovem russo de apenas 19 anos foi forçado a gravar um vídeo de “desculpas” após criticar o atual presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, famoso por perseguições brutais e desumanas e por obrigar os cidadãos russos a se desculparem publicamente por quaisquer artigos críticos, blogs ou até mesmo um comentário nas redes sociais.

Segundo informações do The Daily Beast, uma das mais recentes vítimas de Kadyrov e sua milícia, o jovem Salman Tepsurkayev, foi obrigado a introduzir uma garrafa no próprio ânus como forma de desculpa por sua declaração. Na filmagem, divulgada nesta segunda-feira (08/09) nas redes, Tepsurkayev aparece se desculpando na língua chechena e sentando sobre uma garrafa vazia logo em seguida.

Nas redes sociais, internautas pediram uma resposta imediata e radical ao ataque, alguns sugerindo até mesmo que quem for contra responda com violência. “As pessoas estão furiosas, muitas ligam para pegar em armas; Também posso ver mensagens de outros cidadãos no norte do Cáucaso dizendo que, se os chechenos tolerarem isso, eles foram moralmente assassinados”, afirmou Ekaterina Sokirianskaya, diretora do Centro de Prevenção e Análise de Conflitos de vigilância da mídia, a publicação.

Manifestante de grupo racista compara LGBTs com pedófilos: “Essa agenda de pedofilia está sendo normalizada”.



Um manifestante do grupo “All Lives Matter” (Todas as Vidas Importam, em português) pode ser ouvido a gritos comparando LGBTs com pedofilia e pedindo que democratas sejam mortos a tiros na rua em um vídeo perturbador compartilhado nas redes sociais.

Identificado como Marcus Edwards no Twitter, o rapaz aparece fazendo comentários chocantes durante um comício de Donald Trump em Salém, Oregon, ao qual ele compareceu como parte de um grupo que minimiza o racismo e prega que a violência acontece para todos, independentemente da cor da pele. “Com toda essa agenda LGBT+, a pedofilia é o próximo”, diz Edwards no no vídeo.

“Eles nos disseram que éramos loucos, eles nos disseram que éramos homofóbicos, quando a verdade honesta de Deus é que essa agenda de pedofilia está sendo normalizada e levada adiante”, continua. “Sou um homem temente a Deus, mas acho que esses líderes democratas que permitiram que isso acontecesse deveriam ser mortos a tiros nas ruas”. Seu incitamento à violência infelizmente foi recebido com aplausos por quem assistia o discurso repleto de intolerância.

Edwards foi duramente criticado nas redes sociais. E com razão, né?!  “Estou em lágrimas de medo porque não há outra tradução do que eu, um LGBTQ+, autoridade eleita deveria ser morta a tiros”, lamentou Paige Hook, uma vereadora local, em seu Twitter. “Eu e qualquer um que me apoia, eu e todos os meus amigos LGBT+ eleitos pelos Democratas. Eu sou uma boa pessoa”, concluiu.

Agora é lei! Santa Catarina proíbe perguntar sobre religião e orientação sexual durante entrevista de emprego.



A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) aprovou no final de agosto uma nova lei que promete ajudar nos direitos de pessoas LGBTQ+. Sancionada pelo governador Carlos Moises, a nova determinação torna crime questionar a sexualidade e religião do entrevistado durante entrevistas para vagas de emprego.

“Estamos trabalhando sempre em prol da melhoria da qualidade de vida dos catarinenses, seja na ampliação de serviços e no respeito aos direitos dos cidadãos, seja na transparência da nossa gestão. Por isso, o nosso reconhecimento e apoio aos bons projetos encaminhados pela Assembleia Legislativa”, afirmou Moisés.

A regra vale também para admissão ou adesão a empresas públicas ou privadas, sociedades, associações, clubes e afins, conforme prevê a Lei 17.993/2020. Ainda de acordo com o texto, o descumprimento da lei resultará em multa correspondente ao valor do salário que será pago pela vaga de emprego.

Proposta pelo deputado estadual Kennedy Nunes, a nova lei foi sancionada no dia 27 de agosto pelo governador e agora está na espera de ser regulamentada e aplica pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, tendo 90 dias para entrar em vigor.

Fórum LGBT realiza Parada LGBT on-line.



Em meio à pandemia do coronavírus muitos eventos foram cancelados e adiados, porém, para manter o público antenado nas novidades do universo da diversidade, algumas atrações continuaram on-line. As Paradas LGBT são belos exemplos.

Nesse sentido, no dia 20 de setembro, a partir das 16h, acontecerá a Parada da Diversidade on-line do Mato Grosso do Sul, no canal do Youtube da entidade. Como todo evento traz uma temática política, desta vez, o tema abordado será “A DEMOCRACIA TEM TODAS AS CORES”.

“Eu nunca duvidei da importância até eu ir pela primeira vez, presencialmente, há uns 4 anos, coincidindo quando havia começado a me montar. Quando pude estar lá, senti a felicidade de uma comunidade em um dia onde todos podem ser o que são, sem medo de estarem ali celebrando isso. Com essa pandemia, que pegou todos de surpresa, fazer uma versão online do evento é uma maneira de lembrarmos que teremos essa mesma sensação, porém em suas casas, seguros do vírus”, começou Felipe Hespporte, um dos artistas do evento.

“Nessa loucura toda o entretenimento on-line aumentou ainda mais, e a necessidade do consumo dele também, acaba sendo até mais fácil para alguns artistas “de casa” se expressarem e estarem ali, em comunidade, ou até mesmo atingir um outro público que não poderia estar, mesmo se fosse presencial. É muito bom sempre ter quem lute pela comunidade e tenta acrescentar para trazer essa alegria pra todos, ajuda e união nunca é demais”, finalizou.

Adolescente é espancada pelo pai e avó. Vítima denuncia que agressão é por neta ser lésbica.



Uma adolescente de 16 anos relatou que foi espancada pelo próprio pai por ser lésbica. Segundo informações do G1, o crime aconteceu na tarde de quarta-feira (09/09), na cidade de Ipiaú, sudoeste da Bahia. A avó materna da vítima foi quem procurou a delegacia para registrar a ocorrência.

De acordo com informações da 9ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), a idosa procurou a delegacia logo após a agressão e informou que as agressões aconteciam constantemente. O motivo, segundo a avó, era o preconceito do pai da jovem com a orientação sexual da filha. Após a denúncia, os investigadores foram na casa da adolescente e constataram o fato, mas não encontraram o agressor.

Em depoimento, a jovem reforçou que as agressões eram constantes e motivadas por conta de sua sexualidade. A adolescente disse ainda que, na segunda-feira (07/09), ela também havia sido agredida pelo pai com uma “bainha” de facão, um tipo de estojo usado para preservar a lâmina do objeto. Segundo a Coorpin, uma intimação foi expedida para que o agressor compareça à delegacia.

A adolescente lésbica vai passar por exame de lesão corporal e deverá ficar com a avó. A polícia informou ainda que uma medida protetiva foi solicitada para ela.

Confira


Garota é espancada após rejeitar homem ao alegar ser lésbica.



Uma garota de 17 anos relatou que foi agredida covardemente por um homem, em Cubatão (SP), que não soube ouvir um não e, mais do que isso, segundo a menina, após revelar a sua orientação sexual, o agressor teria dito “que pessoas assim têm que morrer”.

 “Ele estava faz tempo dando em cima de mim. Inicialmente eu só tinha dito não e nem contei que era lésbica. Mas ele puxou meu cabelo mesmo assim para me dar um beijo e aí eu falei que gostava de mulher”, conta a moça, que encontrou o rapaz em uma festa e foi espancada quando voltava para casa.

Depois de tanta insistência, a garota disse que era lésbica e achou que o acusado tinha desistido. “Mas toda hora que ele passava perto de mim, me empurrava com o cotovelo. Então falei para minhas amigas que iria embora porque estava sentindo que esse cara estava querendo arrumar briga”, relata.

Quando resolveu ir embora, foi abordada na rua. “Nessa hora eu só senti ele me puxando pelo cabelo, momento em que foi me arrastando. Eu cai no chão e ele jogou a moto para o lado e começou a me agredir com socos e chutes”, diz.

“Eu acho que sofri preconceito duas vezes. Uma por ser mulher, porque ele não respeitou meu não. É como se o não da mulher não tivesse voz. E a outra devido a minha orientação sexual. Por isso tomei coragem e postei sobre o ocorrido nas redes sociais, porque quero justiça e encorajar outras mulheres que passem por isso a denunciar também. Porque eu me culpei e senti vontade de não me envolver mais com mulher, é um sentimento horrível, você se sente um lixo, com medo e impotente. E na verdade eu não fiz nada de errado. Ele tinha que me respeitar“, desabafou ao G1, neste domingo (13).


Nenhum comentário:

Postar um comentário