segunda-feira, setembro 28, 2020

NOTICIAS DO MUNDO GAY

 50 embaixadores pedem respeito aos direitos LGBT da Polônia.


Conforme já reportamos, o clima está cada vez mais conturbado para a diversidade da Polônia. O governo repudia qualquer pauta favorável à comunidade LGBT. Nesse sentido, para bradar pelos direitos da comunidade, quase 50 países na Polônia pediram respeito pelos direitos LGBT em carta aberta neste domingo (27).

“Expressamos nosso apoio aos esforços para aumentar a conscientização pública sobre as questões que afetam a comunidade lésbica, gay, bissexual, transgênero e intersexual (LGBTI) e outras comunidades na Polônia que enfrentam desafios semelhantes”, disse a carta assinada pelos diplomatas.

Recentemente, o ministro polonês – Janusz Kowalski, enfatizou que quer a Polônia longe das “ideologias LGBT”. “Todas as ideologias de esquerda que atingem a família tradicional e promovem relações como um homem mais um homem mais uma criança são inconsistentes com a constituição polonesa e a herança cultural“, disse.

“Não há base para a discriminação com base na cor da pele, religião ou preferências sexuais, mas outra coisa é a afirmação e imposição de um modelo em que se diz que há 56 gêneros e possamos escolher nossas preferências a partir deles. Isso é loucura“, acrescentou.

“Eu respeito muito as opções”, diz ministro da Educação após criticar gays.


Em sua defesa, ele argumentou: “Naturalmente eu tenho minha liberdade também de opinião e ali eu estava me referindo não propriamente aos adolescentes, mas às crianças. Eu respeito muito as opções como ministro de estado. Como pastor eu tenho minhas próprias convicções, mas, como ministro de estado, eu sou ministro de todos“.

Na ocasião, o ministro da Educação foi categórico. “Acho que o adolescente que muitas vezes opta por andar no caminho do homossexualismo (sic) tem um contexto familiar muito próximo, basta fazer uma pesquisa. São famílias desajustadas, algumas. Falta atenção do pai, falta atenção da mãe”, disse.

Grupo faz protesto em supermercado que jovem foi barrado por usar short curto.


Dezenas de pessoas participam de manifestação em frente a supermercado que jovem foi barrado por usar short curto. 

Ato pacífico aconteceu na tarde desta quinta-feira (24), em Salvador; vítima não participou da manifestação.

Dezenas de pessoas participaram de uma manifestação em frente ao supermercado, em Salvador, onde um estudante foi barrado por estar usando short curto. O caso aconteceu no último fim de semana, no bairro de Itapuã.

Chamado Ocupação do Shortinho, o ato foi pacífico e começou por volta das 15h. O grupo responsável pelo protesto pedia liberdade para usar as roupas sem que as pessoas sejam julgadas. O jovem barrado no supermercado, Marcos Pascoal, não participou da manifestação.

Nas redes sociais, os organizadores do ato afirmaram que a manifestação é contra a atitude considerada “homofóbica e preconceituosa” praticada por um segurança da rede. Os manifestantes usavam máscara, por causa da pandemia do novo coronavírus.

O caso, que foi filmado e divulgado nas redes sociais, aconteceu no supermercado Big Bompreço, do grupo Walmart, na noite do sábado (19). Um dos seguranças que barrou a entrada de Marcos afirmou que “homem não poderia usar short curto”. 

No vídeo, o segurança tenta usar como argumento para barrar o estudante o fato de que crianças que estão no mercado. Ele chega a dizer: “Tem crianças lá dentro, olha um bebê aí”. Marcos disse que essa foi uma das falas mais pesadas direcionadas a ele e à sua sexualidade.

Short que motivou a expulsão do estudante de Psicologia, Marcos Pascoal, de supermercado em Salvador. 

“Por qual motivo não posso ser visto por uma criança? Eu sou um mau exemplo? Por que elas podem ver mulheres com shorts mais curtos lá dentro, mas não podem ver um homem com short curto?”, questionou ele.

No dia em que a situação ocorreu, o Grupo BIG, que é responsável pela administração do supermercado, informou que a situação é “inadmissível e não corresponde aos procedimentos e valores da empresa”. A empresa disse que afastou o segurança envolvido e que estava dando assistência necessária a Marcos.

No entanto, o estudante conta que a empresa chegou a entrar em contato com ele, mas não manifestou qualquer tipo de apoio.


Dezenas de pessoas participam de manifestação em frente a supermercado que jovem foi barrado por usar short curto.

Na quarta-feira (23), Marcos contou que o boletim de ocorrência foi registrado na segunda (21), na Delegacia Virtual da Bahia.

Travesti é morta a tiros após briga em um motel, diz polícia.


Na madrugada desta sexta-feira (25), de acordo com informações disponibilizadas pela Polícia Civil, uma travesti foi morta a tiros em um motel de Londrina, no norte do Paraná.

Ainda, segundo a Polícia Militar, o suspeito entrou no motel por volta da 1h30 e cerca de 10 minutos. Em dado momento, começou a discutir com a vítima e logo disparou três tiros que atingiram a face da travesti.

“Ouvimos os tiros e, quase que imediatamente, fechei o portão e chamei a polícia. Ele tentou sair com o carro, mas como estava tudo fechado, não conseguiu. Nos ameaçou com a arma, encontrou uma escada e fugiu”, contou o porteiro do local.

O homem fugiu e a polícia segue investigando. Segundo o G1, o corpo da travesti foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) e, até as 9h30, não tinha sido identificado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário