sexta-feira, outubro 02, 2020

MINHA VIDA GAY

 Pastora se assume bissexual, vira stripper, e entra no OnlyFans.


Nikole Mitchell

Conservadora, a ex-pastora Nikole Mitchell, que no auge de seus 36 acaba de se assumir bissexual, acaba de mudar o seu estilo de vida, e assume vídeos inéditos na plataforma adulta OnlyFans. Com uma criação bem ‘antiga’, a famosa se deu conta de aquele meio evangélico não era o seu mundo.

“Desde muito jovem, eu fantasiava ser uma stripper, mas fui doutrinada a acreditar que meus desejos e meu corpo eram pecaminosos e maus por natureza”, disse ela, de acordo com o Pheeno.

Nikole prosseguiu, e relatou que teve pensamentos machistas ao longo de sua vida. “Aprendi que as mulheres não poderiam liderar e que elas deveriam estar na cozinha e com as crianças. Portanto, embora isso fosse contra tudo o que me disseram, decidi me tornar pastora por causa do meu amor por me apresentar em público“, contou ela.

Por fim, a ex-religiosa comentou sobre vender vídeos adultos. “Cada pessoa tem o direito de se expressar da maneira que for melhor para ela e isso foi bom para mim“, finalizou.

Nasce o bebê do pai que casou com ex da filha.


Barrie Drewitt-Barlow e Scott 

Valentina veio ao mundo no domingo (27), um mês antes do previsto. A menina, que veio à luz por meio de uma barriga solidária, é filha do empresário milionário Barrie Drewitt-Barlow, de 50 anos, com o noivo dele, Scott Hutchinson, de 25 anos.

“Bem-vinda ao mundo, nossa linda filha – Valentina Willow Drewitt-Barlow, nossa garota está quase um mês adiantada, mas ela é perfeita. Nos sentimos totalmente abençoados. Eu te amo Scott”, publicou Barrie em sua rede social. 

Os internautas e admiradores do casal aproveitaram para reverenciar a família, que agora ficou maior. De acordo com o The Sun, o ex-sogro pediu o ex-genro em casamento, com direito a flores no chão, champanhe e até mesmo um anel de diamantes durante um passeio pela Croácia.

O casal ganhou ainda mais notoriedade após a mídia repercutir que Scott é ex de uma das filhas de Drewitt, a Saffron, de 20 anos. Aliás, Barrie já foi casado 32 anos com outro homem e a garota é fruto desse amor, adotada em 1999.

Carioca relembra relação com amigo hétero nos tempos da escola e diz que é fanfic pronta: “Parecíamos um casal”.


Amizade entre homens gays e héteros é possível?! O ator carioca Leonardo Camanho prova que sim! Ele compartilhou no Twitter fotos com seu melhor amigo hétero nos tempos de escola. Mas ele confessa que as imagens são uma fanfic pronta: “Parecíamos um casal”. E ele completa: “Existem homens héteros legais no mundo”, contando que a amizade se mantém até os dias de hoje! Histórias que inspiram, né?!

Confira o post de Leonardo Camanho


Casal gay fala sobre o ataque homofóbico sofrido em petshop: “Foi humilhante”.


Guilherme e Eric 

O casal gay que foi vítima de um ataque homofóbico em um petshop, em Birigui, no interior de São Paulo, afirmou que se sentiu humilhado após as ofensas de uma mulher presente na loja na última sexta-feira (25).

Em entrevista ao portal G1, Guilherme Franceschini Simoso, uma das vítimas, contou que estava no estabelecimento com o namorado, Eric Cordeiro Cavaca, quando a mulher entrou no ambiente sem o uso de máscara, enquanto ouvia músicas religiosas.

“Ela disse para os funcionários que não acreditava no coronavírus. Nós estávamos mexendo no celular e não demos bola. Mas ela passou a falar mal das universidades federais e foi se aproximando de nós”, explicou Guilherme, que cursa administração.

Em seguida, a mulher começou a falar que as faculdades federais eram responsáveis por doutrinar os estudantes a se tornarem homossexuais. “Ela disse que tinha virado moda ser gay e continuou com as agressões. Meu namorado a questionou sobre fato de ela ter algo contra os homossexuais e a alertou que era crime”, conta Guilherme.

O casal, então, decidiu gravar com o celular a exaltação da fanática religiosa, afirmando que ela chegou a pegar em um dos seus braços, na tentativa de agredi-lo. “Foi uma situação humilhante, degradante e revoltante. Ninguém tem que passar por isso. Ninguém está pedindo para que ela ame a comunidade LBGT, mas o direito dela termina quando começa o meu”, conta Guilherme.

Após o ataque homofóbico, o casal decidiu registrar um boletim de ocorrência para que a mulher da gravação fosse investigada pelo crime de homofobia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário