quinta-feira, outubro 15, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Comunidade LGBTQ+ ganha espaço em Tóquio.



Em comemoração à inauguração da Pride House Tokyo Legacy, uma ex-jogadora de basquete foi convidada para falar de sua experiência, como evento especial.

A conhecida Pride House, montada sempre de forma temporária antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos com apoio da iniciativa privada, ganhou um espaço físico em Shinjuku, Tóquio.

Para comemorar a inauguração uma ex-jogadora profissional de basquete – Rina Hill, atualmente Ryan – foi convidada para um evento especial, para falar sobre quando percebeu que sua mente e corpo não combinavam, assumindo sua transexualidade. Como Rina vestiu a camiseta do time da Toyota e se aposentou no ano passado.

Ryan Hill falou de sua singularidade e da importância da sociedade que respeita uns aos outros. “Espero que com a abertura da Pride House possamos desenvolver uma sociedade que aceite a diversidade”.

O local conta com estandes privados para que as pessoas que fazem parte da minoria sexual possam se consultar acompanhados de seus familiares. Tem também uma biblioteca com cerca de 600 obras sobre o assunto, espaço para eventos e local para que possam se sentar e trocar ideias.

Embora os Jogos Olímpicos e Paralímpicos tenham sido adiados, o novo espaço que tem como um dos conceitos a diversidade e harmonia, pretende divulgar informações sobre a comunidade LGBTQ+ e esportes.

Gon Matsunaka, fundador e representante da Pride House, disse “espero que esta instalação apoie os jovens LGBTQ+ e proporcione um local onde possam consultar e interagir sem hesitação”.

Prédio na Ucrânia vira bandeira LGBT.



Como uma forma de mostrar descontentamento com a LGBTfobia que assola a Ucrânia, uma bandeira com as cores do arco-íris foi colocada em um prédio de 140 metros – o Gulliver Mall, um centro comercial e de entretenimento de 35 andares na capital do país.

“Neste dia que é tão importante para toda a comunidade LGBT +, queremos enfatizar mais uma vez que somos mais fortes juntos e juntos em todas as circunstâncias, incluindo condições de pandemia e restrições de quarentena. Caminhamos lado a lado em direção a um futuro melhor para todos ”, diz Ruslana Panukhnyk, diretora da ONG KyivPride.

“Devemos relembrar que o PrideMonth que normalmente ocorre em Kiev de 26 de setembro a 11 de outubro foi adiado devido à pandemia de COVID-19”, destacou. Vale frisar que as cores ficarão disponíveis até o dia 11 de outubro.

Ainda, em junho deste ano, moradores da cidade de Kiev foram surpreendidos com a paisagem diferente no monumento da Mãe Pátria, uma das principais imagens da história da Ucrânia. O ato foi em comemoração ao mês do Orgulho LGBT.

Policial mata ex-namorada transsexual e finge buscar seu corpo.


Viktoria Basakovskaya

Um caso de homicídio ocorrido na Rússia vem chamando a atenção da comunidade LGBTQIA+ nos últimos dias. De acordo com o jornal Pink News, um policial de Novosibirsk confessou ter matado a companheira transsexual logo depois de fingir procurar seu corpo desaparecido.

Nesta terça-feira (13), investigadores do caso encontraram o corpo de Viktoria Basakovskaya na vila de Burmistrovo, ao sul, e relataram que ele apresentava sinais de estrangulamento.

As autoridades revelaram que outro oficial do grupo, Denis K, confessou ter estrangulado Viktoria após uma discussão entre os dois, que se transformou em violência. Denis, então, confessou ter arrastado o corpo dela para os arredores da vila.

De acordo com informações, o policial era namorado de Viktoria e teve um ataque de ciúmes, punindo a companheira.  “Durante o conflito, o suspeito estrangulou uma conhecida, e depois levou seu corpo para fora da aldeia e a escondeu”, contou Anastasia Kuleshova, assistente sênior do chefe da Diretoria de Investigação.

Médico faz suruba com 4 pedreiros em Noronha e é roubado por um deles.



Suspeito fugiu com pochete da vítima, mas acabou localizado e preso.

Um pedreiro foi preso em flagrante após ser acusado por um médico de ter roubado a quantia de R$ 2 mil. Segundo informações, o crime ocorreu na Ilha de Fernando de Noronha, na madrugada de domingo (11), enquanto o médico participava de um sexo grupal com o suspeito e outros três trabalhadores.

A comissária especial da Polícia Civil, Eva Moura, explicou que o médico estava na ilha realizando turismo e estava hospedado em uma pousada. Por volta das 3 horas, ele retornava para o local da hospedagem quando se deparou com os quatro trabalhadores.

“Nas proximidades da BR-363, o turista se deparou com quatro homens, e um deles questionou se o visitante teria interesse em sexo. O turista respondeu e indagou se o ato poderia ser com os quatro trabalhadores, e os homens aceitaram a proposta”, afirmou a comissária.

De acordo com ela, os cinco homens foram para um terreno baldio próximo a uma creche, onde o turista confirmou que eles praticaram o ato. No entanto, um dos trabalhadores pegou a pochete do médico e fugiu. Dentro dela, havia R$ 2 mil.

A comissária relatou que, ao perceber que a pochete foi levada, o turista perseguiu o pedreiro, que jogou o objeto fora, mas o dinheiro não estava mais na bolsa.

Por uma foto que o médico fez do suspeito a polícia conseguiu localizá-lo e ele devolveu metade do valor ao ser preso. Em audiência de custódia, o pedreiro foi solto e responderá ao processo em liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário