quinta-feira, outubro 29, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Noivos e 42 convidados são presos na Argélia e condenados por realizar casamento gay.



A Justiça da Argélia, país ao norte da África, prendeu dois homens que se casavam e outros 42 convidados por supostamente comparecerem a um “casamento gay secreto“. Segundo informações do portal Gay Star News, teriam denunciado o casório à polícia.

A polícia invadiu uma residência privada em 24 de julho deste ano em El-Khroub, um distrito no nordeste da Argélia. Dentro da casa, os policiais prenderam um grupo de nove mulheres e 35 homens. A maioria dos detidos são estudantes universitários. Um advogado argelino envolvido no caso disse que o tribunal se baseou nas descrições da polícia da cena para sentenciar os 44. Os policiais alegaram que decorações, flores e doces constituíram uma recepção de casamento. Eles também usaram a aparência supostamente gay dos homens como evidência de culpa.

O tribunal condenou os 44 por “relações entre pessoas do mesmo sexo“, “indecência pública“, além de “sujeitar terceiros a danos ao violar as medidas de quarentena relacionadas à Covid-19“. O casal foi condenado a três anos de prisão e multa e os outros receberam pena de um ano.

Infelizmente a Argélia ainda pune o sexo gay com até dois anos de prisão de acordo com o Artigo 338 de seu Código Penal. Enquanto isso, o artigo 333 aumenta a pena de indecência pública para até três anos de prisão e multa se envolver “atos contra a natureza com pessoa do mesmo sexo“.

Vereador que chamou Parada LGBTQ+ de “festa de depravados” é preso por estuprar adolescente de 15 anos.



Um vereador de Curuçá, no nordeste do Pará, foi preso suspeito de estuprar uma adolescente de 15 anos. Daniel Rabelo Silva, de 39 anos, do MDB, foi detido em um posto da Polícia Rodoviária Federal na última sexta-feira (23/10).

Segundo informações do G1, durante as investigações do caso foram levantadas provas materiais, com vídeos e áudios, depoimentos de testemunhas e indícios que comprovavam a autoria do crime. Mais conhecido como Daniel do Abade, o vereador foi preso e conduzido para o sistema penal do estado, e deve responder pelo crime de estupro qualificado de menor.

Curiosamente, no final de 2019, Daniel se envolveu em um episódio de homofobia após atacar a realização da 2ª edição da Parada LGBTQ+ de Curuçá. Na ocasião, o vereador chamou o evento de o “fim do mundo” e que a “imoralidade deveria ficar entre quatro paredes”. Felizmente, a publicação foi apagada minutos depois por conta das denúncias de internautas. “É direito meu também”, reclamou ele na época.

SP: condomínio exige que morador retire cortina arco-íris.



O geólogo Francisco Campos, morador da cidade de São Paulo, postou uma denúncia nas redes sociais sobre o condomínio onde reside. A gestão do prédio localizado na Rua Augusta enviou um comunicado solicitando que ele retirasse uma cortina com as cores da bandeira LGBT que colocou na janela de seu apartamento.

Campos relatou que mora no apartamento há cinco anos, e que nunca tiveram nenhum problema com os demais moradores nem com o síndico. Ele declarou que ficou surpreso com a notificação que se justifica com argumentos infundados. Segundo a gestão do condomínio, o comunicado foi emitido porque outros moradores estavam reclamando.

A cortina foi colocada na janela de um dos quartos do apartamento há três semanas. No imóvel residem Francisco Campos e seu namorado. Diante do comunicado do condomínio entregue por um funcionário, Campos solicitou que a administração do prédio fosse pessoalmente conversar com ele sobre o ocorrido, o que não aconteceu.

Valor do patrimônio

Após receber o aviso e sem o retorno da administração do condomínio, Campos não retirou a cortina. Alguns dias depois da primeira notificação, o casal recebeu uma advertência. O documento lembrou algumas normas do condomínio para tentar embasar o pedido de retirada da cortina.

Segundo a administração do condomínio, a cortina pode “interferir e influenciar na valorização do patrimônio”. Campos recebeu essas justificativas depois de entrar com um pedido de contestação da advertência, que foi negado. O morador relatou ainda que o condomínio está insistindo em cobrar multa. Além disso, a administração até ligou na imobiliária para avisar que iriam multar os inquilinos.

Para Campos, a notificação e advertência são inadmissíveis. Ele diz que não há a mesma cobrança com as diversas cortinas nas janelas de outros apartamentos. O morador questiona o motivo pelo qual somente a cortina com as cores do arco-íris está sendo motivo de reclamações.

Em nova acusação, polícia diz que ator pornô Rodrigo XXX contava com a ajuda do irmão para dopar gays no Rio.



Preso na última sexta (23/10), em São Paulo, suspeito de aplicar o golpe “boa noite, Cinderela“, o ator pornô Rodrigo XXX também teria praticado o crime no Rio de Janeiro. Em solo carioca João Bosco Rodrigues Junior, o Rodrigo XXX, ainda contava com a ajuda do irmão, o também ator pornô Jemison Portela dos Santos, para atrair e aplicar o golpe em suas vítimas.



Segundo o jornal Extra, os irmãos do pornô são acusados de abordar uma vítima no Bar Jobi, dopá-la e fazer saques e compras de aproximadamente R$ 40 mil com seus cartões. Os dois teriam abordado um homem que estava bebendo com um amigo no bar, na madrugada do último dia 15. Eles conversaram e, depois de seu amigo ir embora por ter se sentido mal, a vítima decidiu acompanhá-los indo a outro restaurante.

Segundo depoimento prestado no 13º DP, em Ipanema, a última lembrança que o rapaz tem é dos três entrando em um táxi. Ele então acordou deitado na Praia de Botafogo, sem os pertences, na manhã seguinte. A vítima descobriu que foram feitas compras e transações bancárias com seus cartões, somando mais de R$ 40 mil.

“Estamos fazendo diligências para apurar a participação de outras pessoas no caso, inclusive os beneficiários das transferências realizadas. Há indícios que trata-se de uma quadrilha que praticava golpes em alguns estados, em especial Rio de Janeiro e São Paulo. É importante que vítimas desses criminosos compareçam a delegacia“, ressaltou à publicação, o delegado Felipe Santoro.

Os irmãos amazonenses foram reconhecidos e tiveram a prisão temporária por roubo decretada pela Justiça. João foi preso na última sexta-feira, enquanto Jemison segue foragido.

Casal gay afirma ter sido agredido dentro de boate em São Gonçalo, no Rio.


Casal diz ter sido vítima de homofobia e agressões em boate; homem afirma que dedos do pé foram quebrados. 

Segundo uma das vítimas, seguranças foram os responsáveis pelas agressões violentas. Comissões da OAB divulgam nota de repúdio.

Um casal afirma que foi agredido por seguranças de uma boate em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Uma das vítimas teve três dedos do pé quebrados e quase teve a orelha direita arrancada. O outro teve ferimentos no rosto.

O caso aconteceu na noite de sexta-feira (23) na casa de shows Vintage Club e foi registrado na 72ª DP (São Gonçalo).

Em nota, a boate afirmou que os dois “não foram tratados de forma preconceituosa”, e que os seguranças os conduziram para fora da boate porque houve uma troca de agressões dentro do estabelecimento.

O estabelecimento afirmou ainda que repudia qualquer tipo de agressão e atitudes homofóbicas. A direção da casa ressalta que o nosso público é constituído por várias tribos e todos recebem o mesmo tratamento, sem distinção.

O casal namora há cinco meses e diz que já sofreu preconceito, mas ambos disseram que nunca tinham sido agredidos pelo fato de serem homossexuais. Uma das vítimas contou o que aconteceu na boate.

“Foi tudo muito rápido. Me seguraram por trás e nisso que me seguraram por trás já começaram a bater nele. Deram um soco no ouvido dele, foi quando ele caiu. E começaram a bater nele e aí eu vi aquilo, eu fui pra cima pra poder perguntar porque vocês estão batendo nele, o que tá acontecendo. E aí foi quando eu também fui agredido”
A mesma vítima desabafou após o caso:

“Eu me sinto impotente como cidadão, com medo de não poder ser quem eu sou, de não poder me divertir com meus amigos. A gente tá cansado de ser agredido, de ser perseguido”

Comissões da OAB divulgam nota de repúdio

A Comissão de Diversidade Sexual e Gênero e a Comissão de Direitos Humanos da OAB São Gonçalo publicaram uma nota repudiando a agressão sofrida pelo casal na boate.

Nenhum comentário:

Postar um comentário