terça-feira, outubro 13, 2020

POLÍTICA

 Bolsonaro mudou de posição por medo da prisão dos filhos, diz revista.


ARQUIVO 28/12/2018 POLITICA Jair Bolsonaro e os filhos. E/d Flavio Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e Carlos Bolsonaro

A mudança de tom de Jair Bolsonaro (sem partido), incluindo novas nomeações e aproximações, se deve ao medo de que o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) fossem presos pelas constantes ameaças às instituições democráticas brasileiras. Segundo a revista Veja desta semana, isso é causa da recente transformação do presidente.

Ainda segundo a reportagem, a ordem de prisão viria do ministro do Supremo Alexandre de Moraes, relator de investigações sobre ameaças a autoridades, divulgação de fake news e o financiamento de atos antidemocráticos.

Moraes é considerado o principal motivo da mudança do governo Bolsonaro.

Fake news e família Bolsonaro

Na última terça-feira, 6, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) levou à Polícia Federal (PF) dados que mostram a ligação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) com o esquema de fake news contra opositores.

Os dados entregues à PF compõem a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que apura o envio em massa de notícias falsas.

Frota entregou números de IPs computadores de Brasília e do Rio de Janeiro que estariam ligados a um e-mail de Eduardo Bolsonaro e teriam sido utilizados em ações de criação e disseminação de fake news nas redes sociais.

Segundo o deputado, o e-mail bolsonaro.enb@gmail.com, que foi utilizado por Eduardo no registro de sua candidatura em 2018, está logado em máquinas usadas para disseminação de fake news, conforma identificou a CPMI.

Em março, o UOL revelou a ligação de Eduardo Bolsonaro com as fake news. Na época, o portal apontou que a página Bolsofeio convocou manifestações antidemocráticas e ataques contra ministros do STF. Atualmente a página está desativada, mas ela foi criada a partir de um computador localizado na Câmara dos Deputados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário