sexta-feira, novembro 06, 2020

MINHA VIDA GAY

 Aos 94 anos, ator se assume gay.



Stanley Baxter, ator de comédia e impressionista escocês, surpreendeu após revelar sua orientação sexual por meio de sua nova biografia, ‘The Real Stanley Baxter’. O fragmento polêmico foi divulgado na imprensa local e logo repercutiu.

“Eu disse a ela a minha preferência e falei: ‘É por isso que estou terminando o relacionamento. Isto não seria uma vida para você, ficar casada com alguém que é essencial e primariamente homossexual”, Baxter explica na biografia, referindo-se a sua esposa.

“Naquela época, eu tinha muitos sentimentos ternos por ela. Achei que ela ainda estaria com o coração partido. Mas é claro que eu deveria ter sido mais forte. Foi uma verdadeira fraqueza da minha parte”, reflete ele, que resolveu reatar após a recusa de sua companheira.

Por fim, o ator descreve sua visão sobre ser gay no mundo atual.  “Qualquer um seria louco se escolhesse viver uma vida tão difícil. Existem muitos gays hoje em dia que se sentem bastante confortáveis ??com sua sexualidade, bastante felizes com quem são. Eu não estou assim. Eu nunca quis ser gay. Eu ainda não quero”, admite.

Quadrisal de Sampa viraliza no Twitter após comprar casa própria.


O quadrisal formado por Léo, Rafa, Samuel e Sérgio na primeira refeição na casa nova, que compraram juntos.

Eles contam que decidiram buscar a casa própria depois que a família aumentou.

Os médicos Léo Carvalho e Samuel Rodrigues, o nutricionista Rafael Guiron e o promotor de eventos Sérgio Peixoto são um quadrisal — união formada por quatro pessoas — há quase seis meses. Mas, na última sexta-feira (23), viram o relacionamento virar hit no Twitter, quando Léo publicou uma foto de todos juntos, fazendo uma refeição, com a legenda: “Apenas um quadrisal feliz, comemorando que comprou o apê novo”.

Eles contam que decidiram buscar a casa própria depois que a família aumentou, com a chegada de Sérgio. “Quatro homens, três cachorros e três gatos, nosso apartamento antigo começou a ficar pequeno”, diz Léo.

Antes disso, eram um trisal (casal de três pessoas), composto por Léo, Samuel e Rafael.

“Eu e Samuel somos casados há seis anos e viemos para São Paulo há três para fazer a residência médica. Sempre tivemos um relacionamento aberto. Conhecemos o Rafael no final de 2018. Com o tempo, o lance casual começou a ficar sério, e o Rafa estava ficando mais na nossa casa do que na dele, até que começamos a namorar oficialmente”, explica Léo, que é médico do esporte.

Ele continua: “Em fevereiro deste ano, no Carnaval, nós três fomos a uma balada e eu conheci o Sérgio. Ficamos, trocamos telefone, começamos a sair, nos apaixonamos. Em maio começamos a namorar. Com a convivência na nossa casa, os meninos [Samuel e Rafa] também se envolveram com ele”.

Embora nem todos se relacionem afetivamente entre si — Sérgio, por exemplo, mantém um relacionamento amoroso apenas com Léo — eles gostam de usar o termo “quadrisal” para poupar perguntas íntimas, como “quem transa com quem”.

O quadrisal conta que mantém uma rotina muito semelhante à de qualquer casal, só que “com mais opções de programas e mais divisão de responsabilidades”.

“Nos organizamos como qualquer família, mas com mais membros”

“Ninguém precisa acompanhar ninguém em um programa que não está a fim. Rafa e Samuel, por exemplo, gostam de jogar videogame; eu e Sérgio, de ver seriado. Todo mundo malha junto quando os horários permitem. Cozinhar é com todo mundo, menos com o Samuel, que não sabe fritar um ovo”, descreve.

Repercussão

Léo conta que não imaginava a repercussão da publicação e brinca que “não faz ideia do que aconteceu”. Ele apagou o tuíte, feito há dois dias, por conta dos ataques e ofensas que começaram a receber.

Antes de ser deletada, a publicação reunia 3.500 curtidas e 1.200 compartilhamentos, muitos acompanhados de piadas como “só assim mesmo [dividindo o valor em quatro] para comprar a casa própria em São Paulo”.

“As configurações poliamorosas de relacionamentos não são muito públicas. Elas existem por aí, somos vários [que se relacionam desta forma], mas não aparecemos tanto. Isso gera curiosidade, estranhamento, e por vezes ódio, mas a gente não liga. Se fosse pra agradar a sociedade, seríamos enrustidos, fingiríamos ser héteros. Somos felizes com nossos namorados, bichinhos, casa, empregos.”

Depois de se conhecer no Facebook, casal gay larga tudo para viver viajando a bordo de uma kombi.


Juntos há seis anos, o casal Jordy Alexander, de 26 anos e João Otávio, de 46, vem vivendo desde 2018 uma aventura sem data para acabar. Os dois, que se conheceram por acaso no Facebook, decidiram trocar tudo para dar uma volta ao mundo a bordo de uma Kombi ano 1988, no maior estilo “kombi-casa”.

Ao UOL, o casal conta que juntos já percorreram 14 Estados brasileiros e agora pretendem se aventurar no Uruguai, país de origem de Jordy. A jornada é compartilhada com seguidores através do perfil no Instagram @letsgomondo, onde mostram a vida de casal nômade ao lado de Martina, uma cadelinha da raça Yorkshire. Apesar da vida na estrada, os dois não abandonaram os seus respectivos trabalhos: Jordy é turismólogo e maquiador enquanto João é fotógrafo e publicitário, eles exercem suas funções de forma remota (nômades digitais).

O casal lembra de quando foram vítimas de homofobia quando estavam no Rio Grande do Sul, na cidade de Cambará do Sul. Segundo eles, mecânicos de uma oficina local haviam deixado propositalmente o veículo sem os freios, para que eles sofressem um acidente quando descesse a serra para Praia Grande. “Quase morremos, a nossa sorte foi que a kombi parou nos arbustos. Havia o medo também da noite chegar e não resolvermos o problema, mas felizmente conseguimos a solução”, contaram ao UOL.

Sobre a experiência de ser o primeiro casal no país a viverem essa jornada, os dois são só orgulho: “Quando saímos para essa empreitada, nós pesquisamos muito e não havia nenhum casal gay fazendo o mesmo no mundo, pelo menos aqui no Brasil fomos os primeiros e até agora os únicos”.

Confira


Nenhum comentário:

Postar um comentário