quinta-feira, novembro 12, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Joe Biden já cedeu sua casa para oficializar casamento gay de funcionários da Casa Branca.



Presidente eleito nos Estados Unidos, Joe Biden já oficializou cerimônia de casamento gay, um ano depois das uniões entre mesmo sexo serem legalizadas no país. A celebração aconteceu em agosto de 2016, na casa de Biden, localizado no Observatório Naval dos Estados Unidos, quando ele ainda era vice-presidente de Barack Obama.

Biden obteve uma certidão especial para poder casar Brian Mosteller e Joe Mahshie, dois empregados da Casa Branca que o pediram para oficiar o casamento. “Estou orgulhoso por casar Brian e Joe em minha casa. Não poderia estar mais feliz: são dois empregados veteranos da Casa Branca e duas grandes pessoas“, escreveu ele em sua conta oficial no Twitter, junto a uma fotografia ao lado do casal.

Em entrevista exibida em 2012, Biden afirmou que se encontrava “absolutamente cômodo” com o casamento homossexual, em um momento em que ninguém no governo americano apoiava publicamente esse tipo de união.

Primeiro juiz abertamente gay é confirmado para a Suprema Corte da Califórnia.



O juiz Martin Jenkins, de 67 anos, obteve confirmação unânime nesta terça-feira (10/11) para a Suprema Corte da Califórnia (EUA), tornando-se o primeiro membro assumidamente gay e o quinto juiz negro na história do tribunal.

Segundo informações do Fox News, Jenkins foi confirmado por uma comissão de nomeações judiciais de três membros após uma audiência de uma hora. Ele foi elogiado pelo painel por seu “intelecto brilhante, temperamento de primeira classe e humanidade sem limites”. O governador Gavin Newsom indicou Jenkins no mês passado para substituir o juiz Ming Chin, que se aposentou em 31 de agosto. Durante uma entrevista coletiva no mês passado, Jenkins disse que sua identidade como homem gay foi “talvez o maior desafio da minha vida“.

Natural de São Francisco, Jenkins se tornará o quinto democrata nomeado no tribunal de sete membros, informou o Times. Ele atuou em várias jurisdições, incluindo o Tribunal Municipal de Alameda County e o Tribunal de Apelação estadual do 1º Distrito de São Francisco. Jenkins também foi nomeado para a bancada federal em 1998 pelo presidente Bill Clinton.

O governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, indicou Jenkins para os tribunais de apelação estaduais em 2008. “Seus colegas se referiam a ele afetuosamente, assim como eu, como o James Brown do judiciário”, disse o ex-colega federal, juiz distrital aposentado Thelton Henderson, ao site Courthouse News . “O cantor James Brown era conhecido como o homem que mais trabalhava no showbiz. E nós sentimos que Marty era certamente o homem que mais trabalhava em nossa corte.”

Nova York elege os primeiros negros declarados gays para o Congresso dos EUA.



Ritchie Torres e Mondaire Jones, ambos do Partido Democrata, fizeram história ao se tornarem os dois primeiros negros declarados gays a se elegerem para o Congresso dos EUA pelo estado de Nova York.

De acordo com apuração da CNN americana e do Daily Mail, a vitória de Torres foi “esmagadora”. O candidato foi eleito para representar o 15º distrito de Nova York. Mondaire Jones foi eleito para representar o 17º distrito que abrange Westchester e Rockland.

Torres, que vai representar o distrito eleitoral do Bronx, declarou em suas redes sociais que “uma nova era começa para o South Bronx. É maior honra de uma vida representar um bairro repleto de trabalhadores essenciais que arriscaram suas vidas para que a cidade de Nova York pudesse viver”.

Ainda sobre a sua vitória, Torres afirmou que o “Bronx é o coração da cidade de Nova York”. Por sua vez, Jones declarou que há uma encruzilhada no Bronx e nos EUA.

“O flagelo da Covid-19 revelou as desigualdades que por muito tempo foram permitidas se agravar em nossas comunidades. A destruição que nossos bairros sofreram é severa, com uma pandemia causada por um desastre econômico e com uma recuperação que ajuda apenas aqueles que estão no topo, não base”, disse Torres.

Os ganharam as primárias democratas na primavera para substituir membros veteranos do Congresso que estão se aposentando.

EUA elege a primeira senadora transexual

Sarah McBride, do Partido Democrata, ganhou uma cadeira no Senado pelo estado de Delaware com 86% dos votos, derrotando o republicano Steven Washington, que teve 14%

“Conseguimos. Vencemos a eleição geral. Obrigada, obrigada, obrigada”, comemorou Sarah pelas redes sociais.

Jair Bolsonaro desdenha da Covid-19 com homofobia: “Brasil tem que deixar de ser um país de maricas”.



Jair Bolsonaro destilou homofobia nesta terça (10/11) ao dizer que o Brasil precisa deixar de ser um “país de maricas”. A fala do presidente foi feita enquanto ele comentava sobre a Covid-19, doença que já matou mais de 162 mil brasileiros. O presidente também afirmou que “tudo agora é pandemia” e que “tem que acabar esse negócio”. Ele disse lamentar os mortos, mas ressaltou, mais uma vez, que “todos nós vamos morrer um dia”.

“Tudo agora é pandemia, tem que acabar com esse negócio. Lamento os mortos, lamento. Todos nós vamos morrer um dia, aqui todo mundo vai morrer. Não adianta fugir disso, fugir da realidade. Tem que deixar de ser um país de maricas”, disse durante evento no Palácio do Planalto. 

Confira trecho da declaração de Jair Bolsonaro


A declaraçao foi dada horas depois do presidente comemorar em uma rede social um “evento adverso grave”, que fez com que a Anvisa interrompesse  o estudo clínico da vacina Coronavac, desenvolvida em São Paulo pelo Instituto Butantan e pelo laboratório chinês Sinovac Biotech. Na rede social, Bolsonaro escreveu: “Morte, invalidez, anomalia. Esta é a vacina que o Dória queria obrigar a todos os paulistanos tomá-la. O Presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”.

Pastor morre de Covid-19 após relacionar pandemia a LGBTs e sexo antes do casamento.



Morreu na terça-feira (03/11), aos 75 anos, vítima de Covid-19, o pastor e televangelista norte-americano Irvin Baxter Jr. Em março, o fundador do End Of Time Ministries (Ministérios do Fim dos Tempos) e apresentador do programa de TV “End Of the Age” (Fim dos Tempos), causou polêmica ao culpar LGBTs e relações sexuais antes do casamento pela pandemia.

“Se pensamos que podemos ignorar a Deus e vivermos uma vida pecaminosa… Bem, nós não podemos. Você sabe, eu acredito (…) que Deus pode estar usando isso (pandemia) como um chamado. Este coronavírus pode ser um privilégio, e eu vou te dizer isso: há um julgamento bem maior chegando“, afirmou ele em março. Baxter era conhecido por suas profecias condenatórias do fim do mundo e repetidas pregações contra a homossexualidade, citando passagens da Bíblia que pediam que gays fossem “condenados à morte” enquanto ele se enfurecia contra o casamento do mesmo sexo e a aceitação de pessoas LGBTQ+ no cristianismo.

Em comunicado, o ministério do qual Baxter é fundador anunciou que pretende continuar com as atividades apesar de sua morte. Davi Robbins, co-apresentador da atração, irá assumir as funções de Baxter. “Sentiremos sua falta, mas ele está com Jesus“, afirmou Robbins. “Toda a sua vida era sobre uma coisa, compartilhar a mensagem do Evangelho. Continuaremos em seu legado, compartilhando a mensagem e as boas novas“, acrescentou.

Os EUA lideram a lista das nações com mais casos da doença. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o país soma mais de 10 milhões de casos e quase 238 mil mortes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário