segunda-feira, novembro 23, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Joe Biden publica mensagem em apoio à comunidade trans: “Minha administração verá, escutará e lutará por você”.



Neste final de semana, o novo presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, falou sobre o ‘Dia da Memória dos Transgêneros’ em seu perfil no Twitter, e fez promessas de mudanças para essa população.

Em sua publicação na rede social com mais de 120 mil curtidas, o novo presidente americano iniciou falando sobre as mortes de pessoas trans no país. “Pelo menos 37 pessoas trans e de gênero não-conforme foram assassinadas este ano por transfobia, a maioria sendo mulheres negras. Isso é intolerável. Neste Dia da Memória dos Transgêneros, gostaria de honrar estas vidas – e me comprometer novamente a trabalhar para acabar com esta violência epidêmica”.

Biden ainda acrescentou: “Para pessoas trans e as não conformes com gênero da América e pelo mundo: No momento em que eu fizer meu juramento como presidente, saibam que minha administração verá você, escutará você e lutará não apenas por sua segurança, mas tb pela dignidade e justiça que lhes negaram.”

Vale ressaltar que recentemente, Joe nomeou a veterana trans Shawn Skelly para sua equipe de transição. Ela fará parte do grupo que avaliará o Departamento de Defesa. 

Considerado crime no país, casal gay pode ser punido com 100 chibatadas na Indonésia.


Um casal gay da Indonésia, da cidade de Banda Aceh, pode ser sentenciado a 100 chibatadas em praça pública por praticarem “orientação sexual ilegal”, conforme divulgado pelo AsiaNews.

Mu, de 26 anos e Ta, de 34, tiveram sua residência violada por moradores de seu bairro, e serão julgados por um tribunal corânico nas próximas semanas. Por conta de a homossexualidade ser crime em sua província, eles podem pegar oito anos de cadeia ou terem que pagar uma multa de um quilo de ouro.

Em 2017, um casal gay também havia sido condenado na mesma região, mas teve a sentença de 85 chibatadas reduzidas para 83 chibatadas, porque eles ficaram dois meses em prisão preventiva.

Rebecca Henschke, repórter da BBC, revelou que conversou com um dos rapazes condenados do caso recente, mas que não pode dialogar em um local reservado. “Ele tremia todo, estava magro, pálido e tinha vermelhidão pela pele. Outros presos nos cercaram e nos olharam de forma intimidadora enquanto tentamos conversar”, contou.

O líder ativista LGBT+ Human Rights Watch, solicitou ao presidente da Indonésia, Jokowi Widodo, que o casal não seja banido do país e nem punido. “O tempo está passando para Jokowi demonstrar que seu apoio à igualdade de direitos para todos não é uma retórica vazia” – disse o grupo em comunicado – “Ele precisa começar a proteger esses dois jovens homens da tortura.”, pediu.

Até 2022, Igreja Anglicana decidirá se aprova casamento LGBT.



Segundo o jornal inglês The Times, a Igreja Anglicana decidirá até 2022 se vai aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O site “Vivendo em Amor e Fé” da instituição, traz um compilado de informações que visa aclarar essa questão do casamento LGBT.

“Para aqueles que se envolveram no “Vivendo em Amor e Fé”, oferecemos nossos agradecimentos por seu tempo, energia, compromisso e empenho. Vamos olhar de perto os materiais agora publicados e responder plenamente no devido tempo. Para nós, trata-se de seguir a Cristo, submetendo-nos ao que as Escrituras dizem, assim como Ele fez” – disse o reverendo Julian Henderson, Bispo de Blackburn e Presidente do Conselho Evangélico da Igreja Anglicana.

No Brasil, em 2018, os casais homoafetivos adeptos da igreja Anglicana puderam contrair matrimônio por meio da religião no país. 

A votação trouxe 57 votos a favor, contra três discordantes e duas abstenções. Para a nova regra valer na prática, porém, ela deve ser aprovada em cada uma das dioceses que funcionam com autonomia. 

Deputado Alexandre Frota apresenta projeto para aumentar LGBTs nas eleições.



Nesta semana, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB – SP), apresentou um projeto de lei para criação de cotas para os LGBTs disputarem as eleições municipais, federais e federais no Brasil.

De acordo com o projeto do deputado, os partidos políticos seriam obrigados a ceder, pelo menos, 10% de suas candidaturas para pessoas LGBTs nas disputas das eleições.

“Estimular as candidaturas LGBTQI+ é uma forma de a sociedade poder decidir se quer ou não ser representada por este segmento social”, diz trecho do PL 5220/2020 apresentado por Alexandre Frota.

O parlamentar ainda justifica a ação, afirmando que é só o começo para melhorar a democracia do país. “Sabemos que 10% ainda é um número pequeno, mas é um começo de um novo momento da política e da democracia brasileira”, diz.

“A sociedade tem que avançar na sua composição e cada dia mais ter pessoas no legislativo, ou seja, produzindo legislação, nos mais diversos segmentos sociais”, complementa o parlamentar.

Conhecida como “Jessicão, a Opressora”, primeira vereadora lésbica de Londrina diz que não ajudará LGBTs.



Primeira vereadora lésbica eleita na cidade de Londrina (PR), “Jessicão, a Opressora” afirmou em entrevista que não irá atuar a favor das causas LGBTQ+. Disputando pelo PP, Jessicão foi eleita no último domingo (15/11) com 2.523 votos.

“Um repórter me perguntou: Como primeira homossexual eleita Vereadora em Londrina, qual será sua primeira ação para a causa LGBT? Respondi: Nenhuma! Fui eleita para defender a DIREITA LONDRINENSE, todos que respeitam DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA! JESSICÃO está Fechada com #Bolsonaro!”, escreveu a Opressora em seu Twitter.

Segundo Jessicão, sua luta será pelas escolas militares, valorização das forças de segurança e se posicionar contra a “ideologia de gênero”, “doutrinação” e “comunismo“. Nas redes sociais, ela aparece em fotos e vídeos ao lado de Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e apoiadores da família Bolsonaro.

Mulher agride jovem em padaria: “Isso aqui é uma padaria gay?”



Uma mulher identificada como Lidiane Biezok proferiu insultos homofóbicos e agrediu fisicamente jovens em uma padaria do bairro da Pompéia, em São Paulo. O vídeo da ocasião já repercutiu nas mídias sociais.

“Eu não estou falando porra nenhuma. Isso aqui é uma padaria gay?”, disse ela, em um ataque colérico. Após outro excesso de raiva, a mulher dá tapas, joga objetos e puxa o cabelo de uma das vítimas.

Depois do tumulto, as vítimas e a agressora foram levadas à delegacia, onde boletins de ocorrência foram registrados por funcionários e pela dupla que sofreu as agressões. Segundo informações do UOL, o caso aconteceu na sexta-feira (20).

O estabelecimento se posicionou e enfatizou que está à disposição das vítimas. Lidiane ainda afrontou funcionários que trabalhavam no local. Veja o vídeo do momento das agressões.



Nenhum comentário:

Postar um comentário