quinta-feira, novembro 26, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Exército argentino tem prazo para cumprir cota para travestis e trans.



O exército da Argentina tem até o dia 30 do novembro para cumprir com a inserção de 1% de pessoas trans na corporação (travesti, transexual e transgênero), conforme noticiou a imprensa local. O assunto logo repercutiu.

Alberto Fernández, atual presidente da Argentina desde 2019, proferiu um decreto no qual ratifica que é preciso reparar desigualdades históricas cometidas contra esta população, só assim o preceito da isonomia terá validação.

“Busca começar a reparar as violações cometidas historicamente contra pessoas travestis, transexuais e transgênero”, diz o trecho do documento. Conforme já foi pontuado, o prazo para regulamentar a medida é 30 de novembro.

Nos EUA, Trump disse, em 2019, que pessoas trans não podem entrar no exército porque usam “muitos remédios”. No entanto, o novo presidente eleito – Joe Biden, prometeu revogar a medida do republicano.

Alemanha aprova pagamento de indenização para gays discriminados no exército.



A presidência da Alemanha aprovou nesta quarta-feira (25) uma legislação que daria compensação aos militares homossexuais que sofreram discriminação nas forças armadas antes de uma mudança de política, há 20 anos. A informação é da AP.

A decisão vem dois meses depois que a ministra da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, apresentou um pedido de desculpas por décadas de discriminação. Um estudo encomendado por seu ministério documentou “discriminação sistemática” na Bundeswehr – os militares da Alemanha Ocidental e desde 1990 da Alemanha reunificada – de 1955 a 2000.

O estudo disse que “a orientação para pessoas do mesmo sexo era vista como um risco à segurança no Bundeswehr até a virada do milênio e tornava impossível uma carreira como oficial ou suboficial“. Kramp-Karrenbauer disse que os soldados afetados serão “reabilitados” sob a nova legislação. De quanto será a compensação A legislação prevê o levantamento de veredictos de tribunais militares impostos por sexo gay consensual, com 3.000 euros ($ 3.560) de indenização por cada um desses veredictos, mas também para soldados que foram demitidos, tiveram sua promoção negada ou foram dispensados. 

O Ministério da Defesa estima que cerca de mil pessoas se candidatarão, informou a agência de notícias dpa. “Sei que não podemos compensar a injustiça pessoal que sofreram, mas, com o levantamento de veredictos e o pagamento de uma indenização global, queremos enviar um sinal – um pequeno sinal – de reparação, para restaurar o dignidade dessas pessoas que não queriam nada além de servir a Alemanha”, disse Kramp-Karrenbauer. É a última iniciativa da Alemanha para lidar com a discriminação anti-gay do passado. Em 2017, o parlamento votou para anular as condenações de milhares de gays sob uma lei que criminaliza a homossexualidade masculina que foi aplicada com zelo na Alemanha Ocidental pós-Segunda Guerra Mundial. Um tribunal federal decidiu em 1970 que a homossexualidade não era mais um crime disciplinar para os soldados, a menos que houvesse uma “conexão de serviço“, disse o estudo divulgado em setembro. Isso foi interpretado estritamente no início e gradualmente foi afrouxado.

Ator pornô gay é condenado a 15 anos de prisão por estuprar irmão de 8 anos e vender vídeo do crime online.



O ator pornô gay Trent Olsen, de 20 anos, se declarou culpado por estuprar seu irmão de 8 anos, gravar o crime em seu celular e vender a gravação online por 150 dólares. A prisão aconteceu em janeiro deste ano, em Las Vegas, após o ex-namorado de Olsen, cujo nome verdadeiro é Andrew Jemmett, denunciá-lo.

Segundo informou o portal Queer.de, seu namorado na época, o também ator pornô gay Daniel Hausser, o denunciou depois de encontrar o vídeo do crime no celular de Olsen. De acordo com um agente do Departamento de Segurança Interna, Olsen estuprou o irmão por via anal e oral em um banheiro da Universidade Estadual de Idaho, onde ele estava matriculada desde 2017. Na época, Hausser gravou o momento da prisão do ex-companheiro e divulgou a filmagem nas redes sociais.

O caso foi transferido para um tribunal federal que representa o estado onde Olsen fez o vídeo, e ele será julgado no Tribunal Distrital de Idaho dos Estados Unidos. No mês passado, o estuprador retirou sua confissão e, em vez disso, se declarou culpado por Exploração Sexual de menor, que acarreta uma pena mínima obrigatória de 15 anos. A sentença de Olsen está marcada para 1º de março de 2021. Mesmo depois de cumprir sua pena, ele continuará a ter que seguir as seguintes condições: não poderá ter contato com menores sem o consentimento de seu oficial de condicional. Também há restrições sobre onde ele pode morar e trabalhar, e o acesso à internet também deve ser restrito. Ele também está incluído na lista de criminosos sexuais. 

O ator de 20 anos ficou conhecido por suas atuações na produtora 8teen Boys, que foca principalmente em modelos de aparência jovem com mais de 18 anos. Ele também trabalhou para o selo Blacks On Boys, que mostra sexo entre homens negros e jovens brancos.

Homem é preso em Curitiba suspeito de homofobia e porte ilegal de arma após ameaçar síndico.



Um homem de 43 anos foi preso nesta segunda-feira (23/11), suspeito de homofobia e porte ilegal de arma de fogo após ameaçar o síndico de um condomínio de Curitiba, segundo informações do G1.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, as ameaças ao síndico e funcionários do local começaram em outubro, após o morador ser notificado por descumprir normas do condomínio. Na última sexta-feira (20/11), segundo a polícia, o homem usou uma arma para fazer as ameaças. Ao G1, o delegado José Vitor Pinhão afirmou que o suspeito tem o registro para posse de arma de fogo, mas que isso só permite que ele mantenha a arma em casa ou em um estabelecimento comercial. “Ele estava portando e transitando com essa arma de fogo, inclusive para proferir estas ameaças“, afirmou o delegado.

Imagens da câmeras de monitoramento mostram o homem portando e manuseando uma pistola nas áreas comuns do condomínio. Segundo a Polícia Civil, o homem já responde pelos crimes de porte ilegal de arma e desacato em Joinville, em Santa Catarina.

Um comentário: