terça-feira, novembro 24, 2020

SEXO

 "NOSSA, PENSEI QUE ERA POSSÍVEL!" - Filmes pornô gay por trás das câmeras.


Nesse artigo iremos desvendar algumas dúvidas e curiosidades sobre o universo mágico dos filmes pornô gay!



Quando estamos nos divertindo e batendo uma punheta na frente do computador, nem imaginamos como foi difícil realizar aquelas cenas de sexo. A indústria pornô gay funciona como a de Hollywood, com seus truques, celebridades e toda estruturada por trás das câmeras.



Não é apenas uma foda filmada, existe toda uma preparação para os filmes pornô gay que assistimos. Ela começa com um roteiro, passa pela fotografia, escolha de elenco, edição, filmagem e muitos outros processos, a diferença do cinema convencional é apenas o fato do ato sexual ser verídico.



Apesar de serem desvalorizados pelos atores convencionais e toda a indústria cinematográfica, o pornô necessita de uma produção grande e merece o reconhecimento.



Depois de saber algumas dessas curiosidades, nunca mais você verá os vídeos da mesma maneira e terá um respeito ainda maior por todos os envolvidos nesta arte. Conheça aqui alguns dos mistérios que envolvem as produções XXX gay:



Repetições sem fim



Pode sair uma cena perfeita, do ponto de vista do elenco, mas se o diretor não gostar ela deve ser repetida muitas vezes. Isso ocorre para enquadrar e garantir a satisfação de quem assiste o vídeo, mas demanda muito de toda a equipe.



Quem topar, ganha mais!



A diferença salarial é uma realidade entre homens e mulheres, mas outros fatos também diferem o pagamento dos atores. Muitos deles relatam que esta indústria não paga muito bem e bonifica quem aceita algumas condições mais adversas.



O sexo sem camisinha gay, o conhecido bareback, é um dos que mais paga para os atores. Todos os quesitos são listados no contrato e o elenco aceita se quiser, como os que topam o ativo e passivo.



Gozo falso


Existem atores que têm uma certa dificuldade de gozar durante as cenas e outros que, depois da primeira vez, gotejam. Nestes casos, um lubrificante faz o papel do esperma, para nós ele é bastante verídico, mas não passa de um truque dos filmes pornô gay.



Outro item muito utilizado é um pênis falso, nas cenas em que o foco é na ejaculação. O consolo tem um dispenser para o lubrificante branco e executa o trabalho de dublê.



Exames, sim!



Antes de iniciar as filmagens, todos os escolhidos para o elenco fazem teste para diversas doenças, as famosas "DSTs". Isto ocorre mesmo quando as cenas são feitas com o uso de camisinha. As tramas que não incluem o uso do preservativo são acordadas por contrato, nunca rolam aleatoriamente.



Infelizmente, a ausência do uso de preservativo ainda é comum nesta indústria, por ser mais atrativo e visualmente bonito. Mesmo que existam os exames, a maioria do público não está ciente disto e a influência é muito negativa, considerando o alto contágio pelo HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis.



O combinado não sai caro



Antes de iniciar o sexo gay, os atores combinam códigos para mudar de posição ou relatar algum incômodo, sem pausar ou estragar uma cena. Às vezes, as pancadas estão muito fortes, rola uma câimbra ou qualquer outro problema.



Levanta o morto


Uma gravação não dura apenas o tempo que vemos nos filmes, ela pode levar o dia todo. No entanto, o pornô demanda o funcionamento do pau e do organismo, para que ele fique duro por horas. Não existe mágica, o elenco segura até onde pode e depois apela para técnicas medicamentosas.



Além do bom e velho Viagra, os astros relatam o uso de uma injeção para a ereção. A longo prazo, esses remédios podem causar danos corporais, por isso são usados com moderação.



Tudo roteirizado



Mesmo que as cenas pareçam mais amadoras, os filmes feitos por produtoras são inteiramente roteirizados. Os especialistas pesquisam os termos que fazem sucesso entre seu público e colhem ideias das redes sociais, assim, conseguem fazer algo do interesse de seus telespectadores.



Roteiro pronto, os diretores se reúnem com o elenco para combinar tudo. Até as posições são ajustadas, para obterem o melhor ângulo das câmeras. Até o tamanho da jeba afeta o visual da produção.



Não se iluda pensando que, com a câmera ligada o improviso rola solto, pois, não é nada disso. Inclusive, a maioria dos atores não gosta dos pedidos feitos durante seu trabalho e o resultado também não agrada, mas são ossos do ofício.



Bastidor amador de um filme pornô gay



Assim como as vergonhas que passamos normalmente, naturais, mas que nos deixam constrangidos, ocorrem durante as gravações... São cenas rolando por horas, com pausas para atividades rotineiras.



Nesses momentos, é comum algumas gafes, tais como os gases ou o conhecido "cheque". Em contrapartida, quase não acontecem improvisos, as cenas seguem um rígido roteiro e até as gemidas são sincronizadas para melhorar a experiência do telespectador.



Isso é apenas parte deste universo maravilhoso dos filmes pornô gay, que ainda tem muito por revelar. Gostou?! Já sabia alguma delas?! Deixe seu comentário!



2 comentários:

  1. Simplesmente maravilho os relatos, amei!!!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso mesmo . É praticamente arte, incrível despois desse relato vou ver pornô de outra maneira.

    ResponderExcluir