sexta-feira, dezembro 25, 2020

MINHA VIDA GAY

 Casal homoafetivo adota de uma só vez quatro irmãos que viviam em abrigo no Amazonas: “Fomos cativados por eles”.



Casados desde 2011, o paraense Rafael de Souza, de 41 anos, e o português Pedro Miguel de Souza, de 43, acabam de realizar o sonho de formar uma grande família. Juntos, o casal adotou de uma só vez quatro irmãos que viviam em um Sistema de Acolhimento na cidade de Parintins, no estado do Amazonas.

“Hoje, não conseguimos pensar em nossas vidas antes da chegada das crianças. Elas chegaram, mudaram nossas vidas para melhor e serão nossos filhos para sempre”, declarou Rafael em entrevista ao portal A Crítica. O casal conta que a ideia de adoção surgiu há nove anos atrás, quando os dois oficializaram a união. De lá pra cá, eles amadureceram a ideia e decidiram que era hora de aumentar a família. “Pedro vem de uma família pequena e sempre quis constituir uma família com muitos filhos. Já eu, venho de uma família grande, com quatro irmãos e sei da satisfação que é ter uma família grande. Dessa forma, com este sonho amadurecido, fizemos o devido planejamento e decidimos pela adoção, cientes da responsabilidade mas com a certeza, hoje comprovada, de que a responsabilidade é gratificante“, explica.

“Após a decisão por nós tomada, procuramos saber os caminhos para adoção e fomos muito bem recepcionados e instruídos pelos profissionais da Comarca de Parintins. Eles nos forneceram capacitação e após os devidos trâmites nos habilitaram para a possibilidade de adoção”, completou Pedro. Segundo o casal, eles ficaram encantados com os irmãos logo na primeira visita ao Sistema de Acolhimento. “Fomos cativados pelos 4 irmãos que hoje são nossos filhos“, comemora o casal.

Para eles, a experiência tem sido gratificante e inesquecível. “Temos sim algumas dificuldades, como qualquer pai tem, mas essas dificuldades, para nós, são pouquíssimas e ínfimas frente ao amor, que é recíproco, e que se solidifica a cada dia, como sempre sonhamos“, conclui Rafael. Que família linda, né gente?!

Elton John homenageia marido por 15 anos de união.



Elton John, por meio do Instagram, aproveitou para celebrar a união com parceiro, David Furnish. “Nosso relacionamento fica mais forte a cada dia, e sou extremamente grato pelo amor que compartilhamos e pelos nossos dois lindos filhos”, escreveu o cantor.

“Hoje @davidfurnish e eu estamos comemorando dois aniversários: 15 anos de parceria civil e 6 anos de casamento. Nosso relacionamento fica mais forte a cada dia, e sou extremamente grato pelo amor que compartilhamos e pelos nossos dois lindos filhos. No entanto, temos sorte, pois milhões de gays em todo o mundo são discriminados por causa de sua sexualidade. Isso é uma vergonha”, disse.

“Todos nós merecemos amar quem quisermos. Continuaremos a lutar pela igualdade para todos”, findou. David também ensejou uma homenagem especial ao amado, por meio das mídias sociais.

“Não posso acreditar que 15 anos se passaram desde que @eltonjohn e eu celebramos nossa Parceria Civil na Grã-Bretanha. Que dia maravilhoso foi aquele. 6 anos atrás, renovamos nossos votos e nos casamos legalmente na frente de nossos dois lindos filhos”, escreveu para John.

Pais terão que indenizar filho após destruírem sua coleção de pornô gay avaliada em quase R$ 200 mil.



David Werking, um estadunidense de 42 anos ajuizou um processo contra os pais pedindo reparação moral por eles terem jogado fora uma coeção de pornografia e brinquedos sexuais avaliada em quase R$ 200 mil.

Segundo o UOL, em uma ação movida por David em abril do ano passado, ele alegou que seus pais Paul e Beth Werking “destruíram ilegalmente” os itens de pornografia dele em 2018, depois que o homem deixou a casa da família a “pedido das autoridades locais“, em agosto de 2017. A coleção era tão imensa que cabia em um total de 12 caixas. David informou as autoridades a lista detalhada, que incluía 1,6 mil títulos em DVD, além de filmes em VHS e ainda 50 brinquedos sexuais.

De acordo com o site Holland Sentinel, o motivo que levou os pais a descartarem os itens do filho foi o “choque” que tiveram ao descobrir que parte do conteúdo retratava “assédio sexual, escravidão, incesto e sexo com menores de idade performado por atores com mais de 18 anos”. “Eu não tenho palavras para expressar o quão profundamente chocado e desapontado fiquei. A única razão pela qual destruí a pornografia foi por me preocupar com a saúde mental e emocional do meu filho. Eu faria o mesmo se tivesse encontrado um quilo de cocaína ou de crack”, desabafou o pai para a reportagem.

Agora, David tem até 16 de fevereiro de 2021 para apresentar petições por escrito sobre o valor correspondente dos materiais pornográficos destruídos, para que seja determinada o valor da multa para os pais pagarem ao próprio filho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário