quinta-feira, dezembro 03, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Após orgia com 25 homens, deputado conservador da Hungria renuncia e se manifesta.



O assunto de uma festa na qual József Szájer, eleito para o Parlamento Europeu nas listas do Fidesz, o partido de extrema direita do primeiro-ministro Viktor Orbán, ganhou uma dimensão imensurável.

A intitulada festa do sexo, frequentada majoritariamente por homens, foi interrompida pela polícia de Bruxelas. 25 homens e algumas autoridades, inclusive ávidos defensores da moralidade e contrário às pautas LGBTs, como o eurodeputado húngaro que se demitiu, estavam presentes.

József Szájer se manifestou acerca do ocorrido. “Peço desculpas à minha família, aos meus colegas e aos meus eleitores. Esse passo em falso foi estritamente pessoal, sou o único responsável por isso. Peço a todos que não o estendam à minha pátria ou à minha comunidade política” – escreveu o deputado.

Até o momento, Viktor Orbán não se pronunciou sobre o episódio de Szájer, tampouco da consequente renúncia do cargo de eurodeputado. József é casado com a juíza Tünde Handó, com quem tem uma filha.

Eleito no Rio de Janeiro, Eduardo Paes defende diversidade: “vocês estão livres”.



O político Eduardo Paes foi eleito no Rio de Janeiro, para exercer o cargo de Prefeito do estado e, segundo o UOL, o famoso fez questão de defender a diversidade. Segundo ele, o abraço a toda população carioca está de volta, depois de anos complicados.

“Hoje vocês estão livres para voltar a confirmar essa cidade como a cidade a diversidade. É uma cidade tão ampla, que aceita todos, que abraça todos. O grande papel hoje do carioca é celebrar que um governo preconceituoso, omisso nos últimos anos, vai terminar”, começou ele, que continuou.

“Para os que votaram em mim, para quem não votou em mim, para todos os credos, para todas as orientações, para todas as religiões, o Rio é o lugar da diversidade. É dessa maneira que a gente quer governar”, argumentou ele.

Vale citar que, no interior do Paraná, o político Paulo Alves, homossexual e defensor de Bolsonaro, foi eleito e confirmou que não defenderá bandeira alguma. “Sou Bolsonaro, não levanto bandeiras, defendo a felicidade das pessoas, respeitando as divergências diante de pensamentos”, diz ele, que assumiu publicamente a sua homossexualidade há quatro anos”, finalizou ele.

“Estou totalmente destruída por dentro”, desabafa jovem transexual vítima de agressão transfóbica.



A transfobia segue fazendo novas vítimas! A jovem Manu Lentino foi mais uma agredida por conta do preconceito e intolerância de quem não aceita as diferenças. Natural de Piracaia, em São Paulo, ela usou o seu Twitter para desabafar e compartilhar fotos dos machucados causados pela agressão transfóbica.

“Eu me pergunto todos os dias até quando vamos ter que passar por isso?“, questiona Manu. “Fui espancada quase morta por conta de transfobia, simplesmente porque o cara não gostou de eu estar andando com roupa de mulher, segundo ele isso era uma vergonha“, continuou. “Estou totalmente destruída por dentro“, finalizou ela.

Desde 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu que as condutas homofóbicas e transfóbicas se enquadram nos crimes de Racismo previstos na Lei 7.716/2018. É crime “praticar, induzir, ou incitar a discriminação ou preconceito” em razão da orientação sexual da qualquer pessoa. A pena será de 1 a 3 anos, mais multa, e pode subir de 2 a 5 anos se houver divulgação do ato homofóbico em meios de comunicação, como publicação em rede social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário