quinta-feira, dezembro 17, 2020

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Líderes religiosos pedem fim de leis contra LGBTs.



São inúmeros experimentos e depoimentos que mostram como a prática da ‘cura gay’ pode ser danosa e traumática para o ser humano. Nesse sentido, líderes religiosos assinaram nesta terça-feira (15) uma declaração conjunta cujo intento é pedir o fim de restrições legais a homossexuais e o fim da terapia de conversão ao redor do mundo.



“Um pequeno passo para combater a homofobia”, mas é também “um passo necessário para lembrar aos sistemas religiosos do mundo e às pessoas de fé que eles têm uma obrigação para com seus concidadãos, que também têm direito à plena dignidade de sua humanidade e à plena igualdade de direitos humanos”, disse a ex-presidente irlandesa Mary McAleese, que compõe a Igreja Católica Romana. A Declaração foi assinada por quase 400 cristãos, judeus, sikhs, hindus, budistas e muçulmanos de 35 países, conforme o Mais Goiás.

“Apoiamos totalmente o seu apelo para acabar com a violência, a discriminação e a criminalização contínua da conduta homossexual em 69 países”, destacou a ministra Wendy Morton.

Ano passado, indo nessa mesma direção, a Alemanha aprovou um projeto de lei que pretende punir falsos curadores com penas que incluem prisão. A norma foi celebrada por ativistas e entendedores do assunto.

Parlamento da Hungria aprova lei que proíbe adoção por casais gays: “A mãe é uma mulher, o pai é um homem”.



O Parlamento da Hungria aprovou uma lei nesta terça-feira (15/12) que impede casais do mesmo sexo de adotar crianças. A projeto de Lei foi proposto pelo governo de extrema direita do primeiro-ministro Viktor Orban, cujo partido, o Fidesz, tem ampla maioria na casa parlamentar.

A modificação da lei foi adotada com 143 votos a favor dos deputados do Fidesz, 45 contra e 5 abstenções, informou a agência FRI, via UOL. “A mãe é uma mulher, o pai é um homem“, decreta a emenda à Constituição aprovada, segundo o site oficial da Assembleia. O texto explica que único sexo aceito é o do nascimento e acrescenta que “a educação é fornecida de acordo com os valores baseados na identidade constitucional e na cultura cristã” do país. A lei aprovada também altera a definição de família na Constituição húngara: a partir de agora só serão reconhecidas como famílias as uniões que envolvam “a união entre um homem e uma mulher”.

O governo nacionalista justificou a emenda pela necessidade de “proteger a criança de possíveis interferências ideológicas ou biológicas” do mundo ocidental moderno. Sobre a adoção, a lei aprovada pelo Parlamento permite que apenas pessoas casadas adotem crianças, o que na prática exclui os homossexuais, já que o casamento gay não é permitido, e a ministra da Família, Katalin Nonvak, defende o que chama de modelo tradicional de família.

O diretor da Anistia Internacional no país, David Vig, disse que “essas novas leis discriminatórias, homofóbicas e transfóbicas são apenas o último ataque das autoridades húngaras à população LGBTQ“. Em maio, a Hungria já havia proibido a mudança de sexo em documentos pessoais e também questionou os livros infantis que retratam a diversidade de forma positiva.

Pai é condenado à prisão após pagar 15 mil reais para agredirem filho gay.



Um homem de 75 anos, na Itália, foi sentenciado a dois anos de prisão por coordenar um ataque ao seu filho gay. As informações vieram do Newsweek e os nomes dos envolvidos foram mantidos em sigilo.

O pai teria pago €2,500 (aproximadamente R$ 15.520) em abril para um homem atacar fisicamente seu filho de 43 anos e o namorado, além de danificar o carro do casal. “Meu filho é um bandido, quebre seus dedos” – teria dito o pai ao homem que executou o crime. O ataque planejado coincide com uma discussão que anda tendo na Itália sobre proteger grupos minoritários. 

O parlamento italiano está debatendo sobre estender a proteção aos LGBTQIA+ e as mulheres e discutindo sobre o que seria “crime de ódio”. Há também uma denúncia de que em fevereiro, o pai também contratou alguns homens para baterem no namorado do filho, sendo que ele acabou parando no hospital.

Pastor bolsonarista diz que vacina contra coronavírus provoca câncer e “tem HIV dentro dela”.



Forte apoiador do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), o pastor Davi Goés, líder do Ministério Canaã, de Fortaleza (CE), afirmou que a vacina CoronaVac vai atingir o DNA de quem tomar, causando doenças como câncer. O pastor diz ainda um cientista francês teria dito que “até HIV tem dentro dela”.

“Você não vai sentir nada, mas depois de um tempo, doenças aparecerão”, diz o religioso. “Muitas pessoas vão morrer de câncer achando que foi porque comeu alguma coisa, porque era hereditário, mas na verdade é por causa da vacina”, complementa o pastor, acrescentando que nenhum país do mundo que está comprando a vacina da China, apenas o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

“Você concordando comigo ou não, tem um presidente doido aí dizendo que no Brasil não vai ser obrigado ninguém tomar, porque se fosse outro dizia que vai todo mundo tomar. Já que tá vindo a vacina, não me obrigue a tomar, eu tomo se eu quiser, porque eu não tenho coragem de tomar uma vacina que vem da China, o país de origem do vírus, é loucura”, conclui o pastor.

Pastor Davi Goés se pronuncia sobre vídeo da vacina do coronavírus.



Depois da repercussão do vídeo do pastor evangélico Davi Goés, no qual o religioso comenta sobre a vacina do coronavírus a partir do ponto de vista de um cientista, a assessoria jurídica do líder evangélico nos enviou uma nota de esclarecimento. Na explanação, eles asseveram que a conduta de Davi é irrepreensível. Destacam também que houve interpretações deturpadas acerca do vídeo.

“Inicialmente, destacamos que tal afirmativa não condiz com a conduta praticada pelo
Pr. Davi Goes. Vejamos: em culto ministrado na igreja na qual já pastoreia pelo período de 10 anos, mais precisamente na data de 19 de novembro do presente ano, realizando estudos escatológicos da Bíblia, ele cita matéria científica vinculada em alguns portais e canais de vídeo da internet na qual o autor Lamartine Posella tece comentários sobre fala de cientista francês que se pronunciou nesse sentido. Além dessa matéria, o Pr. Davi Goes também embasou seu comentário em entrevista divulgada pelo cientista francês Luc Montagnier, ganhador do Nobel de Medicina, publicada na revista ISTOÉ sob o título: “novo coronavírus foi frabricado acidentalmente em laboratório chinês, diz descobridor do HIV.”

“Desta feita, percebe-se que os comentários do Pr. Davi Goes foram feitos tomando
como supedâneo reportagens de cientistas vinculadas em grandes meios de comunicação nacional. Não se pode atribuir a ele a autoria de tais notícias. Ao apresentar estas informações aos membros da igreja durante o culto, o Pastor fazendo uso de seu direito constitucional de liberdade de expressão emitiu sua opinião pessoal, cabendo a cada um dos membros analisar e ponderar as informações repassadas, inclusive as científicas. Pensar de maneira diversa seria subjugar a capacidade de entendimento dos ouvintes da pregação”, afirmaram em nota.

Por fim, a assessoria de Davi reafirmou que o vídeo se tratou de um recorte de uma pregação de 40 minutos;

“O recorte do vídeo em apenas um pequeno trecho dissociado de sua grande parte,
essa de aproximadamente 40 minutos, realizado de maneira maldosa, assemelhando-se a Fake News, acaba por desvirtuar sua finalidade, tirando do contexto sua fala e conduta, que sempre primou pelo zelo com a sociedade e segurança de todos. Em sua trajetória como pregador do evangelho não há sequer uma conduta que possa desabonar a vida do Pr. Davi Goes, que infelizmente vem sofrendo juntamente com sua família infundados ataques odiosos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário