segunda-feira, janeiro 04, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Lituânia: deputado gay fez campanha como drag e mira revolução.


Ele está otimista por ter compromisso de parte do parlamento de colocar a proposta em análise até março

Com carreira política, Tomas Vytautas Raskevicius está otimista para aprovar união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Tem uma revolução arco-íris ocorrendo na Lituânia. E o provocador tem nome: Tomas Vytautas Raskevicius.

Em 2019, ele foi eleito o primeiro vereador abertamente da comunidade LGBT na capital, Vilnius.

Em outubro do ano passado, foi além e, com campanha como drag queen, tornou-se o primeiro deputado "arco-íris" do país. Agora, ele quer fazer mais história"

O objetivo de Tomas é colocar em votação, até março, projeto de lei de união civil entre pessoas do mesmo sexo. Ele afirmou a agência de notícias Reuters saber que o país não aprovaria o casamento.

Ele está otimista por ter compromisso de parte do parlamento de colocar a proposta em análise. Agora, ele se didica a fazer as costuras políticas para conseguir o placar necessário.

O desafio é grande. O país europeu faz froteiras com a Polônia, onde há cidades que se declaram zonas livres de LGTBT. A influência da homofóbica Rússia também é grande.

Tanto é que na Lituânia, com 2,8 milhões de habitantes, é crime difundir informações positivas sobre sexual e identidade de gênero.

A legislação é igual à russa: considera essa atitude "propaganda gay", o que seria ofensiva a crianças.

A situação na terra de Tomas, de toda forma, tem avançado. Hoje, o país penaliza a discriminação contra LGBT e, desde 1993, legalizou o sexo entre dois homens.

Profissionais de saúde ficam noivos logo após aplicação da vacina nos EUA.


Profissionais de saúde ficam noivos logo após aplicação da vacina

O momento da aplicação da vacina contra a Covid-19 vai ficar para sempre na memória de um casal nos Estados Unidos . Um paramédico, que faz parte do grupo prioritário para imunização, recebeu a vacina das mãos de seu próprio namorado, um enfermeiro norte-americano. Logo após aplicação da dose, o profissional de saúde já imunizado pediu o companheiro em casamento.

Após aceitar o pedido, o enfermeiro disse que foi pego de surpresa. Os dois namoravam há cinco anos. 

Tudo foi filmado por um funcionário do hospital, que fica em Dacota do Sul, localizado no centro-oeste dos Estados Unidos.

A CNN noticiou o acontecimento. Veja o vídeo:


Duda Salabert é ignorada por vereador ao tomar posse.



Professora de literatura, Duda Salabert é a primeira trans eleita em Belo Horizonte para a Câmara Municipal. Ávida defensora da causa LGBT+, Duda logrou-se com recorde de votos. A candidata obteve 37.613 dos votantes.

Ao tomar posse, na sexta-feira (1), Duda foi ignorada por Wesley Autoescola (Pros), que anunciou a Professora Marli (PP), dizendo que ela era a mulher que recebeu mais votos, quando na verdade ela teve menos da metade dos votos de Duda. Confira o momento no G1. Marli se elegeu com 14.496 votos, ao passo que Salabert, como já pontuamos, obteve 37.613.

“Quero aproveitar este momento, e até mesmo como um dos líderes da frente cristã, quero dar um parabéns especial à vereadora mais bem votada dessa legislatura, uma professora que, realmente, deixou um legado muito grande por onde ela passou e trouxe esta votação que surpreendeu muitos. Então que quero parabenizar a Professora Marli”, disse ele.

Posteriormente, Duda rebateu e discursou em prol da comunidade trans. “Faço parte de um grupo cuja humanidade é negada. Eu como cristã, como evangélica, coloco-me também a serviço da bancada cristã para a gente fazer um exercício daquilo que Cristo nos ensinou que é o respeito, o amor e não o ódio, a intolerância a violência e o crime”, disse.

Ator e produtor da Irmãos Dotados denuncia homofobia após ser agredido no Rio: “Eu queria esquecer isso”.



Edu Albuquerque, ator e produtor da produtora pornô gay Irmãos Dotados, usou as redes sociais para denunciar agressões que sofreu no último sábado (02/01) na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Na publicação, ele afirma que foi agredido no rosto por um rapaz e que a violência foi motivada por homofobia.

De acordo com Edu, ele estava Av. das Américas voltando para o hotel onde está hospedado quando um homem “de boa aparência” o abordou para pedir cigarros. Ele conta que, após explicar que não fumava, o agressor teria questionado sua profissão. Segundo o produtor, a agressão aconteceu assim que ele revelou que trabalhava como ator pornô gay. “O cara me deu um tapão na minha cara e um murro no meu nariz do nada”, escreveu Edu na legenda de uma série de fotos onde aparece com o nariz sangrando.

“Eu só pensei em correr, correr muito e chorar. Quando cansei, só conseguia chorar e tentar entender. Eu queria esquecer isso“, lamentou o produtor, que preferiu não prestar queixa na delegacia. “Não iria resolver nada, o cara já devia estar em casa sendo feliz com a família hétero ‘perfeita’ dele“, respondeu Edu para uma seguidora.

Um comentário: