quinta-feira, janeiro 21, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 Joe Biden nomeia mulher trans para cargo no Departamento de Saúde dos EUA.



Primeira trans a ocupar um assento no Senado, a pediatra Rachel Levine ajudará o país no combate à pandemia do novo coronavírus.

O presidente eleito Joe Biden anunciou nesta terça-feira, 19, a nomeação de Rachel Levine como secretária assistente no Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

A pediatra, que atualmente trabalha na Secretaria da Saúde da Pensilvânia combatendo a pandemia do novo coronavírus, será a primeira mulher transgênero a ocupar um assento no Senado. Além do seu trabalho para o governo, a médica realiza palestras sobre a crise de opioides, maconha medicinal, remédios para adolescentes, transtornos alimentares e medicamentos voltados para o público LGBTQ+.

“A Dra. Rachel Levine trará a liderança estável e a experiência essencial que precisamos para ajudar as pessoas a superar esta pandemia – não importa seu código postal, raça, religião, orientação sexual, identidade de gênero ou deficiência – e atender às necessidades de saúde pública de nosso país nestes período crítico e além. Ela é uma escolha histórica e profundamente qualificada para ajudar a liderar os esforços de saúde de nossa administração”, afirmou Biden em nota publicada pelo site oficial de sua equipe de transição.

Cabeleireiro gay apoiador de Donald Trump tem casa invadida pelo FBI e objetos pessoais apreendidos.



Kristopher Dreww, o cabeleireiro gay e fã de Donald Trump que viralizou nas redes sociais após divulgar vídeos se gabando de ter participado da invasão criminosa ao Capitólio em 6 de janeiro, acaba de ter sua casa invadida pelo FBI.

Segundo informações do portal Queerty, o cabeleireiro de 32 anos, que atende pelo apelido online de “Adorável Deplorável”, e cujo nome verdadeiro é Kristopher Martin, teve sua casa em Huntington Beach, Califórnia, revistada nesta segunda (18/01) por envolvimento a invasão. De acordo com o Los Angeles Times, uma pessoa – aparentemente Dreww – estava em casa durante a operação e cooperou com as autoridades. Nenhuma prisão foi feita durante a operação, embora os agentes tenham apreendido itens não divulgados da residência.

Kristopher Dreww viralizou após o tumulto de 6 de janeiro no Capitólio dos Estados Unidos, no qual apoiadores de Donald Trump e outros extremistas de extrema direita invadiram o prédio durante a certificação da eleição de 2020.  Dreww, por sua vez, divulgou um vídeo no Twitter se gabando de ter participado da invasão: “Acabei de voltar de um ataque ao Capitólio. Foi um sucesso. Para todas vocês, vadias enlouquecidas no Facebook, dizendo que não éramos nós, éramos nós sim“, afirma.

Depois de postar o vídeo, Dreww disse estar arrependido e que agora teme que seu salão de beleza feche as portas. A página da empresa foi inundada com críticas negativas, muitas delas falando sobre sua participação na tentativa de golpe.

Polícia investiga casal que fez sexo em trem na China.



Ao que tudo indica, os dois rapazes estão em um vagão vazio, e as roupas de ambos estão nos assentos.

Polícia de Hong Kong está investigando um vídeo de 45 segundos que viralizou no Twitter de dois homens tendo relações sexuais e se masturbando em um trem pertencente a MTR Corporation. As informações são do canal Queerty.

No vídeo, os dois rapazes estão em um vagão vazio e as roupas de ambos estão nos assentos. Um dos dois também aparece em um outro vídeo de 30 segundos tirando uma selfie. Os oficiais declararam que não houve reclamações de outros passageiros e as câmeras da estação não gravaram nenhuma conduta inadequada.

Passageiros estão sentados na outra extremidade do trem. A conta do Twitter que postou os clipes foi fechada logo depois que os vídeos se tornaram virais. Os vídeos geraram indignação online, com os usuários condenando o comportamento dos homens.



Um porta-voz da MTR disse ao South China Morning que ambos podem ser enquadrados nas leis de “conduta inadequada em ambiente e público” e por “disseminar conteúdo obsceno e indecente”.

“O centro de controle de operações Tsing Yi relatou o caso à polícia e ela ajudará nas investigações” – disse o porta-voz.

Caso ambos sejam pegos e condenados, eles terão que pagar uma multa de HK$ 5.000, o equivalente R$ 3.441,66, por infringirem as regras da MTR. No entanto, pelas lei de Hong Kong, ambos podem pegar até sete anos de prisão.

Um caso semelhante aconteceu em 2015, quando dois seguranças identificaram dois adolescentes tendo relações sexuais em um ponto de ônibus. Neste caso, a punição foi 60 horas de trabalhos comunitários e sete anos de liberdade condicional.

Justiça quintuplica indenização para funcionário que sofreu homofobia em supermercado.



A WMS Supermercados, que controla a rede BIG, em Porto Alegre (Rio Grande do Sul), foi condenada pela justiça a pagar uma indenização a um funcionário por comportamento homofóbico. O gerente disse que a vítima deveria “aprender a ser homem”, despertando a risada dos colegas de trabalho, o que caracteriza bullying homofóbico. 

A 6ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) aumentou o valor da indenização de R$ 8.000 para R$40.000. Segundo a relatora, a ministra Delaíde Miranda Arantes, a reparação por danos morais não tinha sido fixada “com razoabilidade e proporcionalidade”, considerando a discriminação ao trabalhador, a condição econômica do ofensor e a omissão do empregador ao não coibir o “ato ilícito praticado no ambiente de trabalho”. 

O funcionário que sofria as injúrias relatou que houve diversos outros episódios além do citado anteriormente. 

A ação foi julgada inicialmente pela 19ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, em novembro de 2017, e em primeira instância a condenação foi por “afronta À honra, à imagem e à integridade psicológica do trabalhador, o que lhe gerou constrangimento e sentimento de inferioridade” – caracterizando crime de homofobia.

Carrefour é condenado a indenizar casal gay agredido por seguranças O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a rede de supermercados Carrefour a indenizar um casal de dois homens agredidos por seguranças de uma de suas unidades de estado. 



As informações vieram do colunista Rogério Gentile, do UOL. Cada um deles receberá R$ 10 mil, além dos custos do conserto de um carro, chutado pelos funcionários. 

O nome dos envolvidos não foram revelados porque o processo está sob segredo de justiça. 

A história se deu em 2016, durante as eleições, quando os dois rapazes se dirigiram ao estacionamento do supermercado para votarem em uma escola que ficava próxima. 

Eles foram abordados de forma hostil por seguranças do Carrefour. Segundo informações divulgadas a imprensa, houve palavrões e chutes no veículo. Os clientes tentaram argumentar que haviam feito compras no estabelecimento, mas as agressões continuaram. O casal trancou o carro e fugiu, mas um terceiro segurança trancou a cancela que dava acesso à rua. O casal gay teve que forçar a passagem, derrubando a cancela. Livre das agressões, acionaram a polícia.

“Eles foram submetidos a humilhação e constrangimento”, afirmou o desembargador Andrade Neto, relator do processo. 

O Tribunal de Justiça entendeu que houve as agressões, mas não há provas de que elas foram motivadas por homofobia, o que poderia aumentar a indenização. “A testemunha apresentada por eles, em seu depoimento, não fez nenhuma menção em relação ao teor das agressões verbais” – disse o desembargador. 

Já o Carrefour disse em nota que “o caso citado está em andamento na Justiça” e que “a empresa segue acompanhando o processo e reforça seu repúdio a qualquer tipo de violência e agressão em suas unidades”. Vale lembrar que recentemente o soldador João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado e morto por dois seguranças de uma unidade do Carrefour em Porto Alegre e o supermercado disse em outra nota que “adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos no ato criminosos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário