terça-feira, fevereiro 23, 2021

HOMOSSEXUALIDADE

 Quem é o homem e quem é a mulher em um casal gay?



Quem é o cara nos relacionamentos gays? A questão principal deste pequeno escrito é: quem disse a você que em todos os relacionamentos existe um homem e uma mulher? Você sabe que tipo de contexto as primeiras perguntas têm?

É normal ouvir esse tipo de pergunta. É comum porque vivemos em um país heterossexualizado, onde todos são heterossexuais até prova em contrário. Onde tudo está no convencional. O estranho é quando algo novo surge em nosso caminho. Quando por simples preguiça não investigamos novos assuntos, como na comunidade de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersex (LGBTI). Não é ruim fazer perguntas sobre a comunidade LGBTI. O errado é sair da ignorância apenas até ficarmos cara a cara com uma realidade que vivemos todos os dias. O prejudicial é não nos instruirmos previamente para enfrentar essa realidade normalmente.

Nas relações homossexuais, existem dois homens ou duas mulheres. É por isso que são relações do mesmo sexo e não relações heterossexuais. Ou seja, existem DOIS HOMENS ou existem DUAS MULHERES. O preocupante sobre tudo isso é que tal questão surge porque temos papéis de gênero predispostos nos relacionamentos. Em um casal heterossexual, para alguns, o homem paga, trabalha, fica com raiva e bêbado; a mulher é submissa, chora, cozinha e limpa. E, claro, ela não tem voz nem voto! O homem é o forte, aquele que domina; a mulher fraca é aquela que segue o homem.

Claro que o acima exposto é preocupante! Em um relacionamento heterossexual sensato, isso não acontece. O homem pode convidar, mas porque deseja e não porque é homem. A mulher cozinha porque adora cozinhar, mas não o faz porque é mulher. Em uma relação sã, o homem não se indigna em pagar a cada um o que ele consome ou que a mulher pague a conta de ambos. Ele não está indignado porque isso não o torna menos homem.

Em um relacionamento neste momento, a mulher deve decidir e não permitir que outros decidam por ela. Num relacionamento, neste milênio, neste ano, neste dia, não há papéis para homens e papéis para mulheres. Existem simplesmente duas pessoas que formam um relacionamento. Somente pessoas.

Em relação ao que precede, creio, com bastante calma, que numa relação do mesmo sexo não existe “um homem e uma mulher”. Existem dois homens ou duas mulheres. Porém, o mais importante, como disse antes, existem duas pessoas que formam um relacionamento, independentemente do sexo. Uma relação onde papéis de gênero não existem.

Assim, essas questões inócuas que mencionei no início não têm contexto nesta época. Nesta época em que os papéis de gênero desapareceram – ou deveriam ter desaparecido – e com eles os costumes e tradições que foram resguardados em uma era patriarcal.

Não vamos ver os relacionamentos como um produto social feito entre um homem e uma mulher. Vejamos os relacionamentos, nesta época em que existe diversidade sexual, como a conformação de duas pessoas que se sentem atraídas física e / ou emocionalmente. Porque nos relacionamentos, tanto heterossexuais quanto homossexuais, não existe um homem e uma mulher, mas existem duas pessoas.

Duas pessoas onde ninguém governa e ninguém se submete.

Nenhum comentário:

Postar um comentário