sexta-feira, fevereiro 12, 2021

MINHA VIDA GAY

David Kopay, o primeiro jogador de futebol americano a “sair do armário”.



O ex-jogador de futebol americano, David Kopay, fez história ao ser o primeiro atleta profissional da NFL que expôs publicamente sua homossexualidade no ano de 1975, logo após ter se aposentado da liga profissional. Recentemente, ele concedeu uma entrevista ao canal KESQ NewChannel 3 contando um pouco sobre suas motivações e que, antes dele dizer a todos, ele tinha pensado até em dirar a própria vida.

“Eu tinha que ser verdadeiro comigo mesmo. Eu estava ficando muito, mas muito deprimido que eu me sentia trancado e sufocado” – disse.

“Foi uma batalha muito difícil porque [naquele tempo] ninguém falava sobre isso.” – disse, acrescentando também que durante muitos anos a família dele o rejeitou e não o queria em suas vidas.

Ele também comenta sobre a falta de atletas abertamente gays no futebol americano hoje em dia: “É patético! Eu me pergunto do que eles têm medo?”.



Já no final da entrevista, visivelmente emocionado, ele disse que se sentiu muito solitário: “Eu fiquei em um lugar muito solitário…e sozinho… porque havia poucas pessoas [gays] que nem mesmo tentavam [sair do armário]”

Ao ser questionado se ele acha que houve avanços sociais da época desde os anos de 1970 até hoje, Kopay demonstra muito otimismo: “Estamos melhores como uma sociedade hoje, especialmente no modo em que tratamos uns aos outros. Temos muito mais compaixão e amor, além de sermos mais honestos com nós mesmos do que éramos”. 



Atualmente, David Kopay é ativista LGBT e faz palestras sobre o assunto, além de já ter doado mais de um milhão de dólares para o centro LGBT da Universidade de Washington. Ele também procura um namorado para dividir sua vida.

Vale mencionar que por décadas ele continuou sendo o único jogador profissional a expor publicamente a sua homossexualidade, e que até hoje é muito raro ver um atleta “saindo do armário”.

Só em 2014, o jogador Michael Sam expôs sua homossexualidade e, no caso dele, foi o primeiro jogador da NFL ainda na ativa a fazê-lo. Seis meses depois, outro jogador, Chip Sarafin, também saiu do armário.

Primeiro, seu ex-namorado ficou noivo de seu pai. Agora ele não vai calar a boca sobre a vida sexual deles.



Drewitt-Barlow chegou às manchetes em 1999, quando ele e seu então namorado, Tony Drewitt-Barlow, se tornaram "os primeiros pais gays da Grã-Bretanha". Juntos, os dois processaram - e ganharam - o direito de ambos serem listados como pais na certidão de nascimento de seus filhos. O par acabou tendo cinco filhos juntos.

Então, no ano passado, Drewitt-Barlow voltou às manchetes quando anunciou que estava noivo de Scott Hutchinson, um homem 30 anos mais novo. Ele conheceu Hutchinson como o namorado de sua filha, Saffron. Juntos, Hutchinson e Drewitt-Barlow também têm outra filha, Valentina, nascida de barriga de aluguel no ano passado.

Agora Drewitt-Barlow apareceu nas manchetes novamente, desta vez por seu noivo Scott discutindo sua vida sexual em detalhes. Saffron Drewitt-Barlow disse ao tablóide britânico The Sun que os dois simplesmente não conseguem se conter.

“Scott fala sobre o relacionamento deles o tempo todo”, diz Saffron. “Uma vez ele estava me dizendo que eles fizeram sexo no carro, e eu tive que dizer,‘ OK, eu realmente não quero saber sobre sua vida sexual com meu pai ’. Mas ele não parava. Aparentemente, eles estavam na autoestrada e pararam e fizeram isso lá. ”

“Se ele estivesse me contando sobre outra pessoa, eu estaria bem, mas foi tão desagradável e simplesmente não é algo que eu quero ouvir”, acrescenta ela.

Saffron também esclarece que ela não se importa em ver seu pai demonstrando afeto por seu ex / padrasto. O casal também não parece se importar.

"Vê-los se beijando não me incomoda, no entanto", diz Saffron. “Na verdade eu gosto, pois me faz feliz saber que eles são felizes juntos. Além disso, eles não se importam, eles fazem isso em qualquer lugar e na frente de qualquer pessoa. Você pode entrar na cozinha e lá estão eles, se beijando. ”

“Não me interpretem mal”, diz ela. “Eu vejo isso às vezes e me dá vontade de vomitar, mas eu não iria apenas ficar na cozinha e assistir. Eu vou embora. ”

Como um sinal de que Saffron apóia o casal, ela também diz que está disposta a ajudá-los a ter mais filhos.

“Quero doar meus óvulos para ajudar papai e Scott a ter mais filhos”, disse Saffron ao The Sun. “Não acho que papai goste muito da ideia, já que ele seria o avô biológico da criança e Scott seria o pai biológico, mas eu realmente quero ajudar. Já congelei meus ovos para eles, então papai e Scott só precisam dizer a palavra. "

Essa é uma filha que dá apoio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário