sexta-feira, fevereiro 26, 2021

MINHA VIDA GAY

 Em programa de TV, Jornalista da região de Gana revela ser gay e surpreende.



Natural da região de Gana, região onde ser homossexual é crime, Ignatius Annor, acaba de revelar a sua atração por homens, em uma entrevista de programa ao vivo em uma TV. O fato ocorreu na última segunda-feira (22).

Durante o bate-papo com o comunicador Ayisha Ibrahim, do veículo Joy News, o rapaz afirmou que além de ser gay, é um militante da causa LGBT. “Essa vai ser a primeira vez que estou usando a mídia para dizer não apenas que sou um ativista do direito das minorias sexuais da África, que vocês todos chamam de comunidade LGBT+, mas que eu sou gay”, contou.



Em seguida, ele destacou que por muito tempo, teve receio de ficar sem o seu emprego. “Obviamente, eu não dizia porque tinha medo de perder meu emprego, eu estava trabalhando em uma estação de TV incrível em Accra e tinha medo do que podia acontecer comigo“, concluiu ele.

Em tempo, um outro comunicador que revelou ser gay há poucos dias, foi o influenciador Pedro Pacífico. “Na verdade vim falar aqui que sou gay. Acho que vocês podem até se perguntar: ‘Mas você precisa falar isso no seu Instagram de livros, você precisa falar disso? Isso é algo que hoje em dia precisa ser falado?’, argumentou ele.

Atleta que “treinava” agir como hétero se punia ao sentir atração por homens.



Hoje, ele se orgulha de ser o primeiro medalhista olímpico abertamente gay

O mergulhador Matthew Mitcham (32), conhecido por ser o primeiro atleta olímpico abertamente gay a conseguir a medalha de ouro quebrando um recorde mundial, concedeu uma entrevista ao canal BBC Sport dizendo que sua orientação sexual levou a muitos momentos de sofrimento e que ele “treinava” para ser hétero.

“Eu tinha tanto medo [de ser gay] que eu amarrava um elástico em volta do meu pulso e toda vez que eu tinha um pensamento gay eu puxava para associar dor e sofrimento com pensamentos gays. Treinando a mim mesmo para não ser gay” – disse à BBC Sport – “Me sentia preso por não conseguir ser eu mesmo autenticamente. Eu não queria admitir que eu enganei pessoas e menti por tanto tempo, me sentindo alienado.”



“O mergulho acabou se tornando muito sombrio e acabou permeando por toda a minha vida. Eu realmente odiava, mas eu sabia que eu tinha uma chance especial, então continuei seguindo, efetivamente no piloto automático” – continuou o atleta.

Mitcham também conta que ele teve problemas com sua mãe, que era muito negligente e sofria com problemas de saúde mental. Eventualmente ele entrou no mundo do álcool e das drogas para procurar “alívio, válvula de escape, e uma forma de desligar o cérebro por algumas horas, mas continua escalando”.

Ele parou de nadar aos 18 anos, mas acabou voltando aos 20 quando teve uma oportunidade de competir nas olimpíadas de Beijing. Naquele período ele cortou tudo que não fazia bem para a saúde, não só álcool e drogas, mas também fast-food e outros. Foi aí que em 2008 ele conseguiu a medalha citada anteriormente, sendo que ele saiu do armário em uma entrevista antes da competição.

“Houve outros medalhistas olímpicos desde então, e meu recorde será superado um dia, mas ninguém vai poder tirar o fato de que eu fui o primeiro homem abertamente gay que foi um campeão olímpico” – disse – “Foi um dos sentimentos mais incríveis e minha conquista que mais me dá orgulho”. 

Fábio Ramalho, jornalista da Record, assume relacionamento com tik toker.



Aos 45 anos, Fábio Ramalho, âncora da Record do Rio de Janeiro, responsável pelos quadros ‘Partiu’ e ‘Achamos no Rio’, usou as redes sociais para assumir seu relacionamento com o tik toker João Paulo dos Santos, de 19 anos. Em seus perfis no Instagram, os pombinhos não disfarçam mais que estão namorando sério.

E engana-se quem pensa que o relacionamento é recente! Em dezembro de 2020, o tiktoker, conhecido como Joaozitinh0, viajou para Brasília, terra natal do jornalista, para que os dois pudessem curtir o primeiro Natal juntos. Em foto divulgada no Instagram, João comemorou: “E vamos lá né hehe indo a Brasília passar nosso primeiro natal juntos” e completou com emojis de coração. Em uma foto de João no Rio, o jornalista comentou: “Não sei o que é mais bonito… vc ou visual do lugar”. Fofos, né?!

Mãe de seis filhos, irmã ajuda irmão gay a realizar o sonho dele e do seu marido de ser pai.



Uma irmã altruísta ajudou seu irmão a realizar o sonho de se tornar pai, gerando seu filho como barriga solidária. Anthony Deegan, de 38 anos, e seu noivo Ray Williams, de 30, ficaram eufóricos quando Tracey Hulse, de 42, pôs fim à busca de um ano por uma barriga de aluguel. O casal sabia que seu bebê estaria em boas mãos, pois Tracey já tinha seis filhos.

Naturais de Manchester, no Reino Unido, os pais fizeram um empréstimo de £ 36 mil — mais de R$ 270 mil — para financiar três rodadas de fertilização in vitro usando duas doadoras anônimas de óvulos. Anthony e Ray doaram esperma, mas optaram por não descobrir quem é o pai biológico. “Foi importante para nós ter um filho biológico. Mas não importa quem é o pai biológico, pois Theo é nosso bebê“, declarou Anthony ao Metro. Inicialmente, o casal tentou contato com algumas candidatas a barriga de aluguel, mas depois de um ano, eles não haviam formado um vínculo com ninguém e estavam começando a perder as esperanças. Eles nem haviam considerado Tracey, pois ela já havia dado à luz seus seis filhos.


“Um ano se passou e eles ainda não haviam encontrado uma substituta, então decidi ajudar. Eu já tinha oferecido duas vezes antes, mas rimos disso. Até a terceira vez, eu disse a eles que gostaria seriamente de carregar o bebê para eles. Eu já tinha falado com meu marido, Wayne, sobre isso e ele achou que eu poderia estar muito velha. Mas eu não senti isso! Eu me senti honrada quando eles disseram que sim, pois isso significava que meu irmão confiava em mim o suficiente para carregar seu filho“, disse ela, que acabou engravidando na terceira e última tentativa de fertilização. 



Anthony garante que seu vínculo com sua irmã é mais forte do que nunca depois que ela lhe deu o maior presente da vida. “Tracey e eu sempre fomos próximos. Somos mais como melhores amigos. Eu a acompanhei até o altar no dia do casamento, pois nosso pai não pôde comparecer. Então, 17 anos depois, ela nos apresentou ao nosso filho, o que sempre será um momento especial para nós. Nunca poderemos retribuir Tracey, você não pode colocar um preço no que ela fez por nós. Estamos muito orgulhosos dela por entrar nessa situação e nos ajudar a formar nossa família dos sonhos”, comemorou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário