quinta-feira, fevereiro 25, 2021

NOTÍCIAS DO MUNDO GAY

 1 a cada 6 jovens norte-americanos se identificam como LGBTQIA+.



O percentual de LGBTQIA+ vai diminuindo conforma a idade vai aumentando.

Uma pesquisa realizada pela organização Gallup nos Estados Unidos com 15 mil adultos concluiu que 5,6% dos entrevistados se identificam como LGBTQIA+. Isso é um aumento considerável quando comparada a uma pesquisa semelhante realizada em 2017, na qual 4,5% dos adultos se identificavam como membros da comunidade. As informações são jornal USA Today (via Isto É).

“Isso reflete o que estamos vendo na sociedade e a forma como ela está mudando” – disse o editor sênior da Gallup, Jeff Jones, acrescentando que há uma trajetória ascendente contínua desde que o instituto começou a rastrear a identificação em 2012.

O percentual das pessoas que se identificam como LGBTQIA+ é maior entre adultos da Geração Z, sendo uma em cada seis pessoas (15,9%), entre 18 a 23 anos. A maioria se identifica como bissexuais (54,6%), um quarto se identifica como gays (24,5%), 11,7% como lésbica e 11,3% como transgêneros. O percentual de LGBTQIA+ vai diminuindo conforma a idade vai aumentando.

Outro dado importante é que as mulheres têm maior probabilidade do que os homens para se identificarem como LGBTQIA+, sendo 6,4% contra 4,9%. As mulheres também são mais propensas a se identificarem como bissexuais do que os homens, sendo 4,3% contra 1,8%.

A diretora executiva do “Movement Advancement Project”, Ineke Mushovic, os números da pesquisa refletem as “mudanças geracionais na conscientização e aceitação” que remodelaram a forma como os jovens LGBTQIA+ são acolhidos por familiares amigos.

“Tenho conversado com muitas pessoas LGBTQ mais velhas que caem no choro quando contam suas histórias de revelação de décadas atrás – histórias de partir o coração de rejeição familiar, perda de pais, perda de irmãos, perda de empregos”, disse ela ao USA Today. “As gerações mais velhas cresceram durante a época em que ser LGBTQ podia levar você para a prisão, ficar sozinho ou sem emprego.”

“As gerações mais jovens não experimentaram este nível de medo em que, frequentemente, estar no armário parecia menos uma escolha e mais um mecanismo de sobrevivência. Os pais criaram ambientes onde os jovens não apenas se sentem seguros ao se assumirem – mas aqueles que estão à beira da idade adulta podem mapear futuros repletos de possibilidades, algo nunca visto até uma geração atrás”, afirmou Ineke.

Polícia tenta inibir beijo gay em praia do México, mas cede após pressão de banhistas.



O incidente foi filmado pela TikToker Martiza Escalante, que estava no local no mesmo momento.

Um casal de homens estrangeiros foi pego pela polícia de Tulum, no México, por estarem dando um beijo na praia. O incidente foi filmado pela TikToker Martiza Escalante, que estava no local no mesmo momento. “Os policiais chegaram perto de jovens estrangeiros” – disse ela no vídeo postado – “Depois de vinte minutos, um carro da patrulha chegou e algemou eles”.



Os banhistas não concordavam com a decisão dos policiais e gritavam “Eles não estão cometendo nenhum crime”, acusando os policiais de homofóbicos. A organização internacional dos direitos LGBT Out Right se posicionou sobre o assunto: “O México fez muitos progressos nas questões LGBTIQ; porém, ainda há barreiras para conseguirmos a igualdade LGBTIQ (…) A Igreja Católica tem um impacto significativo nas normas sociais e culturais em torno de gênero e sexualidade, e muitos grupos católicos anti-LGBTIQ se opõem a legislação e se esforçando para não haver igualdade para pessoas LGBTIQ. Apesar desses desafios, os mexicanos LGBTIQ estão experimentando uma aceitação e visibilidade cada vez maior, em especial nos centros urbanos e pelas gerações mais novas”.

São Paulo já tem mais de 10 mil pessoas cadastradas para o PrEP



A assessoria de comunicação da coordenadoria de IST/AIDS da cidade de São Paulo comunica que 10.012 pessoas já iniciaram o uso da Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) ao HIV nas unidades da capital. A informação vem dos dados de acompanhamento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo.

“A PrEP é uma importante tecnologia de prevenção ao HIV e que amplia as formas que as pessoas têm de se proteger do vírus, permitindo maior liberdade de escolha”, diz Cristina Abbate, coordenadora da Coordenadoria de IST/Aids da SMS. “A PrEP faz parte do que chamamos de Prevenção Combinada ao HIV, junto com a camisinha, estimulo à testagem frequente e início precoce do tratamento, entre outras. O uso dessas estratégias tem tido resultado, com aponta a redução de novos casos registrados na cidade nos últimos três anos”, complementa.

A prioridade para a PrEP são os grupos com maior vulnerabilidade ao HIV, como gays e homens que fazem sexo com outros homens (HSH), profissionais do sexo, homens e mulheres transexuais, travestis e casais sorodiferentes (quando um dos dois vive com HIV).

De acordo com o levantamento da Secretaria, 10.012 pessoas se cadastraram nos serviços municipais e iniciaram o uso da profilaxia. Dessa forma, a cidade de São Paulo representa um terço de todas as PrEPs iniciadas no país.

A SMS iniciou a oferta na cidade de São Paulo em 18 de janeiro de 2018 em cinco serviços. Atualmente, 43 unidades municipais oferecem essa forma de prevenção. Além dos 26 serviços da Rede Municipal Especializada em IST/Aids da cidade de São Paulo, a PrEP também está disponível em 17 unidades da Rede Básica de Saúde que oferecem hormonização para pessoas trans e travestis.

“A experiência com as unidades de hormonização começou em outubro do ano passado, com objetivo de ampliar e facilitar a oferta para essa população num serviço em que ela já frequenta”, explica Cristina. Segunda a coordenadora, a meta é que até abril toda unidade municipal que ofereça hormonização esteja disponibilizando a PrEP. Atualmente são 28 unidades de saúde municipais que oferecem hormonização.

Os endereços para os serviços de PrEP podem ser conferidos no site oficial da prefeitura de São Paulo.

Três crianças filhos de casal gay morrem carbonizadas em incêndio em SP; um dos pais está preso temporariamente.



Um incêndio deixou três crianças mortas na madrugada da última quarta-feira (17/02) em Poá, na grande São Paulo. Fernanda Verônica, de 14 anos, Gabriel, de nove, e Lorenzo, de dois, são filhos de Ricardo Reis de Farias Vieira e Leandro José Reis de Farias Vieira. O ex-casal estava separado há três meses e a guarda dos menores era compartilhada.

No momento do fogo, os menores estavam trancados em um dos quartos da casa e o pai, Ricardo Reis, dormia em outro. Segundo Ricardo, ele acordou com o fogo e não conseguiu arrombar a porta do cômodo, por isso foi pedir ajuda em uma delegacia. Quando os policiais chegaram já era tarde. O corpo de Fernanda estava no banheiro, o de Lorenzo, no centro do quarto das crianças, e o de Gabriel, próximo da janela. A polícia pediu prisão temporária de Ricardo por 30 dias após encontrar contradições em seu depoimento. Entre a série de inconsistências a serem esclarecidas está o motivo do quarto das crianças estar trancado. 

Câmeras se segurança mostram o momento em que Ricardo deixa o imóvel para buscar ajuda. Na sequência, vizinhos começam a se aproximar da residência em chamas. Em nota, a defesa dele informou que a prisão temporária foi precipitada e que entrou com pedido de habeas corpus. Ao G1, o delegado Eliardo Jordão esclareceu que a prisão “não aponta, não acusa ninguém. É uma prisão processual, um instrumento jurídico para viabilizar a continuidade das investigações“.

O outro pai, Leandro, estava viajando e chegou ao local na manhã seguinte ao incêndio. Em uma rede social, ele lamentou a tragédia em uma publicação emocionante. Familiares garantem que as crianças – adotadas em 2014 e 2019 – eram muito amadas por ambos.

“Queria muito acreditar que foi só um acidente”, desabafa ex-marido de suspeito de matar filhos em incêndio.



O empresário Leandro José de Faria e Vieira espera pelo resultado da investigação policial para entender o que aconteceu na noite da quarta-feira (17/02), em Poá, quando os três filhos morreram carbonizados na casa do outro pai, Ricardo Reis de Faria e Vieira. Em entrevista ao Diário TV 2ª Edição, Leandro disse que gostaria muito que o ex-companheiro não tivesse envolvimento no incêndio que matou os filhos adotivos.

“Eu quero saber a verdade. Por que em um dia em perdi os meus três filhos? Eu queria muito acreditar que foi só um acidente. Que nenhum ser humano ou o pai dos meus filhos pudesse fazer alguma coisa. Eu preciso muito que a perícia resolva este caso. Não vai acalmar o que eu sinto, mas ao menos eu vou saber o que aconteceu“, desabafou Leandro à reportagem. Juntos durante 15 anos, o ex-casal se divorciou recentemente e estavam com a guarda compartilhada dos três filhos. A Justiça decretou a prisão temporária por 30 dias de Ricardo após inconsistências em seu depoimento.

“Vivemos 15 anos juntos. Conquistamos várias coisas nesse período. Inclusive a adoção, que foi um marco maravilhoso. Em novembro, decidimos que a nossa relação chegava ao fim. As desavenças que nós tínhamos eu considero normal. A iniciativa do término foi minha. O Ricardo queria muito que a gente voltasse, mas eu não queria”, conta.

Homem assedia mulher lésbica no estacionamento de mercado mas acaba levando uma surra da vítima.



Um homem de 41 anos foi preso na madrugada deste sábado (20/02) após assediar uma mulher lésbica no estacionamento de um mercado, em Canarana (823 km de Cuiabá). Segundo informações do portal Rádio Tucunaré, o rapaz abaixou sua bermuda e tentou forçar a vítima pegar em seu pênis.

Indignada, a vítima, de 34 anos, deu uma surra no tarado com um pedaço de madeira. De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher foi até a unidade da Polícia Militar e relatou que estava no estacionamento do local, quando o homem se aproximou e a chamou para transar. Segundo o portal, a mulher respondeu que não gostava de homem e pediu que ele parasse com o assédio. Insatisfeito, o rapaz retirou o pênis da bermuda e tentou agarrar a mão da mulher, para que ela pegasse no órgão. Ela encontrou um pedaço de madeira e deu uma surra no homem.

O assediador bem que tentou fugir, mas foi localizado em uma praça com vários ferimentos pelo corpo. Ele foi encaminhado para uma unidade de saúde da cidade, onde recebeu atendimento médico. Depois de ser liberado, os policiais levaram o tarado até a delegacia, onde foi preso. A Polícia Civil investiga o caso.

Um comentário:

  1. The sweetest look of perfect pleasure mixed with the good kind of pain washes over Alan as he's jam packed with with the biggest cock he's ever taken.

    ResponderExcluir