terça-feira, março 30, 2021

DIREITOS

 Em conversas, Dallagnol sugeriu adulterar datas do recebimento de documentos entregues ilegalmente.



Dados obtidos pela defesa do ex-presidente Lula através da Spoofing mostram o procurador driblando os canais oficiais

Em nova petição apresentada pela defesa do ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (29) aparecem diálogos que fortalecem a tese de que a Força-Tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) abusou de colaborações ilegais com autoridades estrangeiras fora das vias oficiais. O coordenador da operação, Deltan Dallagnol, inclusive sugere a adulteração de dadas para não dar na vista o intercâmbio oculto.
“O novo material analisado mostra que mesmo nos casos em que houve o uso dos canais oficiais, a “lava jato” recebeu antes o material, extraoficialmente, e planejou criar elementos para acobertar a inobservância do devido processo legal”, apontam os advogados em trecho da petição, que apresento novos resultados da perícia dos arquivos da Operação Spoofing.

Ao descreverem as mensagens específicas, os advogados afirmam que “a ‘lava jato’ recebia documentos fora dos canais oficiais e depois, se necessário, enviava apenas documentos ‘pro forma’ — e possivelmente as datas indicadas nos documentos oficiais podem ter sido adulteradas ‘para evitar questionamentos'”.

Ao descreverem as mensagens específicas, os advogados afirmam que “a ‘lava jato’ recebia documentos fora dos canais oficiais e depois, se necessário, enviava apenas documentos ‘pro forma’ — e possivelmente as datas indicadas nos documentos oficiais podem ter sido adulteradas ‘para evitar questionamentos'”.



Para Fux, Azevedo saiu porque se recusou a politizar as Forças Armadas.



A saída de Fernando Azevedo e Silva da Defesa pegou ministros do STF de surpresa, que não gostaram da mudança. A pessoas próximas, Luiz Fux disse hoje que o general saiu porque estava insatisfeito, não era ouvido, e porque se recusou a politizar as Forças Armadas.

O presidente do STF passou a tarde em ligações para compreender essa e as demais mudanças no primeiro escalão do governo. Chegou a ligar para Azevedo e Silva para saber se estava tudo bem e saiu tranquilizado da conversa.

Considera que Braga Neto também será um bom interlocutor com o STF.

A avaliação é que o Centrão ganha mais força no governo, principalmente pela entrada de Anderson Torres no Ministério da Justiça.

ux demonstrou ainda a interlocutores que não há motivo para preocupação; entende que a reforma é um “realinhamento político do governo” e que não há risco à “estabilidade institucional”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário