terça-feira, março 09, 2021

DIREITOS

 Decisão de Fachin que anulou condenações de Lula quebra internet: 450 mil menções em uma hora.



De acordo com levantamento da consultoria Arquimedes, a pedido da CNN-Brasil, os apoiadores do ex-presidente ocuparam 88% das citações.

A decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou as condenações de Lula, provocou repercussão recorde nas redes sociais.

De acordo com levantamento da consultoria Arquimedes por solicitação da CNN-Brasil, houve 450 mil citações do nome do ex-presidente no período de apenas uma hora. O acumulado de postagens na hora seguinte chegou a 800 mil.
A repercussão só é comparável à saída do ex-juiz Sérgio Moro do Ministério da Justiça do governo de Jair Bolsonaro, em 24 de abril de 2020. Naquele dia, entre 11 e 12 horas, ocorreram 350 mil citações sobre o assunto, de acordo com informações de Iuri Pitta, na CNN.

Maioria arrasadora

Conforme a pesquisa desta segunda (8), na primeira hora, os apoiadores de Lula ocuparam 88% das citações ao ex-presidente. Além de compartilhamentos das notícias sobre a decisão, foram postadas comemorações pela decisão.

Em contrapartida, apoiadores de Jair Bolsonaro representaram apenas 9% das menções sobre Lula, com ataques diretos ao ex-presidente.

Acuado, Bolsonaro comenta decisão do STF sobre Lula: “Pode haver injustiça em um processo ou outro”.



Presidente, no entanto, questiona anulação de todos os processos contra o ex-presidente e afirma que decisão de Fachin, do STF, é um "descrédito para a Justiça"

O presidente Jair Bolsonaro, no início da noite desta segunda-feira (8), reconheceu, em entrevista a José Luiz Datena, da Bandeirantes, que Lula pode ter sido injustiçado em alguns dos seus processos na Lava Jato.

A declaração veio após uma pergunta de Datena se Bolsonaro, que se considera alvo de abusos do Ministério Público por investigações sobre as movimentações financeiras de sua família, também acha que a Justiça possa ter falhado com Lula.

“Pode haver alguma injustiça em um processo ou outro”, disparou Bolsonaro.

O presidente, no entanto, não concorda com a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou todos os processos da Lava Jato contra Lula alegando que a vara federal de Curitiba não seria competente para julgá-los.

“Agora, como um todo, se Lula for considerado inocente, então é porque não houve petrolão?”, questionou Bolsonaro.

“Não sei o que vai acontecer, mas será um descrédito para a Justiça, muito ruim para o Brasil. Por que a partir do momento que foi tudo anulado do Lula, é dizer que não houve petrolão, que não houve roubalheira no BNEDS, que não houve nada disso”, completou o presidente.

À CNN Brasil, Bolsonaro ainda disse que Fachin “tem uma forte ligação com o PT” e que, apresar de não ser jurista, acredita que a decisão monocrática do ministro deva ser avaliada pelo plenário do STF.

Sobre a possibilidade de Lula ser candidato à presidência em 2022, visto que a decisão de Fachin torna o ex-presidente elegível novamente, o titular do Planalto disse que “o povo brasileiro não quer um candidato desse”

Pesquisa do Ipec divulgada no domingo mostra que o Lula é quem possui maior potencial de votos e menor rejeição para as eleições de 2022.

Entenda

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, decidiu nesta segunda-feira (8) anular todas as condenações contra o ex-presidente Lula promovidas pela Justiça Federal de Curitiba.

Fachin atendeu a um habeas corpus apresentado pela defesa do ex-presidente que dizia que alegava incompetência de Curitiba para o julgamento dos casos do Triplex do Guarujá, do Sítio de Atibaia e da Instituto Lula. Segundo entendimento do STF, os casos da Lava Jato relacionados à Petrobras são de competência da Justiça do Distrito Federal.

Na decisão, obtida pela Fórum na íntegra (confira no fim da matéria), o ministro declara a “incompetência da 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba para o processo e julgamento das Ações Penais” de Atibaia, Guarujá e do Instituto Lula.

Com isso, esses processos vão para o Distrito Federal e voltarão para a estaca zero. No DF, Lula não foi condenado em nenhum processo.

A decisão de Fachin torna Lula novamente elegível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário